segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Capitulo 22



Continuação Roxy’s Pov

O restante da noite foi bem agradável, ficamos fazendo gracinhas como sempre e conversando. Na volta eu pedi para que o Jay voltasse com a gente, já que o Nathan não estava falando nada, Tom e Claire foram sozinhos assim como Nareesha e Siva.

Chegamos no hotel e nos despedimos da Claire, ainda demoraria uns dois dias para ela voltar para Londres. Fomos para os nossos quartos, peguei meu pijama e fui para o banheiro, tomei um banho bem demorado para relaxar um pouco, coloquei a minha roupa e sai. Nathan já estava deitado de bruços na cama e provavelmente no decimo sono. Respirei fundo, peguei meu celular e sai do quarto. Bati na porta da Megan e fiquei esperando ela abrir.

- Roxy, o que faz aqui? - ela estava escovando os cabelos.

- O Nathan ta meio estranho. – suspirei. – posso dormir com você? Por favor.

- Claro, entra ai.

- Obrigada Meg. – sorri e ela retribuiu. Ficamos conversando um pouco até o sono bater, não demorou muito já que estávamos cansadas. Dei uma olhada no relógio e marcavam 02:30, me aconcheguei na cama e adormeci.

                                  Nathan's Pov

Abri os olhos lentamente, acho que peguei no sono antes de Roxy sair do banheiro ontem. Esfreguei os olhos e percebi pelo relógio do criado mudo que eram 8:00 hrs ainda, rolei na cama e percebi: Roxy não estava ali. Me sentei rapidamente e olhei a cama vazia ao meu lado, sai da cama e caminhei ao banheiro, nem sinal dela, onde ela poderia estar? Olhei o guarda roupa e todas elas constavam ali, um alivio a mais. Peguei meu celular e liguei para o dela, chamava tanto que caia na caixa postal. Droga Roxy, onde você esta? Joguei o celular na cama, e sai para fora do quarto ainda só de calção de dormir.

- ROXY! - comecei a gritar no corredor. Não sei porque estava gritando, mas talvez ela aparecesse. - ROXY!

- Cala a boca Nathan! - Jay apareceu sonolento na porta.

- Você viu a Roxy?

- Não, porque eu estava dormindo antes de você gritar. - ele falou.

- ROXY!!!! - gritei outra vez, fazendo todas as portas do andar se abrirem, agradecendo que esse andar fosse só nosso.

- Nathan, sabe que horas são? - Max brigava.

- Por acaso ta com insônia e quer fazer palhaçada? - Tom quase caia encostado na porta.

- Para de gritar Nathan. - Siva saiu fora do quarto, com Nareesha o olhando por trás.

- Vocês viram a Roxy? ROXY! - gritei e ouvi a porta do quarto de Meg abrir e Roxy aparecer arrastando o edredom e sonolenta.

- Quem é o filho da mãe que ta gritando?

- Ora quem? - Jay bufou.

- O que você esta fazendo no quarto da Meg? – perguntei.

- Dormindo?! – ela falou como se fosse obvio.

- E por que não fez isso no nosso quarto?

- Nathan vamos pro quarto, e lá a gente conversa. - Ela passou por mim arrastando o lençol e entrou no quarto. Os outros entraram resmungando e eu nem me importei, entrei no quarto e fechei a porta

- Porque dormiu com a Meg?

- Você estava estranho ontem então eu fui lá. – Roxy se sentou na cama.

- Mas, precisava sair sem me avisar?

- Você já tava dormindo, e eu não quis te acordar.

- Fala o real motivo, por favor. - pedi, me sentando ao seu lado.

- Você estava estranho ontem, e eu não queria discutir de novo com você então... – ela suspirou.

- Eu só não gostei do que você fez lá no restaurante, poxa Roxy você sabe como eu sou.

- Eu estava só brincando Nath, se eu soubesse que você ia ficar assim nem tinha feito.

- Você me conhece, sabe que eu não gosto que ficam fazendo isso comigo de levantar a minha roupa...

- Eu sei... – ela abaixou a cabeça. – desculpa.

- Não fica assim. - a abracei e beijei a sua cabeça. - só não faça isso, sabe que se quiser que eu tire a roupa, é só pedir. – sussurrei.

