segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Capitulo 30


N/A: Hey gostariamos muito de saber o que vocês estão achando da fic, então deixem um coment aqui no blog ou no nosso twitter ( @_GoldForever_ @JaythanInMybed ) Espero que curtam muito esse capitulo. Beijos da Sasa e da Jess.
 

"Passaram-se os meses. Todos estavam bastantes envolvidos com o casamento e não notaram que o dia já se aproximava, enquanto as garotas tratavam de ajeitar as coisas para o casamento, os rapazes procuravam uma casa para Megan e Max comprarem, mas não encontravam nenhuma que os agradasse. Enquanto isso, Jay tentava falar com Tess a semana toda, mas ela estava o evitando. Roxy e Nathan estavam empenhados assim como Siva e Nareesha a ajudar no casamento, claro, sempre eles dando as “fugidinhas”. Tom e Claire mais se divertiam do que cooperavam e sempre eram os palhaços da turma na hora da agônia, e Max e Megan... bom esses estavam atarefados demais mas sempre sobrava tempo para o casal.”
 
                                     Roxy’s Pov

O casamento já estava próximo, se for brincar eu estava mais ansiosa que a Megan. Nesse exato momento estou dentro do vestiário colocando o meu vestido de madrinha, e devo admitir ele é a coisa mais linda. Puxei o zíper que estava na lateral e sai, vendo Nareesha e Claire vestidas igual a mim, sorrimos instantaneamente e ficamos esperando a Megan terminar de se trocar.

- A Megan já saiu? – Rob perguntou vindo até nós. Rob era o estilista da Megan, ele realmente amava o que fazia.

- Ainda não. – falei andando de um lado para o outro.

- Calma ai. - ela gritou de dentro da cabine.

- Ainda deve estar vestindo. - Claire falou.

- Anda Logo Megan! – Nareesha estava ansiosa.

- Roxy, e a Tess? Jay disse que ela ia ser acompanhante dele mas ela não apareceu para experimentar as roupas. - Claire perguntou.

- Ela esta evitando o Jay pelo que ele me contou. – suspirei. – o Jay ta tão triste.

- Mas e agora...?

- E então? - Megan saiu da cabine.

- Oh God! – gritei e corri até ela. – é lindo.

- É perfeito. – Naree sorriu.

- Ta tão maravilhoso. - Claire andou até ela.

- Sério que ta bom? - ela deu um giro.

- Ta lindo. – Rob caminhou até a Megan.

- Foi feito pra você. – sorri.

- É... caiu bem em mim. - ela gargalhou.

- Ai vai ser tão maravilhoso. – Naree se jogou no sofá.

- Espero que sim. - Megan falou.

- Precisamos de um sapato. – Rob falou.

- Vou procurar algum. – sorri.

Sai de perto delas e fui até a salinha onde tinham vários sapatos, ta bom, eu me entrego não resisti e comecei a experimentar alguns dos scarpins que tinha ali. Qual é? Quem nunca teve vontade de fazer isso?! Fui para o outro lado e achei uma pep toe que combinaria perfeitamente com o vestido da Meg.  Assim que ia pegar senti duas mãos passarem ao redor da minha cintura.

- Esse vestido ta perfeito em você. - reconheci a voz que sussurrava em meu ouvido.

- Meu Deus que susto. – suspirei.

- Porque não gostou de me ver? - Nathan sorria.

- Gostei mas você me assustou, imagina se eu tivesse em cima de uma cadeira, eu ia cair no chão. Ou pior em cima de uma cadeira de salto e na ponta dos pés eu ia me quebrar toda e nem ia conseguir ser madrinha. – parei para respirar.

- Calma,calma Roxy. Relaxa, eu te segurava. - ele piscou.

- Você é louco. – sorri.

- Por você. - ele alargou o sorriso.

- Nathan... – me virei de frente para ele. – os meninos também estão aqui?

- Estão... aliás eles estão aqui do lado de fora. Eles mandaram ver se vocês estavam mesmo aqui, vou chama-los. – ele se virou.

- NÃO!!!! – gritei e o puxei de volta. – o Max não pode ver a Megan.

- Porque? Ela já não trocou de roupa? - ele me olhou.

- E ai pessoal. - Jay entrou na salinha junto com os outros.

- As meninas estão atrás dessa porta? - Siva queria passar.

- Vocês estão experimentando? – Max abriu um largo sorriso.

- EU QUERO VER!! – Tom gritou.

- NINGUÉM PASSA! – gritei também.

- Mas o que se passa aqui? - Claire saiu da porta e arregalou os olhos quando viu os meninos.

- Oi Claire! - Jay acenou.

- Claire me ajuda. -  pedi.

- Eu quero ver. – Max ficou na ponta dos pés e Claire fechou a porta rapidamente.

- Você não vai ver nada. - Claire falou.

- Está tudo bem ai? - ouvimos Megan gritar para nós.

- NÃOO!! – fiquei apavorada. – fica ai.

- MEGAAAAAN DEIXA EU TE VER. – Tom gritou.

- AI MEU DEUS O QUE ELES FAZEM AQUI?! - ouvimos os gritos de Megan e de Rob do outro lado da porta.

- Vocês não vão entrar além dessa porta. - Claire apontou para eles.

- Estraga prazeres. – Siva cruzou os braços e saiu.

- Já basta vocês verem a gente com os vestidos, vocês ainda querem ver a Megan? – perguntei. – podem dando meia volta.

- Ah mas, quem não pode ver é o Max, nós podemos. - Jay falou.

- Isso ai. - Nathan bateu em sua mão.

- Ninguém vai ver nada. – falei.

- Vai Roxy!!! – Tom pediu.

- Se vocês não saírem, eu vou começar a jogar esses sapatos em vocês. – ameacei pegando um na estante.

- Calma calma. - Siva levantou as mãos. - onde está Nareesha?

- Lá dentro. – apontei.

- Então posso entrar porque minha namorada está lá. - ele fez menção em passar.

- Ninguém entra e ninguém sai.

- Desisto, vamos logo pra essa loja de ternos. - Nathan se virou e chamou os outros.

- Isso, vão lá, experimentem que vamos depois. - Claire falou.

- E vocês podem ver os nossos? - Jay coçou os cachos.

- Você acha que não? – arqueei a sibrancelha.

- Gracinha eim. – Tom falou.

- Eu to sem entender mais nada dessa regra de casamento. - Nathan sorriu.

- Vão logo, e daqui a pouco a gente encontra vocês. – sorri.

- Esta bem. – Max suspirou.

- Tchau. - Nathan me deu um beijo leve e saiu.

- Essa foi por pouco. – abri a porta e me deparei com Megan e Nareesha já prontas para ir embora.

- Pensamos que eles não iam sair nunca. - Megan nos mandou um olhar de desculpas.

- Relaxa Megan, pelo menos eles não viram nada. – sorri entrando no vestiário, tirei o meu vestido e coloquei a minha roupa novamente, agora teríamos que ver a roupa dos meninos e ajuda-los.

- Rob,vão ser estes mesmo. - Megan sorriu.

- Tudo bem então meninas, vou fazer os últimos ajustes e eu ligo para vocês virem buscar. – Rob sorriu.

Nos despedimos dele e logo saimos da loja, por sorte a que os meninos estavam não era muito longe. Entramos na loja e começamos a procurar por eles, ta aquilo era um pouquinho grande então seria um pouco difícil.

- CARALHO JAY!! – Ouvi Tom gritar. – MANDEI VOCÊ NÃO COLOCAR ESSE NEGÓCIO AZUL AQUI. – Tom jogou um terno azul em cima de um banco.

- MAS DAVA CERTO CONTIGO CARA. - ouvimos o riso de Jay.

- DAVA CERTO NA TUA CARA, EU DEVIA TER JOGADO O ROSA NAS SUAS COISAS E NÃO NAS DO NATHAN.

- MAS QUE PORRA É ESSA? - Nathan saiu da cabine dele sem camisa, apenas com a calça social e segurando um terno rosa.

- Confusão essa não acham? - Meg sorriu.

- Ai meu Deus. – fiquei encarando o Nathan.

- Alguém ai congelou. – Naree estalou os dedos na frente do meu rosto.

- Roxy ta bem? - Megan me sacudiu.

- Nathan. Calça social. Sem camisa.

- Oi Roxy! - ele parou na nossa frente ainda no mesmo estado. - TOM VOCÊ VAI VER. - ele gritou.

- Eu... eu... cadê ar?? – comecei a me abanar.

- O que foi Roxy? - ele segurou em minhas mãos preocupado.

- Preciso de água. – falei. – ta calor né?!

- Você ta bem? Meninas segurem aqui. - ele jogou o terno pra elas.

- Eu sei o que ela tem... foguisseous del nathanlicious. - Megan gargalhou.

- Que? – Tom perguntou confuso.

- Nada, esquece. - Claire sorriu.

- Cadê meu amor? - Megan falou alto.

- N-não sei. – gaguejei. – preciso de coca ou cerveja, urgentemente.

- Vou vestir minha camisa e vamos tomar algo. - Nathan se afastou.

- Ai por favor, faz isso. – falei. – se não vou continuar assim. – sussurrei a ultima parte.

- Mas... isso tudo é porque tô sem camisa? - ele gargalhou.