- Nossa Nathan a sua sensibilidade me comove. – ela revirou os olhos rindo.

- Fala sério. – a encarei.

- O que?

- Dessa de tirar a roupa. - tentei lhe dar o meu olhar mais malicioso que pude.

- Você é muito besta. – ela me empurrou.

- Que nada. – sorri.

- Vamos arrumar as malas então? Você tirou o meu sono. – Roxy fez bico.

- Se você quer isso, tudo bem.

- Não quero né, mas é preciso. – ela sorriu fraco.

- Então vamos. - peguei em sua mão e selei nossos lábios rapidamente, ela foi para o banheiro e me deitei na cama esperando ela sair pra fazer minha higiene matinal.

- A gente vai descer pra tomar café? – Roxy saiu do banheiro?

- Claro, esta com fome?

- Muita. – ela passou a mão na barriga.

- Então vamos logo, arrumamos depois. - peguei uma camisa e vesti.

- Vou só me trocar. – ela foi até a mala e pegou sua roupa, se trocou ali mesmo e eu não pude evitar olha-la, colocou um shorts e uma camiseta branca, jogou o pijama sobre a cama e colocou o chinelo.

- Pronta?

- Sim sim.

- Então vamos. - a abracei de lado e saímos do quarto para o elevador.

Tomamos o nosso café, só nós dois no restaurante, já que os outros ainda dormiam. Passamos a manhã ajeitando as nossas malas e quando deu 15:00 hrs já estávamos descendo com as malas. Encontramos todos reunidos no saguão do hotel.

- Oi gente. – Roxy falou.

- Heey! – Jay respondeu. – estão prontos?

- Sim. – falei.

- Infelizmente sim. - Megan apareceu junto com Max.

- Não queria voltar. – Roxy fez bico.

- Mas é preciso. - Siva apareceu com Nareesha.

- Então vamos? – Tom perguntou.

- Claire vai quando? - Nareesha perguntou.

- Daqui dois dias. – Tom suspirou.

- Então pessoal, vamos? - olhei o relógio no meu pulso.

- Adianta falar que não? – Roxy riu pegando suas malas.

- Não, temos que voltar a vida real.

- Vamos então. – Jay puxou suas malas e caminhou até a entrada. Pegamos o táxi e fomos ao aeroporto.

                                         Siva's Pov

Chegamos no aeroporto e ficamos esperando o voo ser chamado. Definitivamente ir pra casa estava sendo bom, mas sair daquele lugar paradisíaco era frustrante. Fiquei abraçado a Nareesha que mexia no celular, o voo foi chamado rapidamente.

- Vamos?

- Infelizmente. - ela falou e sorri pra ela, a encorajando.

Caminhamos todos para o avião. As poltronas não estava na mesma marcação que vimos, agora Max estava com Megan, eu e Nareesha atrás deles, Roxy e Nathan, Tom e Jay do nosso lado, aproveitamos para dormir um pouco. Acordei com Nareesha se mexendo na cadeira, ela não tinha uma cara muito boa, a peguei, aninhando em meus braços, o que fez ela acordar.

- O que foi amor? - perguntei a olhando.

- Tive um pesadelo. - ela me abraçou o tanto que a posição permitia.

- Vai ficar tudo bem, não se lembre dele, deve ser o cansaço. - a apertei mais para mim e a ninei até ela fechar os olhos novamente. Era só um pesadelo, nada de mal poderia acontecer a minha Nareesha, não enquanto eu estivesse perto. Depois de horas, quase todos no avião estavam acordados por causa do horário.

- Uma foto pro Twitter. - Nathan tirou nossa foto, todos juntos olhando pra ele em pé no corredor do avião. Depois de mais alguns minutos, o piloto nos avisou que já estávamos chegando em Londres.

- Prontos pra voltar a realidade? - Max perguntou.

- Eu não estou pronto. - falei e sorri.

- Eu não sei o que vai acontecer... - Meg olhou Max, já pensando em suas primas. Roxy olhou para Nathan mas ele apenas sorriu para ela.

- Vai ficar tudo bem. - Max falou e abraçou Megan.

Sentimos o avião tocar o solo e logo estávamos desembarcando. Estávamos de volta a Inglaterra. Caminhamos para o saguão do aeroporto aonde tinham várias fãs nos esperando. Nathan assumiu a elas que estava namorando Roxy, o que fez algumas torcer o rosto em desgosto, mas logo estavam tirando fotos com ela. Megan ficou encostada nas cadeiras, olhando a felicidade da amiga, Max estava sendo muito otário em não assumir algo sério com ela, sorte dele que ela o ama muito. Nareesha também estava sendo bombardeada com flashes e as fãs e eu sorria pra ela. Depois de todo o assédio, entramos na van que nos esperava e começamos a andar pelas ruas de Londres.

- Viu Roxy, agora somos namorados mais do que oficial. - Nathan sorriu pra ela.

- O que eu fiz pra merecer um namorado tão fofo? – ela deu um selinho nele.

- Você fez tudo. - Megan falou dando um sorriso fraco.

- O que você tem Megan? - Jay perguntou.

- Eu? Nada. - ela sorriu pra ele e encarou a janela, eu sei, ela queria algo instável, igual Roxy.

- Certeza baixinha? – Max perguntou passando a mão o rosto dela.

- Tenho. - ela o olhou, mas logo desviou. Nareesha me cutucou e eu saquei o que rolava.

- To doido pra chegar em casa. – Tom mudou de assunto.

- Eu também cara, quero um banho. - Jay completou.

- Eu quero dormir. – Nathan fechou os olhos.

- Posso ir pra sua casa hoje? - Nareesha me perguntou.

- Claro. - beijei sua cabeça.

- Sorte a de vocês que podem ficar juntos. – Roxy suspirou.

- Mas você pode amor, agora que estamos oficialmente namorando, elas não podem falar nada. - Nathan falou.

- Que elas não falem mesmo, por que se não vão levar uma na cara. – Roxy cruzou os braços.

- Calma Roxy, nem meus pais, nem elas podem impedir agora, já que vocês estão namorando. -Meg falou.

- Meg não me leve a mal, mas... seus pais ficam putos quando a gente faz alguma coisa que eles não gostam. Eles vão fazer de tudo pra me afastar do Nath.

- Confia em mim, eles vão ver que o que vocês tem é verdadeiro e não vai te afastar dele, nem que pra isso eu tenha que dar a minha cabeça como premio.

- Tomara. – Roxy desviou a atenção para a janela.

- Eles não vão te impedir Roxy, a única coisa que eles podem fazer é me mandar de volta ao Brasil pra "Proteger" a filhinha. - Meg falou o que fez todos a olharem.

- Ta louca? Como a gente fica? Como eu fico sem você? – Max desesperou.

- Não sei Max, não sei, mas por enquanto, deixa que as coisas se resolvam por si só. - ela falou e voltou a olhar a janela.

- Er...chegamos. – Roxy comentou. Descemos da van e entramos na casa, as meninas resolveram ficar por lá até o cair da noite.

                                      Max’s Pov

Eu, Megan, Roxy e Nathan estávamos largados na sala vendo um filme qualquer, enquanto o resto estavam em seus devidos quartos, já era quase 20:00 quando as meninas resolveram ir para casa. Peguei a chave do carro e os três me acompanharam até a garagem, entramos no carro e o silencio predominou, liguei o rádio e tocava alguma musica do Flo Rida, Megan começou a cantarolar baixo junto com Roxy enquanto eu e o Nathan segurávamos o riso.

- Não sei essa parte. - Megan olhou pra Roxy.

- Eu também não, ele canta muito rápido. – Roxy riu.

- Então vamos só ouvir a batida. – a vi sorrir a primeira vez naquela noite.

- Melhor. – Roxy continuou rindo. Logo depois o silêncio predominou o carro novamente, assim que chegamos em frente ao prédio das meninas ouvi Roxy xingar baixinho enquanto Megan ria. Tiramos as malas do carro e subimos até o apartamento, dessa vez íamos falando besteiras e fazíamos algumas gracinhas.

- Espero que não tenha ninguém em casa. – Roxy riu e assim que abriu a porta paralisou. Uma mulher de cabelos pretos com ondas até a altura do ombro, alta, corpo definido e com aparência Jovem, mas de idade estava sentada no sofá, ao ouvir o barulho na porta nos encarou e abriu um largo sorriso.