- Pelo visto sim. - Claire gargalhou.

- AMOR CADÊ VOCÊ? - Megan estava se abaixando em todas as cabines procurando Max.

- TO NO ULTIMO AMOR. – Max gritou.

- A questão é, ele esta sem camisa, calça social, e com os cabelos bagunçados. – suspirei. – isso é jogo baixo.

- Ok então, vou me “ajeitar”. - ele fez aspas e saiu.

- Isso termina de por a roupa e depois vem aqui. – sorri.

- E quem me ajuda? – Jay saiu da cabine com a gravata em mãos.

- Awn vem aqui. – ele veio até mim e comecei a ajeitar sua gravata.

- Obrigado! Esses dias estão sendo tão confusos. - ele levantou o pescoço.

- Da um tempo pra ela Jay, ela praticamente se declarou pra você. Deve estar com vergonha.

- Mas ela mal sabe a minha reação e fica fugindo de mim... isto está. - ele puxou a gravata tentando folga-la.

- Desculpa. – sorri fraco e afrouxei. – ela deve estar com medo Jay, pensando que você não sente o mesmo.

- Então ela não me conhece. - ele sorriu de lado e abotoou os botões do terno. - então? Como estou?

- Você esta lindo Jay. – sorri. – vai chamar mais atenção do que o noivo. – sussurrei.

- Não quero Megan cortando minha cabeça fora ou Max me socando. - ele gargalhou.

- Gente, qual devo usar? - Siva apareceu com uma gravata grande e outra em borboleta.

- A borboleta amor. – Nareesha falou animada.

- Então vai ser essa. - ele lhe deu um beijo.

- Estou melhor assim? - Nathan apareceu vestido com um blazer preto e uma camisa social  branca por dentro.

- Você fica lindo de qualquer jeito. – caminhei até ele. – mas assim esta perfeito.

- Que bom. - ele me abraçou.

- Claire me ajuda aqui. – Tom saiu da cabine tentando ajeitar a roupa.

- Calma não tenta nada. - ela correu e o ajudou.
- Obrigado. – Tom sorriu.

- Esses dois foram feitos um pro outro. – comentei.

- Eles se completam, assim como nós. - Nathan sorriu.

- É... - Jay que estava sentado em um dos sofás suspirou.

- Ah Nathan! Eu to tão mal pelo Jay.

- Ainda é aquela parada com a Tess?

- É ele esta muito pra baixo, ela não liga de volta pra ele, não o recebe em casa, poxa ele gosta tanto dela.

- Vamos dar um tempo para ela. Lembra que você era do mesmo jeito?

- Ah eu não era assim não.

- Ah era sim menininha. - Nathan me agarrou por trás e começou a me balançar.

- Ninguém mandou você aprontar. – sorri.

- Não vamos começar a discutir isso ou vai virar uma briga. - ele beijou meu pescoço. - e vamos preocupar Max e Megan.

- Ei pescoço é ponto fraco. – falei. – cadê eles dois?

- Eles sumiram. - Nathan levantou a cabeça procurando. - ei! Eles não podem!

- Devem estar se pegando por ai. – sorri.

- Vamos atrás ou não? - ele me olhou.

- Não, deixa eles aproveitarem.

- Tudo bem.

- Jay, ta tudo bem? – me aproximei dele que estava com a cabeça baixa.

- Você sabe né. - ele sorriu tímido.

- Ain Jay não fica assim. – o abracei. – ela só esta precisando de um tempo.

- Vamos ver quanto tempo será esse.

- Você gosta muito dela né?! – sorri.

- Sim, não sei o quanto, mas sim. - ele sorriu.

- Você já falou isso pra ela?

- Não, ela não me deu tempo naquele dia e não retorna minhas ligações.

- E você já foi atrás dela e tudo mais né?!

- Já, não adianta.

- Quer que eu tente conversar com ela?

- Se você puder. – ele sorriu.

- Vou tentar, eu prometo. – me levantei. – agora vê se abre um sorriso.

- Não sei se consigo. - ele sorriu de leve.

- Ah Jay, vaiii. – puxei a mão dele.

- Tudo bem. – ele forçou um sorriso.

- Ai bem melhor.

- Olá Pessoal! - Megan apareceu.

- Olha ela ai Roxy. - Nathan começou a rir.

- Até que voltaram rápido. – sorri.

- Voltaram? Daonde? - Megan estava sorrindo.

- Eu e o Nathan achávamos que vocês estavam se pengando.

- A gente estava pagando tudo. – Max sorriu,

- Isso gente. - Megan sorriu mais ainda.

- Urum sei. - Nathan parou ao meu lado.

- Acho que deve um desvio de rota. – Tom apareceu rindo.

- Calem a boa. – Max revirou os olhos.

- Não sabem de nada. - Megan gargalhou.

- Essa dai não esconde quando ta alegre. - Nathan sorriu.

- Não mesmo. – Jay sorriu.

- Ah me deixem. - ela continuou rindo achado algo engraçado.

- Você é doente. – comecei a rir.

- Eu? Que nada, é só que foi bem engraçado. - Megan olhou para Max e começou a gargalhar.

- Ta o que a gente perdeu? – Naree apareceu.

- O Max e a Megan rindo do nada quando voltaram da pegação. – dei de ombros.

- Vocês não tem jeito mesmo. – Max sorriu.

- Shiuuu! - Megan parecia uma retardada sorrindo.

- Estranho. – Siva comentou.

- Então vamos pra onde? – perguntei. – tem mais alguma em relação ao casamento pra gente ajudar?

- A casa. – Nathan falou.

- Vocês não acharam nenhuma? – Naree perguntou.

- Não boa o suficiente para o gosto do Max. - Siva rolou os olhos.

- Eu só não achei nenhuma que combine comigo e com a Megan. – Max se defendeu.

- Nossa Max então você não vai achar nunca. – revirei os olhos.

- Por que? – Megan perguntou indignada.

- Por que até vocês conciliarem gostos e preferências... enfim, não precisa ser perfeita a casa, afinal vocês vão decorar depois. – dei de ombros.

- Pode ser Max, qualquer uma perto tanto do apartamento, quanto da casa. - Mega falou.

- Meu Deus o apartamento. – falei. – vai ficar pra mim?

- Acho que sim... algum problema? - Megan me olhou.

- Acho que não... além de eu ter que ficar sozinha.

- Não sozinha necessariamente. - Nathan me abraçou por trás.

- Como assim Nath? – perguntei assustada.

- Ué tem minha companhia para quando quiser, mas tudo bem eu nem apareço. - ele se afastou.

- Volta aqui mocinho. – o puxei e todos riram. – é lógico que eu quero que você apareça.

- Então pra que o espanto? Eu sou ou não o seu namorado?

- Não nada. – sorri.

- Então chega de desculpa. - Megan bateu as mãos. - vamos terminar de trabalhar que mais tarde vocês tem show.

- Vamos. – Tom puxou Claire.

- Vamos todos. - Megan nos empurrou alegremente.

- Tenho que ir no show mesmo? – perguntei. – eu to com preguiça.

- Você vai sim, ou teremos que fazer show a capela. - Nathan sorriu.

- A banda inteira vai atrás de você. - Siva falou.

- Ia ser legal um show a capela. – sorri. – vocês deviam fazer um dia.

- É vamos considerar isso... – Max falou.

- Mas enquanto não fazemos, você ainda toca. – Tom me empurrou.

- Vamos gente! - Megan ja estava fora da loja nos gritando.

- Ai que pressa. – caminhamos no mesmo ritmo até a porta e logo saimos do shopping. Entramos nos carros e seguimos rumos diferentes, enquanto as meninas iam para casa concluir tudo, eu e os meninos íamos para a passagem de som.

                                     Megan's Pov

Depois que os meninos e Roxy foram para o Show, eu, Nareesha e Claire voltamos para casa. resolvemos ajeitar todas as coisas e repassar em ordem tudo sobre o casamento.

- Todas sentadas aqui. - chamei elas para se sentarem no chão ao redor da mesinha. - então, a cerimonialista está cuidando de tudo, mas eu quero conferir.

- Ta bom, começa a falar. – Naree se sentou.

- O local, ele vai ser decorado não é?

- Sim, o próprio buffet cede a decoração e tudo mais. – Claire respondeu.

- Confere. - risquei no papel. - roupas todas ok?

- Todas certinhas. – Naree sorriu.

- Ok! - risquei outra linha. - padrinhos, madrinhas, convites...

- Quase perfeito, temos um problema com a Tess. Mas agora não tem mais como voltar. – Claire falou.

- Qualquer coisa, lá na hora a gente improvisa. – Naree riu.

- É verdade... e a dama de Honra?

- É a Lia, certo? – Claire perguntou.

- Uhum! Acho que o Jay conversa com ela por twitter, e ela confirmou. – Naree sorriu.

- Ainda bem. - respirei aliviada.

- Mais alguma coisa? – Naree perguntou.

- Acho que era só isso. - falei e ouvimos a porta ser aberta, viramos para olhar e os meninos entraram felizes.

- Voltamos! - Nathan gritou.

- CHEGUEI! - Tom passou correndo pela porta, vindo até Claire e caindo por cima dela que estava sentada no chão.