- Mãe?!?! - Megan falou alarmada e eu e Nathan nos olhamos aflitos.

- Megan, Roxy. - a mulher se levantou e nos olhou.

- Er... oi tia. – Roxy falou ainda meio em choque.

- Onde vocês estavam? As meninas me falaram que vocês tinham viajado. - ela não tirava o olho de mim e Nathan.

- É a gente viajou, mas já estamos de volta. – Roxy sorriu entrando com suas malas.

- Mãe o que a senhora faz aqui? - Megan ainda a olhava.

- Vim checar algo, e não me enganei. - puta merda.

- Nathan? – Mandy gritou da cozinha.

- Nossa Nathan que saudade. – Bell pulou nele.

- Ei, ei... – Roxy empurrou ela e abraçou Nathan. – tira as patas do MEU namorado.

- Como? - a mãe de Megan, se não me engano, Rosalie seu nome, olhou para Nathan e Roxy.

- Estamos namorando tia, eu e o Nathan.

- Vocês estão namorando? Sem brincadeira Roxy, fale a verdade. - Rosalie perguntou.

- Não é brincadeira. – Nathan se pronunciou, e levantou a sua mão e a de Roxy mostrando os anéis. – estamos namorando.

- Hm. - ela ficou meio pensativa, enquanto eu estava encostado perto da porta. - você veio pra cá pra isso Roxy? Pra arranjar namorado? - ela falou calmamente.

- Não tia, eu vim pra construir a minha carreira, eu tive a oportunidade de começar a tocar na banda dos meninos do The Wanted e eu e o Nathan acabamos nos aproximando mais do que o esperado.

- E você rapaz, está disposto a namorar com ela? Não vai fazer ela sofrer? Porque eu cuido dela desde pequena e essa menina é muito teimosa, tem que ter cabeça pra lidar com ela. - dona Rosalie falou e me deu vontade de rir do que ela falava de Roxy, mas me contive, sobre os olhares de Mandy. Dona Rosalie se parecia muito com Megan, até nos olhos de um preto profundo.

- Dona Rosalie...

- Só Rosalie. - ela falou para Nathan.

- Na verdade Rosalie, eu estou disposto. Porque a Roxy me conquistou justamente por ser teimosa e bruta. – Nathan riu baixo. – eu não seria capaz de faze-la sofrer nem por um segundo, nunca me perdoaria caso isso acontecesse.

- Então esta bem, se você diz. - Rosalie falou e Megan a encarou surpresa.

- Você deixou eles dois...

- Namorarem? Não estou vendo problema nenhum e ele parece ser um jovem bom e que ta fazendo ela feliz. - ela sorriu.

- Então, sem problemas né? – Roxy sorriu.

- Não vejo nenhum. - ela falou.

- A senhora pode confiar. - Nathan falou.

- E você meu belo rapaz? - Rosalie olhou para mim.

- Sou amigo do Nathan, pode me chamar de Max.

- Você que saiu naquelas fotos com a Megan? - ela perguntou e olhei pra Megan que me encarou.

- Er...foi. – sorri fraco.

- Hum... - ela me olhou e saiu pra cozinha. - vocês querem jantar aqui?

- Eu não sei se...

- Vamos Nathan, por favor. – Roxy pediu.

- O que acha Max?

- Por mim, tudo bem. – sorri. Caminhamos até a cozinha onde a mesa já estava posta, só foram acrescentados alguns pratos e talheres e o restante da comida. Rosalie sentou-se na ponta enquanto Nathan e Roxy estavam lado a lado, Bell estava na outra ponta, enquanto eu estava entre Mandy e Megan.

- Então, para onde estavam viajando? - Rosalie perguntou.

- Barbados. - Megan respondeu.

- Hum deve ser ótimo, quem foi? - conversávamos enquanto comíamos.

- Bem... os meninos do The Wanted, a namorada de um deles eu e a Megan. – Roxy respondeu.

- Eu vi que você estava com o Enrique Iglesias, Megan. Ele não foi? - fechei a mão no talher com força.

- Não mãe...ele não foi.

- Porque? - Megan me olhou e depois para Roxy.

- Eu namorava com ele, mas terminei. - ela falou, Rosalie parou de comer e juntou as mãos na mesa, a encarando.

- Megan, que história é essa? Desde que você veio pra cá que anda metida com isso. - ela começou.

- Mãe, eu terminei com ele, nós não erámos felizes.

- Megan Stark, você veio pra cá para fazer ballet ou correr atrás de Namorado? Como eu mal descubro que você ta namorando, ai você chega e diz que terminou?  O que foi que eu te ensinei? -ela aumentou a voz, falando bem alto fazendo nos se calar a mesa.

- Mas...

- Nada de mas Megan, você agora anda saindo em capas de revistas com fofoca por cima de fofoca, anda com essas pessoas de famas, não se concentra no ballet... - ela começou a contar nos dedos e sua expressão era de raiva.

- Mãe, eu estou concentrada sim, eu estou na Turnê do Enrique e...

- O QUE? - Rosalie arregalou o olho em fúria. - COMO VOCÊ ACEITA UMA COISA DESSAS MEGAN?COMO?

- Eu queria dançar. - Megan a olhou duro.

- Megan você está fugindo dos controles, e só tem uma opção. Você volta para o Brasil comigo. - ela se levantou e saiu da mesa.

- Então...Nathan o que achou da tia Rosalie? - Roxy perguntou para quebrar o silêncio que se instalou na cozinha. Eu e Megan não desviávamos o nosso olhar, não era possível que ela iria embora, não agora que tudo estava dando certo.

- Er...eu adorei ela. - Nathan falou cauteloso.

- Com licença, mas eu tenho que me retirar. - Megan se levantou e saiu da cozinha.

- Eu também. – me levantei e segui o mesmo caminho de Megan, ela estava deitada de barriga pra cima no sofá, consegui ouvir alguns soluços então me aproximei calmamente.

- Max...

- Eu não vou deixar você voltar pro Brasil baixinha, a gente vai dar um jeito.

- Eu não sei...minha mãe estava muito determinada a isso.

- Você acha mesmo que eu vou deixar você voltar pra um país que fica do outro lado do oceano? Nem pensar, não agora que esta tudo certo entre a gente.

- Ela esta com raiva de mim. - ela olhou para suas mãos e uma lagrima escorreu de seus olhos.

- Daqui a pouco isso passa Meg, ela só não esperava tantas surpresas pra um dia. – falei passando a mão por seu rosto.

- Não Max, você não conhece a minha mãe.

- Seja otimista Megan. A gente vai dar um jeito de você não voltar pro Brasil, a Roxy já deve estar bolando alguma coisa.

- Vou tentar ficar melhor. – continuei conversando com a Megan sobre maneiras dela permanecer na Inglaterra até fomos impedidos por Mandy, ela nos deu boa noite e subiu para o quarto. Olhei para o relógio e já era quase meia noite, chamei o Nathan, mas ele aceitou o convite da Roxy para dormir no apartamento delas. Me despedi de todos e dei um selinho na Megan, entrei no carro e minutos depois já estava em casa.

- E ai pessoal. - entrei e joguei a chave do carro na mesinha, olhando os meninos assistindo um jogo.

- Pra quem só ia deixar a Megan e a Roxy em casa, você demorou eim. – Tom riu.

- E pelo visto o Nathan vai aproveitar a noite. – Jay o acompanhou.

- Talvez sim, talvez não. Sabem quem estava lá? A Mãe da Megan que chegou hoje. – falei.

- Se fodeu. – Siva comentou.

- E como ela é? – Jay perguntou.

- Ela foi muito legal com a gente, fez várias perguntas pro Nathan e tudo, mas depois rolou uma discussão com a Megan e ela falou que vai levar ela pro Brasil. – falei.

- Como assim levar a Megan? – Jay perguntou.

- Ela não pode fazer isso. – Siva resmungou.

- Ela falou que a Megan estava fugindo dos limites, por causa daquele rolo com aquele... - me calei.

- Vixe a mamãe é controladora, deve ser uma mala. – Tom gargalhou.

- O pior que não Tom, ela é...como dizer... gostosa, com todo respeito. - falei sorrindo.

- Como gostosa? – Jay se levantou.