- Oi amor! – Naree abraçou Seev.

- Já volto. – Roxy subiu correndo as escadas.

- O que deu nela? – Max riu e me abraçou por trás. – boa noite futura esposa!

- Boa noite meu noivo. - beijei sua bochecha. - Nathan! o que você fez dessa vez?

- Eu? Nada. - ele olhou para as escadas.

- Não entendi nada agora. – Claire falou.

- Vamos deixar se pararmos para entender a Roxy, vamos ficar loucos. - Jay falou.

- Isso ai Jay. - sorri e me levantei do chão para o sofá,caindo por cima de Max.

- Não ta muito folgada não? – Max sorriu.

- Só o suficiente. – sorri.

- Então... vocês ficaram fazendo o que? – Siva perguntou.

- Revisando as coisas do casamento. - Claire respondeu.

- Eu vou entrar sozinho? – Jay perguntou meio triste.

- Ah Jay, não... a gente vai ver isso. Mas nem que você me leve ao altar você entra. - passei a mão em seus cabelos.

- Ta bom. – ele soltou um sorriso fraco.

- Jay... - me ajoelhei na sua frente. - não fica assim por favor.

- Eu tento mas... não é fácil. – Jay suspirou. – eu gosto muito dela.

- Ela... ela vai falar com você Jay, espera algum tempo, dá um tempo pra ela. Essas coisas sempre são assim. - o abracei.

- Eu prometo tentar.

- Então ta bom, ele vai ficar muito feliz, beijo, tchau. – Roxy desceu as escadas e se sentou na poltrona como se nada tivesse acontecido.

- Quem era? - Nathan perguntou;

- Er... hum... o meu pai. – Roxy enrolou.

- Tio Christian? O que ele queria? Aconteceu alguma coisa? - perguntei preocupada.

- N-não... eu... ele queria saber como foi o show.

- Ah sim... – sorri. - e como foi o show? - perguntei mudando de assunto.

- Ótimo. – Tom sorriu.

- É foi muito diver... – Roxy foi interrompida por seu celular que começou a tocar. – já volto. – ela caminhou até a cozinha.

- Foi bom. – Jay deu de ombros.

- Legal. – Siva sorriu.

- O de sempre, um pouco cansativo. – Max falou.

- Vejo tantas opniões diferentes. – falei.

- Estavamos acostumados a dormir, comer e farriar, agora começou a maratona de shows. -Nathan sorriu.

- Voltando a rotina. – Naree riu.

- Boa sorte. – Claire comentou.

- Galé to saindo. – Roxy passou correndo e saiu.

- Será que ela vai pedir o Nathan em casamento igual quando o Max estava fugindo desse jeito? –perguntei.

- Ela não é nem louca. – Jay sorriu.

- Pode apostar que sim. – gargalhei.

- Isso está estranho. - Nathan falou.

- Nós não sabemos de nada. – Naree comentou. - ela ficou assim depois do show. 

- hum Roxy e seus mistérios. – falei.

- Vai entender. – Tom se levantou. – alguém quer cerveja?

- Eu eu EU! - comecei a pular no sofá.

- Eu também. - Jay pediu.

- Trás pra todo mundo. – Max riu. – e rápido antes que a Megan tenha um treco.

- É, rapido rapido rápido. – pedi. - ainda não comemorei o meu noivado.

- Vocês noivaram faz uns quatro meses e ainda não comemoraram? – Jay riu. – fora que o casamento já é nesse final de semana.

- Não tivemos tempo desde então. – sorri.

- Também com a pressa do Max. – Siva riu.

- Tava com medo de eu desistir. – gargalhei.

- Apressado nem um pouco. - Nathan gargalhou comigo.

- Ah calem a boca. – Max cruzou os braços. – se a gente enrolasse muito era bem capaz de nos casarmos daqui uns quatro anos.

- Mas porque? - sorri o abraçando ainda ele estando de braços cruzados.

- Shows, tunês, entrevistas, fotos... isso responde?

- Nossa calma, só fiz perguntar. - me soltei dele e logo peguei a garrafa que Tom trazia de cerveja e dei um gole.

- Não falei por mal, mas é que estou cansado.

- Então sobe. – falei.

- Vish! - Nathan sorriu.

- Corte rápido. - Jay comentou.

- Se você quer isso. – Max se levantou e foi em direção as escadas.

- Não é que ele obedeceu. – Tom riu.

- Deixa ele ir. - me deitei no sofá encarando o teto.

- Ah Meg ele ta cansado. - Claire falou.

- É Meg, ele não parou um minuto. Saia do show e ia direto ver as coisas para o casemento. – Naree completou.

- Vocês querem que eu faça o que? Mal perguntei ele fica me tratando mal. - me sentei.

- Sei lá vai falar com ele. - Nathan rolou os olhos.

- Ta seu povo chato. - sorri e me levantei.

Subi as escadas e caminhei no corredor silenciosamente, abri a porta sem fazer muito barulho e o vi deitado na cama, de barriga para cima. Parei na porta e esperei ele se mover, mas ele não fez nenhum gesto que estava acordado, resolvi chama-lo.

- Max... está dormindo? - susurrei da porta.

- Hum? – ele murmurou e se virou pra mim.

- Nada... esta com raiva de mim? - falei baixo.

- Não...

- Não é o que parece.

- Só quero dormir um pouco e não discutir.

- Ah... tudo bem. - entrei no quarto e fechei a porta. Caminhei até a poltrona que ficava perto da cama e me sentei, envolvendo meus joelhos em um abraço.

- Você esta bem? Quero dizer...

- Sim, estou.

- Não parece. – ele se sentou.

- Sim Max eu estou bem. - virei o rosto para a janela.

- Não, não esta. – Max se ajoelhou na minha frente. – desculpa, eu não queria ter sido rude, ou algo do tipo.

- Eu sei que você está cansado com tudo isso, eu também estou Max. – olhei para ele.

- Eu sei, eu sei. Me desculpa Meg?!! – Max segurou as minhas mãos.

- Não tem o que se desculpar, eu que estava colocando pressão em você. – sorri. - Tem certeza que não ficou com raiva dos comentários dos meninos sobre a sua pressa de se casar? – perguntei.

- Lógico que não, eles falam isso por que eu vou me casar e ainda com a mulher mais incrível que existe. – Max me abraçou.

- Você que é incrível Max,  desculpa por tudo. - o abracei, sentindo algumas lágrimas descerem no rosto, não sabia se era de felicidade ou remorso por ter falado rude com ele.

- Ei, não chora amor. – ele fez um carinho leve na minha bochecha. – deixa pro casamento.

- Não posso chorar no dia ou minha maquiagem borra. – sorri.

- Não to nem ligando pra sua maquiagem. – Max riu.

- Eu vou parecer o coringa se isso acontecer. - gargalhei imaginando a cena.

- O que importa é que vamos nos casar, certo? – Max me aconchegou em seu peitoral e começou a mexer no meu cabelo.

- Sim, é o que importa. Mas, se eu aparecer toda borrada igual a um palhaço, as meninas me matam. - sorri fazendo um carinho em sua barba por fazer.

- Elas não são nem loucas de tentar fazer isso.

- Não brinca com elas, estou avisando. – sorri.

- Então, controle o seu choro.

- Ah não Max! - me sentei na cama o encarando. - sabe muito bem que sou chorona, mas vou tentar. – sorri.

- Que confusa. – Max riu. – primeiro fala que não vai chorar, depois que vai, depois que não de novo.

- Não sei dos meus hormônios até lá. – sorri.  – mas, vou estar bastante nervosa... ai Max nós dois casando. - me deitei de novo.

- É vamos nos casar. – ele sorriu.

- Imagina quando começarmos a morar na nossa nova casa? – sorri.

- Desde que aquilo não vire uma bagunça.

- Como assim bagunça?

- Eu digo, a casa desarrumada e essas coisas...

- Você acha que vou deixar nossa casa bagunçada Maximillian? - olhei pra ele. - não sou a Roxy ok?

- Ainda bem que não sou que nem o Nathan e o Tom.

- Ou iríamos sofrer com essa casa bagunçada. – sorri.

- É verdade. – Max riu.

Ficamos ali deitados pensando nas coisas até que ouvi o roncar baixo de Max, ele estava realmente cansado. Depositei um beijo leve em seus lábios e o ajeitei na cama para que dormisse mais confortável, fui para o meu lado e me deitei,nos cobrindo com o lençol e eu logo pegando no sono.

                                 Nathan's Pov

Acordei com um barulho soando alto do criado mudo ao lado da cama, me levantei coçando os olhos e Roxy se levantou em um pulo. Ela pegou o telefone e assim que olhou o visor, saiu da cama em direção ao banheiro e lá se trancou, fiquei olhando a cena e tentando imaginar o que eram ou quem era. Depois que ela voltou ontem, decidimos dormir e ficamos assim, sem nos falarmos muito. Caminhei até o banheiro e resolvi escutar a conversa, mas antes de chegar na porta, ela a abriu e ficou me olhando.

- Quem era? – perguntei.

- Er... a tia Rose. – Roxy sorriu nervosa.

- Ela não ligaria a essa hora... está me escondendo algo? – perguntei.

- Não, claro que não Nathan. – ela caminhou até o armário.

- Essas ligações, essas saidas, está me escondendo a verdade sim.

- Não tem nada demais, são coisas de família.

- Porque você não me fala a verdade Roxy? - me sentei na cama.

- Eu não estou mentindo. – Roxy andava de um lado para o outro.

- Roxy, você está me escondendo algo. Eu não escondo nada a você!

- Nathan eu não posso contar.

- Porque não pode? Agora vai esconder as coisas do seu próprio namorado?

- Ah questão não é essa. O problema não é meu, eu só estou ajudando.

- Você esta me enganando Roxy?

- Não Nathan, pelo amor, tenta me entender.

- Te entender? - me levantei. - como te entender se você esconde algo de mim Roxy?

- Nathan por favor, não vamos brigar por isso.

- Eu só estou pedindo a verdade Roxy, será que é tão dificil assim? - minha voz já estava mais alta e a encarava.

- Eu não posso contar... – ela já estava com os olhos marejados.

- Chega! Cansei. Não vou mais insistir nisso. - caminhei para a porta. - só quero que saiba, o que você esta escondendo, só mostra que não confia em mim. – falei.

- Para com isso, é lógico que eu confio em você.

- Não Roxy, não confia. - sai do quarto e bati a porta. Fiquei parado no corredor respirando fundo. Eu queria sair, dar uma volta, mas estava só de roupa de dormir e não queria entrar no quarto e vê-la, pois poderia começar outra briga.

- Hey Nath, eu e os meninos estamos jogando ta afim? – Jay perguntou passando por mim e indo até a escada.

- Não. - respondi um pouco ríspido.

- Eu eim, não precisava ser grosso também.

- Ah não enche Jay. - me virei e entrei outra vez no quarto. Roxy estava sentada na cama com os braços envolvidos nas pernas. caminhei até o guarda roupa e procurei uma blusa.

- Vou voltar pra casa. – Roxy murmurou.

- Não precisa, fique aqui. - me vesti rapidamente e sai do quarto, desci as escadas e todos estavam na sala jogando.

- Nem puxem papo com o Nathan, ele ta estressadinho. – ouvi Jay comentar.

- Alguém... pode sair comigo? - parei na porta, de costas para eles, balançando a chave do carro nas mãos.

- O que aconteceu? – Tom se levantou.

- Nada... preciso conversar com alguém. - falei baixo ainda sem encará-los.

- Vamos logo. – Jay caminhou até mim. Saímos de casa e logo estavamos percorrendo as ruas de Londres sem destino algum, sentia os olhos de Jay em meu rosto mas só encarava a rua a nossa frente.

- Ta legal Nathan, começa a falar.

- Roxy... ela está me escondendo algo. - pisei mais fundo no acelerador.

- Nathan não quero morrer tão cedo. – Jay falou e logo desacelerei. – você tem certeza disso?

- Ela atende telefonemas secretamente, anda muito pensativa e não quer me dizer o que é.

- E vocês brigaram certo?

- Sim.

- Espera um pouco cara, as vezes ela só precisa se sentir confortável pra falar.

- Não Jay, eu perguntei o que era e ela disse que não podia falar, que não era só comigo entende.

- Isso é um pouco estranho mesmo.

- Não é cara. - soquei o volante e apitou sem querer.

- Não precisa descontar no carro também. – Jay riu. – definitivamente eu não entendi, a Roxy geralmente não esconde nada.

- Isso é o que me intriga... se ela não quer contar, é porque ela não confia em mim.

- Sem drama Nathan, espera um pouco.

- Sem drama Jay? Pensei que estivesse aqui pra me apoiar.

- Ela deve ter algum motivo pra fazer isso não? Ah sei lá Nathan, a Roxy as vezes é complicada.

- Não sei, mas se ela não quer falar, não vou forçar a mais nada. – falei.

- Vocês dois são muito confusos.

- Ah Jay, te chamei pra eu tentar entender algo não pra ficar dizendo que sou confuso. – sorri.

- Foi mal Nathan, é que eu também não estou dos melhores.

- Estamos na mesma.

- É Nathan, estamos mal mesmo.  E o casamento, você e a Roxy vão entrar juntos.

- Acho que isso vai ser um pouco difícil... – falei.

- Se você quiser, eu entro com ela. A Tess não vai mesmo.

- E eu? – sorri.

- A Megan deve por outra pessoa pra substituir.

- É... talvez. E talvez seja isso que Roxy vá querer... pelo menos para não estragarmos o casamento.

- Ela deve estar totalmente estressada. – Jay riu.

- Imagino isso.

- Vamos parar de pensar nisso, certo?

- Vamos tentar não é? – sorri.

- Sim!! – Jay sorriu.

- Nossa que emplogação toda é essa?

- O casamento ta chegando.

- E? Não é você que vai casar. – sorri.

- Mas vai ter bebida, e mulheres.

- Jay... você não gostava da Tess?

- Eu gosto, e muito. Mas ela só me ignora e isso já faz meses.

- Jay... vamos manter a calma tá, olha... se ela não der as caras, você parte pra outra, sei lá.

- Falar é fácil.

- Ah Jay, mas é melhor você continuar a vida do que ficar tentando algo que até agora não existe. – falei.

- É eu sei...

- Então... chegamos. - desliguei o motor em frente a casa.

- A Roxy vai continuar aqui?

- Não sei. Eu falei para ela ficar, mas ela nunca me obedece. - abri a porta e sai.

- Mais teimosa que aquela garota, impossível. – Jay saiu do carro. Caminhamos até a casa e assim que entramos, todos que estavam murmurando baixo, pararam e nos encararam, mais especificamente a mim.

- O que você fez pra Roxy? - Megan se levantou rapidamente e veio a toda velocidade até mim, eu até pensei que ela ia me bater.

- Eu? Nada! Porque? - perguntei me afastando um pouco.

- Ela saiu daqui chorando. Foi para o apartamento aos prantos! - Megan começou a dar os seus ataques.

- Não falei Jay. Ela não me escuta. - coloquei a mão no rosto pensativo.

- Perai Megan, volta a fita. Ela tava chorando? – Jay perguntou surpreso.

- Sim Jay, estava. - ela me encarou.

- Eu não tenho culpa! Ela que está me escondendo algo! – falei.

- Ela não falou nada, só saiu correndo e bateu a porta. – Tom comentou.

- Você ta falando daquilo...? - Megan parou.

- Aquilo o que? – perguntei.

- Nada, esquece. - ela falou com raiva.

- E agora como vai ser no casamento? – Jay se jogou no sofá.

- Falando em casamento... Jay arranjei o seu par. - Megan tirou os olhos de mim e caminhou até ele no sofá.

- No caso, o do Nathan... eu vou entrar com a Roxy agora. – Jay respondeu.

- Ah legal vão bagunçar meu casamento agora. - Megan se jogou no sofá.

- Alguém vai explodiiir. - Siva cantarolou.

- É só eles Meg, relaxa. – Max sentou a lado dela.

- Ok, tudo bem, vamos ajeitar tudo outra vez. Jay e Roxy, Nathan e... acompanhante. - Megan falou.

- Tudo bem. – falei.

- Podemos saber quem é essa acompanhante? - Claire perguntou.

- Eu também queria saber já que sou eu que vou entrar. – falei.

- Segredo, não posso contar. - Megan sorriu.

- AH CHEGA DE SEGREDOS POR HOJE. - gritei e subi as escadas para o meu quarto. me joguei na cama e passei a tarde toda assim, sem me mover.
                                                                         . . .
“Depois de mais um dia conturbado para os casais, o casamento finalmente chegou. As garotas estavam reunidas no apartamento da Megan, enquanto os meninos estavam em casa. Roxy e Nathan não conversavam desde a briga, ela não saia do apartamento pra nada assim como o garoto não saia de casa. Jay continuava triste e se afogando em bebida. Tom, Claire, Nareesha e Siva continuavam na mesma, cada dia mais próximos. Megan e Max estavam ansiosos demais e não conseguiam conter a felicidade, chegava até a irritar os outros casais falando sobre o casamento.”

                                       Jay’s Pov

Estávamos muito nervoso. Enquanto estava no meu quarto, fechando o ultimo botão do terno, conseguia ouvir o desespero dos outros.

- COMO AMARRA ISSO? - ouvi Siva gritar.

- GENTE CADÊ MEU SAPATO? - Nathan passou no corredor correndo.

- Estou todo amassado? - Max entrou no meu quarto perguntando e se virando para eu ver a sua camisa preta de dentro.

- Não Max! - falei rolando os olhos e logo ele saiu.

- ESSA GRAVATA PARECIA MENOS COMPLICADA NO DIA QUE FOMOS EXPERIMENTAR. - Tom estava gritando no corredor. Parece que eles não sabiam mais funcionar sozinhos, as meninas tinham que está ali para ajudar, mas elas estavam se ajeitando no apartamento de Megan. Dei uma ultima olhada no espelho, estava pronto. Ajeitei um pouco o cabelo e sai do quarto, digamos que nenhum deles estavam prontos.

- Só eu que estou pronto nessa casa? – bufei.

- Ah Jay você se ajeitou primeiro. - Nathan falou calçando os sapatos.

- Então, eu vou indo até o apartamento e de lá eu ja vou para o local da cerimônia. – falei.

- A gente nem consegue se arrumar direito e você vai sair? – Max estava desesperado.

- Calma Max, eu vou no apê ver como as meninas estão. - caminhei até ele e segurei em seus braços-para de nervosismo cara! – sorri.

- Eu vou me casar cara, não tem como ficar calmo. – ele sorriu largamente.

- Pensa assim, daqui a pouco você vai estar no altar esperando ela, que vai ser a mulher da sua vida. - o abracei.

- Na verdade ela já é. Mas obrigado pela força. – Max retribuiu o abraço. – agora vai logo e me liga falando como a Megan esta.

- Não, isso eu não vou dizer. - sorri e sai da casa. Peguei o carro que estava disponivel para mim e fui até o apartamento, cumprimentei o porteiro que já nos conhecia e subi até o mesmo. Toquei a campainha e logo em seguida a porta foi aberta.

- Gente deixaram um principe na porta. - Claire falou sorrindo.

- Obrigado! - passei a mão na testa tirando um pouco os cabelos do meio. - posso entrar?

- Claro! - ela sorriu e me deu passagem. Entrei no apartamento e na sala estavam os pais das meninas, a mãe de Megan e as primas delas, cumprimentei a todos.

- Meu acompanhante esta a coisa mais linda. – Roxy sorriu vindo até mim.

- Oi Roxy, uau, você esta linda. - beijei a sua bochecha e a analisei, estava perfeitamente incrível aquele vestido dela.

- Obrigada!! – ela sorriu largamente.

- Jay você esta perfeito. – Naree sorriu. – o Siva veio?

- Obrigado Nareesha, vocês todas estão magníficas. - a abracei. - não, o Siva ainda não veio, porque estava uma confusão aquilo lá, mas ele vai passar aqui para te pegar. – sorri.

- Ok então. – ela sorriu e foi ajudar a Megan.

- Jay e como esta o Nathan? – Roxy perguntou diminuindo o tom de voz.

- Ele está triste, na dele, não sai do quarto, passa o dia na TV. - falei.

- Aah! – ela abaixou a cabeça e suspirou.

- Não fica assim, hoje você vai ver ele. - puxei seu rosto. - e além do mais, Meg não vai querer ver você triste.

- Eu vou mais por que quem vai casar é a Megan, por que se não, nem iria. Acho que não vou ficar para a festa.

- Nada disso, você vai ficar sim. – falei.

- Mas Jay... o Nathan não quer nem olhar na minha cara.

- Foda-se o Nathan. Você vai entrar comigo, e vai passar a festa comigo. - sorri para ela. - lembra, como a gente era antes.

- Um dando força para o outro... – Roxy sorriu. – obrigada Jay, não sei o que faria sem você.

- Também nem eu mesmo. – gargalhei. - agora vamos, quero ver a Megan. - comecei a caminhar pelo corredor.

- Ela esta no quarto, vem. – Roxy me puxou. Roxy deu duas batidas na porta e ouvimos Nareesha que estava lá dizermos para entramos.

- Gente meu cabelo. - Megan estava sentada em uma cadeira de frente para o espelho dando os ultimos retoques.

- Olha é o Jay! - Nareesha falou.

- Oi de novo. – sorri e Megan logo se levantou para me dar um abraço. – Megan você esta maravilhosa, incrível... perfeita.

- Você que esta lindo gente, ai meu Deus eu vou chorar. - ela me abraçou.

- Começou... ela está uma manteiga derretida hoje. - Claire entrou no quarto.

- Nada de chorar dona Megan. – Roxy falou.

- É mesmo Megan, hoje você tem que segurar. – sorri.

- Ai gente eu não aguento, você está lindo Jay, um príncipe. - ela sorriu.

- E você está perfeita, uma rainha. Agora termina de se arrumar antes que o Max se desespere pela sua demora.

- Como ele está? Ele está bem? Está bonito? Ele está me esperando? - ela começou a fazer várias perguntas.

- Calma Megan! - Nareesha a puxou.

- Respira garota. – comecei a rir. – vamos indo Roxy?

- Já?

- Uhum, os meninos do jeito que estavam, bem capaz que já estão saindo.

- O Tom chegou. - Claire adentrou o quarto dando pulinhos. - e lindo demais. - ela se abanou.

- Então o Siva está ai. - Nareesha saiu do quarto junto com Claire.

- Vamos logo então. – puxei Roxy.

- Espera! E eu? - Megan perguntou.

- O carro já está te esperando lá embaixo junto com seu pai e sua mãe para te levarem ao local. –falei.

- Meg, vai dar tudo certo. – Roxy a abraçou. – só respira fundo e conta até dez.

- Trinta pode ser? - ela sorriu.

- Megan, estamos te esperando no local da cerimônia. Não fuja. - sorri a abraçando.

- Nunca. Eu sei que o Max está me esperando. - ela sorriu. Saímos do quarto e caminhamos até a sala. Christian e as primas de Roxy ja tinham ido e só estavam na sala Tom, Siva, Rose e August junto com as meninas.

- Estámos indo. - falei assim que aparecemos na sala.

- Ok! Eu e o Siva vamos daqui a pouco. – Tom sorriu.
Acenamos e descemos para o carro, fomos até o local jogando papo fora, nada no contexto. Estacionei o carro e ajudei Roxy a descer, passamos pela sala de recepção e chegamos a sala onde seria a cerimônia. Estava tudo lindo e maravilhoso, alguns convidados já estavam ali e perto do local onde o padre ficaria estavam Max e Nathan conversando.

- Oi meninos. - falei assim que me aproximei e senti Roxy escapar de meus braços, quando a olhei ela estava caminhando para fora do local.

- Ela não gostou de me ver. - Nathan falou.

- Deixa, eu vou atrás dela. - falei e sai, ela estava do lado de fora do local. - Roxy, não fica assim. – pedi.

- É impossível ficar bem perto do Nathan, Jay. – ela falou olhando para a seu anel. – não sei por que ainda estou com isso aqui, faz uns quatro dias que a gente não se fala, parece que acabou tudo, é tão difícil.

- Não Roxy para! - peguei sua mão e empurrei o anel em seu dedo outra vez. - ele ainda te ama, ele ainda é seu, assim como você é dele. - suspirei e a encarei. - olhe, se você tem algo a esconder dele, fale a verdade.

- Mas eu não posso. – ela abaixou a cabeça. – não é sobre mim Jay, é sobre outra pessoa e eu prometi não contar isso a ninguém. Eu não posso quebrar uma promessa assim, e ele não entende isso, acha que eu não confio nele Jay...

- Vamos deixar disso então, tudo bem? - a abracei e beijei sua testa. - quando você puder contar, corra pra ele e fale, não deixe isso acabar por uma besteira. - falei sentindo meu coração apertar lembrando de Tess.

- Eu não vou conseguir correr até ele e falar tudo Jay, eu não quero ficar ouvindo aquela sarcamos dele. Além do mais eu não estou errada, estou cumprindo uma promessa e se ele não entende isso, o problema é dele. Se quando ele descobrir ele quiser vim conversar tudo bem, mas por enquanto não da. – ela retirou o seu anel. – entrega pra ele, por que o que eu menos sinto agora é como se ele fosse meu. – Roxy se levantou  e saiu.

- Roxy, Roxy! - me levantei mas ela estava já distante, fiquei olhando o anel em minha mão.

- JAY! - alguém me gritou e quando olhei, era Lia.  Ela estava parecendo uma princesinha, correndo até mim.

- Hey pequena! - coloquei o anel em meu bolso e me agachei para abraça-la. - sabia que iria vir.

- Tinha que ser a dama de honra do Max. - ela sorriu. - gente, dama de honra do meu ídolo. - ela parecia não acreditar.

- Sim! – sorri. - como veio? - perguntei na esperança de Tess ter vindo.

- Mamãe. - ela apontou para a senhora que ascenou para mim, sorri e ascenei, mas estava um pouco triste.

- Está linda. – falei.

- Você também Jay. - ela sorriu.

- Agora entra antes que Max tenha um ataque. Eles vão te mostrar aonde você deve ficar. - falei e ela ascentiu e correu até a sua mãe de volta. Fiquei ali parado até que vi os carros dos meninos se aproximando, a imprensa estava se expremendo no portão do local para clicar algo do casamento.

- Hey! - Siva falou assim que se aproximou com Nareesha.

- Como esta tudo lá dentro? – Claire perguntou ansiosa.

- Ainda bem que chegaram. - Nathan saiu do lado de fora e logo atrás Max o acompanhou. Tom e Claire se aproximaram de nós.

- Uma foto? Pra ficar pro album “zoação do casamento”. – falei. primeiro tiramos foto com as meninas e logo depois uma de nós 5 da banda (Foto).

- Agora vamos Tom, quero ver como esta lá dentro. – Claire arrastou o Tom e logo os dois sumiram de vista.

- Onde está a Roxy? - Nathan perguntou.

- Ela foi respirar um pouco. - pensei em entregar o anel, mas pensei melhor ficar com ele guardado. Não queria ver meu amigo triste, já bastava a Roxy naquele estado. Max esperou a mãe dele na frente do local, pois os dois tinham que entrar juntos. Vi o carro que Megan vinha dentro entrar no estacionamento e logo ser bombardeado de flashes.

- Gente, ta na hora. - falei e todos ascentiram. Roxy, que estava em algum lugar perto dos carros, veio até mim. Peguei em seu braço e sorri. - A entrada dos padrinhos ja vai começar.

- Então vamos lá para mostrar os padrinhos mais bonitos que o mundo já viu. – Roxy riu.

- Vamos. – a puxei.

A musica de entrada soou e todos os convidados ficaram de pé. Siva e Nareesha foi o primeiro casal de padrinhos, eles entraram e logo se posicionaram ao lado da bancada do padre depois Tom e Claire, que fizeram o mesmo caminho, e logo chegou a nossa vez.

- Vamos lá. - sorri para Roxy e entramos.

 Caminhamos normalmente, com o fotógrafo oficial tirando várias fotos nossas. paramos onde estavam Siva e Nareesha e esperamos Nathan e a acompanhante entrar.

- Estou ancioso pra esse casamento. - cochichei para Roxy.

- E eu estou ansiosa pra ver a cara de merda do Nathan quando ele perceber a cagada que fez.

Fiquei sem entender o que ela tinha falado e logo vimos Nathan entrar pela porta principal. Todos olhavam atentamente, mas simplesmente um sorriso brotou de meus lábios. Ela estava linda, com seus cabelos em channel um pouco preso, ela andava de encontro a nós, de braços dados a Nathan, que estava sério.

- Tess... - silibei baixo enquanto eles ainda entravam. Ela sorria diretamente para mim, com seus olhos pousados nos meus.

                                     Max’s Pov

Eu já estava entrando em delírio, parecia que os padrinhos não acabavam. O lugar estava muito bem decorado, não tinha o que reclamar, também com todo o trabalhos que nós tivemos aquilo tinha que ficar perfeito mesmo. Assim que todos entraram a musica Paradise do Coldplay soou, finalmente eu veria a minha noiva. Lia entrou primeiro jogando algumas pétalas de rosas no chão, enquanto meu sobrinho a ajudava. Fixei meu olhar mais afundo, Megan e August tinham acabado de adentrar o local, não pude deixar de sorrir ao ver o quão maravilhosa ela estava, o que eu estava sentindo era indescritível, a teria como esposa, a mulher da minha vida, a mulher que me completava, que me fazia sentir único, que melhorava os meus dias.

Ela caminhava lentamente até mim com um sorriso largo no rosto, mas não pude deixar de ver uma lágrima escorrer pelo seu rosto. Todos que estavam ali não controlavam os sorrisos, até mesmo Nathan e a Roxy que estavam brigados conseguiam sorrir e demonstrar toda a felicidade do mundo. Quando já estavam bem próximos, August deu um beijo na testa da Megan e assentiu sorrindo. Tomei-a pela mão, e nos posicionamos diante do padre que começou a cerimonia. Eu quase não prestava atenção nas palavras dele, tudo o que eu pensava era em como a Megan estava linda e de como eu tinha sorte de te-la ao meu lado.

- Maximillian Alberto George, você aceita Megan Stark como sua legitima esposa? – o padre perguntou, provavelmente pela segunda vez já que notei um certo olha curioso sobre mim.

- Eu aceito. – sorri largamente para Megan.

- E você Megan Stark, aceita Maximillian Alberto George como seu legitimo esposo?

- Eu aceito. – Megan sorriu.

O padre falou mais algumas coisas até que Lia trouxe as nossas alianças, fizemos nossos votos e colocamos as alianças calmamente. Pra que pressa? Aquele momento tinha que ficar marcado para sempre em nossas memórias, todos os detalhes, expressões, emoções, sentimentos...

- Agora você já pode beijar a sua esposa. – o padre comentou em um tom divertido.

Sorri com aquelas palavras, agora sim a Megan era só minha. Minha esposa, minha mulher, minha garota, minha baixinha... Me aproximei dela, ambos estávamos com sorrisos enormes no rosto, coloquei as mãos levemente em sua cintura e a puxei até nossos lábios se encotrarem. Demos um selinho demorado e pude ouvir os assobios, e a gritaria. Assim que nos separamos, encostei as nossas testas e fiquei apenas analisando o rosto dela, mais algumas lágrimas percorreram o seu rosto, e eu fiz questão de limpa-las e comecei um carinho em sua bochecha.

- Minha esposa. – sussurrei sorrindo. Megan não teve nem chance de falar alguma coisa, já que o Tom fez questão de pular nas minhas costas.

- Meu careca casou. – Tom falava animado.

- Parabéns pra quem disse que não sabia se ia ter um namoro com a Megan agora está casado. -Nathan me abraçou.

- As coisas mudam Nath. – pisquei.

- O careca crescendo. – Jay me abraçou.

- Não acredito que vamos ficar sem o carequinha na casa. – Siva empurrou Jay e me abraçou sorrindo.

- Parem de drama, a gente vai morar perto de vocês e vamos nos ver sempre. – sorri.

- Ei! Parece que o Max casou sozinho? - Megan fingiu raiva.

- Estávamos esperando as meninas saírem. – Siva riu.

- Vem cá pequena. – Tom sorriu e abriu os braços.

- Maax! – Naree gritou e me abraçou. – parabéns carequinha.

- Obrigado Naree. – sorri.

- Parabéns Max. – Claire sorriu e também me abraçou, assim como a Tess e a Roxy.

- Acho bom você cuidar dela. – Roxy sorriu.

- Pode deixar que ele vai cuidar sim. - Megan parou ao meu lado.

- Então, que tal irmos para a festa agora? – Tom perguntou. – to querendo beber.

- Apoiado! – Roxy sorriu.

- Vamos para a festa pessoal! - Jay chamou a todos.

- Max! - August se aproximou.

- Hey August. – o abracei.

- Parabéns, você esta levando consigo o meu bem mais precioso. - ele sorriu.

- Obrigado! Mas eu nunca levaria ela de você, ela sempre será sua filha. – sorri. – prometo cuidar muito bem dela.

- Assim espero viu rapaz. - ele sorriu.

- Vamos August para a festa. - Christian chamou. - Parabéns Max! - ele me abraçou.

- Obrigado Christian. – sorri.

- Vamos amor? - Megan chamou.

- Claro! – sorri. Peguei em sua mão e dei um beijo bem no topo, caminhamos tranquilamente até o salão de festas que ficava do outro lado, a decoração também estava perfeita, e todos pareciam já estar se divertindo. Megan logo se soltou de mim e foi com as meninas pegar alguma coisa para beber enquanto eu e os meninos nos sentávamos em uma das mesas. Começamos a beber e a conversar tranquilamente, eu lógico, estava maneirando nas minhas doses, não podia ficar bêbado. Avistei a Megan e as meninas dançando animadamente na pista, acho que pessoas mais felizes que nós dois naquele momento não existia.

- Megan... suba aqui para jogar o buquê antes que você beba demais. – Rose riu falando ao microfone em cima de um palco improvisado.

- Estão prontas? – Megan gritou e se virou de costas, fiquei apenas analisando a cena. Todas fizeram uma contagem regressiva e ficaram esperando a Megan jogar. Pude ve-la fechando os olhos e o jogando para trás. Quem pegou? Com certeza não foi a Roxy, já que ela estava em outra ponta conversando com seu pai, Naree nem chegou perto, enquanto a Claire estava praticamente em cima da tia Rose.

Tess que estava um pouco mais ao canto esquerdo acabou ganhando. Ela sorriu e pude ver o sorriso do Jay aumentar assim que ela olhou em sua direção. Logo todos se juntaram na pista de dança, uma musica mais lenta tocava e a Megan dançava com o seu pai. Me levantei da mesa e caminhei até ela, segurei o ombro de August e lhe pedi permissão para dançar com a Meg, ele assentiu e foi puxar Rose para dançar. Segurei na cintura da Megan, enquanto ela passava as mãos ao redor da minha nuca, colei nossas testas e fechei os olhos apenas aproveitando aquele momento, trocamos alguns beijos, mas logo voltávamos a  fechar os olhos e curtir o momento.

                                      Nathan’s Pov

Depois que todos estavam dançando (quase todos que Jay ainda estava sentado ao meu lado) fiquei bebendo encarando o nada e pensando na burrada que eu tinha feito. Sim, eu realmente tinha errado em julgar a Roxy. Ela apenas estava escondendo um segredo de Jay, pois ela queria fazer surpresa sobre Tess. Estava com muita raiva de mim, tanta que sem querer bati o copo com força na mesa

- Opa Nathan calma aê. Ou você já ta bêbado que esta pesando a mão ou esta com raiva. - Jay falou.

- Raiva Jay, isso é raiva. Como eu pude ser tão burro? - o olhei.

- Se tocou que o segredo que Roxy estava planejando era Tess não é? - ele olhou para ela do outro lado do local e me encarou outra vez.

- Sim cara, agora ela está com raiva de mim. – falei. - como eu fui tão idiota.

- Desculpa cara, eu sei que isso vai ser pior mas eu tenho que te entregar. - ele começou  a mexer nos bolsos.

- O que... - ia perguntar mas parei quando ele estendeu a palma da mão, mostrando o anel de Roxy.

- Eu não queria te entregar, não queria te ver assim, mas ela me pediu pra te mandar isso, ela disse que não sabe como vocês estão agora, já que faz 4 dias que você não fala com ela e... - eu não ouvia mais nada, eu apenas encarava o anel na mão de Jay. O peguei e fiquei olhando, ela estava triste, magoada, e achava que não tinhamos mais nada. Mas eu não queria terminar com ela, nunca quis, nunca saiu da minha boca isso, me levantei rapidamente.

- Hey! Aonde você vai? - Jay perguntou.

- Resolver minha vida. - bebi o ultimo gole e sai em direção a mesa de doces do local, onde Roxy estava conversando com Nareesha. Me aproximei sem ela me ver e parei na frente das duas, com as mãos nos bolsos.

- Roxy, posso falar com você? - pedi baixo.

- Eu vou procurar o Seev. - Nareesha sorriu e saiu de perto de nós.

- Fala Nathan... – ela falou  baixinho.

- Olha só... - parei e respirei fundo. - me desculpa Roxy, eu sei que me precipitei em tudo naquele dia. Eu não deveria ter te pressionado tanto, afinal, o segredo era seu. Mas eu sou idiota, admito isso, me perdoa por favor Roxy, eu estou tão transtornado sem você. - retirei a mão do bolso e mostrei o anel. - o Jay me deu isso, e doeu muito em mim saber que você não me tem mais como namorado. - abaixei a cabeça.

- Você não me deixou escolha Nathan, você ficou tão distante esses quatro dias que eu nem sabia mais quem você era, eu realmente não sabia se você ainda era meu, mas eu sempre fui sua, e isso não vai mudar. Mas você não tem ideia do quanto doeu te ouvir falar tudo aquilo, ainda mais sobre a parte de eu não confiar em você. Saber que você desconfiava disso me deixou péssima.

- Me desculpa, por tudo, por favor, você sabe o jeito que eu sou, falo as coisas sem pensar. Por favor me perdoa Roxy, se você não quiser mais nada comigo eu entendo... eu vou ter que entender na verdade. - parei pensativo. - mas eu vou tentar superar, mas só me desculpa por favor.

- Nathan pelo amor, eu te amo você acha mesmo que eu não vou querer nada com você? É que eu só fiquei assustada, eu nunca tinha ouvido você falar daquele jeito...

- Eu estava... estava com medo de você estar me traindo. - suspirei pesado.

- Meu Deus Nathan, você não acredita quando eu falo que te amo? Você acha mesmo que eu seria capaz de te trocar depois de tudo o que a gente passou? Depois de ter recusado um contrato por sua causa?

- Não Roxy, é que eu sou inseguro. Eu te amo Roxy... você aceita de volta? - estendi o anel para ela.

- É claro que eu aceito Nath! – ela sorriu.

- SÉRIO?!?! - falei um pouco alto e feliz.

- Uhum, caramba garoto eu te amo. – ela me abraçou.

- Eu também te amo meu amor. - rodei ela e selei nossos lábios em um beijo quente.

- Senti falta disso. – ela sorriu entre o beijo. – e do seu perfume também.

- E eu do seu abraço, do seu beijo, do seu toque. - encostei nossas testas.

- Por favor, não fica mais longe. – ela fechou os olhos. – é tão ruim saber que você não esta por perto, se sentir sozinha.

- Eu sei... a minha também não estava boa assim que você saiu, fiquei até magro olha. - passei a mão dela na minha barriga.

- Não é que você emagreceu mesmo? – ela riu. – eu não parava de beber, a Megan já estava ficando louca.

- Roxy, o que eu já falei sobre beber? - a repreeendi.

- Você fez isso comigo, não me culpe. Eu não tinha ninguém, a Megan não parava um segundo, a Claire e a Nareesha ficavam falando do Tom e do Seev... eu não tinha nada.

- Ta, mas promete não ficar se afundando na bebida?

- Você promete não fazer mais isso?

- Sim Roxy, prometo tentar não dar minhas insanidades com você. – sorri.

- Prometo maneirar na bebida então.

- Que bom. – a beijei novamente.

- Olha Max! Já estão de bem. - Megan apareceu do nosso lado, pegando alguns doces na mesa.

- É depois de uma quase separação e alguns pedidos de desculpa... – Roxi sorriu fraco.

- É verdade. – falei.

- Eu pensei que vocês nem voltavam mais. – Max comentou. – vocês nunca ficaram quatro dias separados.

- Ah Max mais eles se amam. - Megan sorriu para nós.

- Foi só uma briga, sempre nos resolvemos. - abracei Roxy.

- Sempre mesmo. – Roxy entrelaçou as nossas mãos.

- Vocês dois não conseguem ficar separados nem por uma semana. – Max revirou os olhos.

- Max! O que é isso? - Megan bateu em seu braço.

- Está vendo né? Ele que ta contra nosso namoro. – sorri.

- Tenho que me preocupar com a minha cunhada. – Max sorriu.

- Awn que amor. – Roxy apertou as bochechas dele.

- Vocês são hilários. - falei sarcástico.

- Ah Nathan, olha que amor. – Roxy sorriu.

- É Nathan, para de ser estressado. Se diverte. – Max sorriu e puxou a Megan para dançar.

- Vamos deixar isso de lado e fazermos um brinde? - Megan chamou o garçom que trouxe taças.

- O Nathan não quer deixar eu beber. – Roxy cruzou os braços.

- Moderadamente. - falei para ela.

- Champanhe pode. - Megan nos entregou as taças.

- O que vamos brindar amor? – Max perguntou.

- A nossa felicidade, e a reconciliação de Roxy e Nathan. - ela sorriu.

- Parece justo. – falei.

- Muito justo. – Max falou.

- Então um brinde, a nossa felicidade,as reconciliações e outros fatos. - levantamos as taças e nós quatro batemos uma nas outras.

- Hum esse champanhe é bom. – Roxy sorriu.

- É sim. – sorri.

- Tem mais ai?! – Roxy chamou o garçom.

- Pede pra mim também. – Max pediu.

- Já vão começar a se embebedar? - a olhei.

- Depois o Max ta bâbado e eu não sei o que fazer. - Megan o repreendeu.

- Relaxem. – Roxy riu.

- É se divirtam. – Max puxou Megan para dançar.

-  Não beba demais. – pedi.

- Nem uma tequila? – Ela fez voz de choro.

- Só uma. - sorri e a abracei. - é muito bom ter você de novo.

- É bom estar com você de novo. – Roxy mordeu minha bochecha.

- AI! - gritei e gargalhei logo em seguida.

Ficamos trocando carinhos ali por alguns minutos, na verdade não sei quanto tempo se passou, porque o que mais me importava naquele momento era estar com Roxy. Depois de um tempo ela queria dançar, então puxei-a para a pista de dança. Ficamos ali sendo embalados por uma musica lenta, nossas testas coladas e ela sorrindo para mim, enquanto eu apenas a olhava no fundo dos olhos. Encostei nossas bocas e a beijei levemente, ainda continuando dançando sem me importar com nada, apenas com ela.

                                   Tess’s Pov

Eu já estava cansada de fugir do Jay, esses últimos quatro meses tiham sido completamente torturantes. Eu admito que fiquei com medo da reação dele em relação ao que eu disse, eu nem mesmo sabia se ele sentia o mesmo, afinal ele podia ter quem ele quisesse, a hora que quisesse. Mas, nos último mês eu percebi que não ia adiantar ficar me esquivando, então combinei com a Roxy de aparecer de surpresa no casamento, apenas ela e a Megan sabiam e eu havia pedido para que elas guardassem segredo. Infelizmente acabei causando problemas para a Roxy, mas como ela e o Nathan se amam, conseguiram se reconciliar. Enquanto ao Jay, eu ainda não o tinha visto na festa, apenas na hora do casamento, e ele estava completamente lindo, perfeito.

Me sentei em um dos bancos que tinha na área aberta, apenas para sentir a brisa e o silêncio. Fechei os olhos e lógico me peguei pensando no Jay. Droga! Por que eu sempre tinha que estragar tudo, se eu não tivesse falado aquilo, não estaria aqui tentando me esconder, como sempre.

- Mas que droga, por que você tem que ser tão perfeito Jay? – abaixei a cabeça.

- As vezes eu não sou. - sua voz soou perto do meu ouvido.

- É sim. – continuei sem encara-lo.

- Não , não sou. Se fosse, não tinha deixado você escapar. - ele se sentou na cadeira a minha frente.

- A culpa não foi sua, eu que falei demais. – suspirei.

- Não, pare de se culpar. - ele puxou meu rosto para encará-lo. - eu... eu deveria ter te procurado.

- Você não tinha obrigação nenhuma de fazer isso...

- Mas eu gosto de você.

- Jay, por favor, não piora as coisas. Não se sinta obrigado a falar isso por que eu estou mal.

- Por favor acredita em mim, eu gosto de você Tess.

- Você tem certeza que você quer ficar comigo Jay? Você pode ter quem você quiser...

- Se eu tenho certeza? Mais do que isso, eu quero você pra mim, te chamar de minha.

- Eu... eu... – gaguejei, ele estava falando aquilo mesmo? – meu Deus Jay, eu não tenho o que falar.

- Não precisa falar nada. - ele se aproximou e selou nossos lábios em um beijo profundo.

- Se eu soubesse não tinha fugido. – mordi seu lábio inferior.

- Se eu talvez tivesse te contado, você não tinha fugido. - ele sorriu entre o beijo.

- É você teria me poupado muitas lágrimas. – fechei os olhos, tinha certeza que estava corada.

- V-você chorou? - ele estava surpreso.

- Poxa Jay, eu gosto de você. Não sabia o que fazer quando eu falei tudo e você não fez nada.

- Você não deu chance de eu me pronunciar antes de bater a porta na minha cara.

- Eu fiquei com medo da sua resposta.

- Você não sabia a minha resposta.

- Por isso mesmo Jay, eu sou só mais uma garota qualquer, você pode ter as mulheres mais bonitas do mundo quando você quiser, o que iria querer comigo??

- Você não é mais uma garota. É a garota, a que eu estava esperando. - ele sorriu. - olha, uma vez os meninos perguntaram se eu já tive alguém especial, eu disse que nunca, mas agora, eu encontrei você. - ele piscou.

- E você é o cara que eu estava esperando. – encostei nossas testas. – eu gosto muito de você Jay.

- Eu também gosto muito de você. - ele sorriu.

- É maravilhoso ouvir isso. – selei nossos lábios em um beijo calmo e um sorriso surgiu em meu rosto, tinha como alguém ser mais perfeito que James Mcguiness? Não, com certeza não.

- Então... podemos voltar a tudo como era antes?

- Sim... – sorri.

- Isso é perfeito. - ele beijou minha bochecha.

- Tess você... oh meu Deus. - Lia se aproximou.

- Oi Lia. – sorri largamente.

- V-vocês estavam...você e Jay...

- Bem... eu... nós...

- É... nós... - Jay coçou os cachinhos.

- Para! Eu já sei. - ela falou séria.

- Como você sabe? – perguntei surpresa.

- Eu vi tudo ainda pouco. - ela ainda nos encarava.

- Olha Lia, você...

- Para Jay! Estou chatiada porque você está com a minha irmã e não me contaram nada. Eu sou sua fã e não me contou, e você Tess, é minha irmã. - ela estava emburrada.

- Lia, eu e o Jay não nos vimos por uns quatro meses, então não tinha o que contar. – falei calma.

- Vocês estavam juntos assim que se conheceram?

- Mais ou menos.

- Eu não acredito. - ela falou com raiva.

- Lia vem aqui... - Jay a colocou em seu colo. - eu gosto da Tess. Quando a conheci, senti que ela poderia ser a garota que me completava, e devo tudo isso a você, que virou minha fã e me reconheceu naquela lanchonete, me fazendo conhecer sua irmã e gostar dela muito mesmo. Eu estou tão preso a ela... eu não sei se você entende isso, mas...

- Jay...eu entendo sim. - ela ficou encarando seus olhos. - eu não estou brava por vocês se gostarem, é só apenas que vocês esconderam de mim.

- É que a gente não queria falar nada pra ninguém ainda Lia, era algo muito recente, nem sabíamos direito o que estávamos sentindo. – falei.

- Tudo bem. - ela sorriu. - agora vou comer docinhos que a mesa está ótima. - ela desceu do colo de Jay e saiu correndo.

- Essa menina é doida. – comecei a rir.

- Ah ela estava meio abalada. - ele sorriu.

- Ela estava fazendo cena pra gente confessar tudo logo, ela nem deve ter visto a gente se beijando.

- Também pensei isso. - ele gargalhou. - esperta como a irmã.

- Ela teve pra quem puxar. – sorri.

- Percebi. - ele rolou os olhos.

Eu e o Jay ficamos conversando por mais alguns minutos, ta bom eu confesso, a maioria das vezes estávamos nos beijando, e cada vez mais intensamente, mas quando eu percebia que podia se tornar outra coisa eu partia o beijo. Nos levantamos assim que ouvimos a Megan e o Max chamarem todos para cortarem o bolo e para mais alguns brindes.

                                    Megan's Pov

Definitivamente, estava sendo o dia mais feliz da minha vida. Agora eu era oficialmente Megan Stark George, e a felicidade era tanta que mal conseguia me controlar em segurar um talher para cortar o bolo. Todos estavam nos olhando, flashes e mais flashes em cima de nós. Max se posicionou atrás de mim, e segurando a minha mão, partimos o bolo com o primeiro pedaço. As pessoas começaram a bater palma e olhei para Max, que assim como eu, estava com um sorriso enorme no rosto. Agora sim ele era meu, meu esposo, meu amor. Beijei a ponta do nariz dele e entreguei o pedaço de bolo.

- Parabéns! – sorri.

- Haha gracinha. – Max revirou os olhos.

- Sempre. – pisquei.

- Vê se esta gostoso. – Max passou o glacê do bolo no meu nariz e começou a rir.

- Ah Max! - gritei surpresa. - você me sujou! - passei o dedo na colher e esfreguei e repeti o ato nele.

- Você também me sujou. – ele passou agora na minha bochecha e depois a beijou. – huum docinha.

- Está bom? - perguntei corando.

- Está maravilhoso. – Max beijou a ponta do meu nariz.

- Deixa eu provar. - passei glacê nos lábios dele e o beijei. - está mesmo bom. - sorri.

- Acho que você não sentiu o gosto direito. – Max sorriu e passou glacê na minha boca e na dele, colocou as mãos na minha cintura e logo selou nossos lábios em um beijo intenso.

- Olha os noivos já tão se comendo. - ouvi a voz de Nathan.

- Vai dar uma voltinha com a Roxy, vai. – Max riu.

- Não da, eu quero bolo. – ela cruzou os braços.

- Na verdade, todos querem. – Tom gargalhou.

- Gente é fila agora? - perguntei sorrindo.

- Depende, se não derem logo a fila vai se formar. - Siva falou.

- É verdade filha, esse bolo parece estar ótimo. – papai comentou.

- Parem de enrolar e deixem a mulher cortar o resto. – Claire falou.

- É melhor sairmos daqui. - olhei para Max.

- Também acho. – ele sorriu e me puxou.

Caminhamos até a pista e uma musica suave e romântica começou a soar, Max colocou uma mão em minha cintura e a outra juntou com uma de minhas mãos. Coloquei a mão solta em seu ombro e começamos a dançar como se fosse uma valsa, mas meio desorganizada pois Max não sabia dançar muito o que estava fazendo eu sorrir.

- Vamos ter aulas de dança tudo bem? - estava segurando o riso.

- Você vai ser a minha professora?

- Pensarei no seu caso. – sorri.

Enquanto a “valsa” continuava, minha atenção foi direcionada para a entrada principal. Iglesias estava falando com Roxy e no mesmo instante ela apontou para nós, sorri por ele ter aceitado o convite. Ele vinha caminhando  até nós e então parei de dançar, o que fez Max me olhar.

- O que foi? – Max perguntou.

- Olha quem chegou. - apontei com a cabeça e logo Iglesias estava parado na nossa frente. Max se virou e quando o viu, começou a encará-lo. - Enrique! - sorri e ele veio me abraçar. - que bom que veio.

- Eu não perderia o seu casamento por nada. – ele sorriu. – espero que vocês sejam muito felizes.

- Obrigado cara. – Max sorriu.

- Obrigado Enrique, eu estava aguardando a sua presença. - falei e senti Max apertar minha mão.

- Eu só vim para desejar felicidades, ainda pego um avião para Las Vegas hoje.

- Mas já? Está fazendo trabalhos?

- Eu não paro um minuto. – Enrique sorriu.

- Então, quer beber alguma coisa ou sei lá...? – sorri.

- Ah não Meg, não posso ficar bêbado. Daqui uns trinta minutos já tenho que ir.

- Então tudo bem. - sorri e o abracei. - que bom que esta aqui, não é Max? - o olhei.

- Claro! Não temos mais problemas Megan, relaxa. – Max riu.

- Estamos de boa agora. – Enriquei concordou.

- Vocês andaram se falando e eu não soube? - os encarei.

- Na verdade uams duas vezes. – Enrique deu de ombros.

- Apenas para resolver essa briga. – Max sorriu.

- Nossa, estou surpresa. - falei sorrindo.

- Tinha que resolver os problemas né. – Max falou.

- E agora que já estão resolvidos, vou dar uma olhada na festa. – Enrique sorriu. – Tchau Max, Tchau Megan, tudo de bom pra vocês. – Enrique nos abraçou e logo sumiu  de vista.

- Realmente impressionada, quase pulei aqui de felicidade. - abracei Max.

- Fiz tudo por você baixinha. – Max retribuiu o abraço.

- Por isso que te amo mais a cada segundo.

- Eu também te amo, muito.

Beijei Max com toda a minha vontade. Meu marido, meu homem, a pessoa com quem quero passar o resto da minha vida ao lado. Ele sorriu para mim assim que partimos o beijo e a festa continuou, mas não estavamos mais preocupados, estavamos curtindo o momento, curtindo um ao outro.

2 comentários:

  1. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH DEUS ME ABANA LOGO CARALHO
    Muito foda esse cap....Uma das melhores fics que já li!

    @gladjivacame

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH CONTINUA CONTINUA .........

    ResponderExcluir