- Cara ela era professora de dança pelo que Megan já havia me contado...como te explicar, ela é tipo a Jennifer Lopez, só de cabelo e olhos pretos. – sorri.

- Nossa cara então ela deve ser extremamente sexy. – Jay falou.

- Quero conhecer. – Tom comentou.

- Epa! Já vão dar em cima da minha Sogrinha? - falei rindo.

- Ninguém falou nada, só queremos ter certeza de que você não esta mentindo. – Jay riu.

- No dia que vocês veem ela, não caiam pra trás para não passar vergonha ok? Ou vocês acham que a Megan puxou aquela beleza toda de quem?

- Vai saber né Max. – Tom respondeu. – mas agora eu vou dormir.

- Ok, eu também porque a noite foi altamente tensa. - me estiquei e subi correndo para o quarto.

                                        Megan's Pov

Forcei meus olhos a abrirem e eles arderam um pouco. Não me lembro quando eu peguei no sono, acho que foi enquanto eu chorava assim que vim para meu quarto, me levantei e fui ao banheiro lavar meu rosto e meus olhos continham as marcas do choro com manchas vermelhas. Vesti uma roupa de moletom e resolvi tomar café, desci a cozinha e Nathan e Roxy estavam lá.

- Bom... - pigarrei com a voz rouca. - Bom dia!

- Bom dia Meg!! – Roxy falou animada. Passei me arrastando por eles e peguei a caixa de cereal, fiz minha tigela e me sentei na mesa, não prestando atenção nos dois, em nada.

- Bom dia! - Mãe apareceu na cozinha indo a geladeira.

- Bom dia! - Nathan e Roxy responderam.

- Péssimo dia. - falei, fazendo ela me olhar.

- O que foi Megan, esta com os olhos inchados?

- Não quero falar. - falei com raiva e continuei comendo, ela saiu da cozinha deixando nós três.

- Então... eu e o Nathan estávamos combinando de ir em um café hoje, ta afim? O pessoal também vai.

- Não sei nem se eu posso mais sair de casa. - a encarei.

- No more drama! Meg eu dou um jeito de enrolar a sua mãe, eu fazia isso direto.

- Se for assim, tudo bem. – falei. Terminei o café e coloquei as coisas na pia, fui me sentar no sofá, peguei o controle e não passava nada de bom na TV, de repente Mandy apareceu das sombras e se sentou no outro sofá.

- Fez bruxaria pra aparecer aqui? – perguntei entediada.

- Nossa Megan você esta péssima.

- Você está pior, ah não é sua cara de sempre. - rolei os olhos.

- Megan...já que você vai embora, não tem problema eu ficar com o Max né?

- Quem te falou que eu vou embora? - queria sorrir debochada, mas fiquei com ódio daquela puta.

- Sua mãe querida, ela me falou hoje de manhã.

- Eu não vou embora! E pode aquietando esse seu fogo que você não toca no Max! - falei alterando a voz.

- É o que vamos ver então. Ele não vai resistir.

- Sabe o que não vai resistir? De eu dar um tapa nessa sua cara de merda. - Nathan e Roxy apareceram na porta da cozinha.

- Vai nessa então, você não é capaz nem de encostar em uma mosca.

- Só tenta, mais uma vez falar algo com Max no meio, me provoca. - me levantei a olhando fixamente.

- O Max vai ser meu, em dois segundo ele vai esquecer que você apareceu na vida dele.

- Nem sonhando. - de repente minha mão foi de encontro a seu rosto, fazendo soar um estalo alto. Olhei arregalada para o que eu fiz e os dois na porta me fitavam.

- Finalmente levou uma na cara. – Roxy gritou.

- Cala a boca Roxy. – Nathan levou a mão na boca dela contendo o riso.

- Você ta louca? – Mandy gritou.

- Louca é você sua vadia, eu falei que se mencionasse algo, iria levar uma. - gritei mais ainda.

- Quem é você pra me chamar de vadia Megan? Se toca. Pegou o Max depois foi lá e trocou ele pelo Iglesias e agora quer o Max de novo?

- Cala a sua boca nojenta sua atirada, você é uma vadia que corre atrás dos outros e acabar nem querem esse lixo que é você.

- CHEGA! – Nathan gritou. – vem Megan.

- ME LARGA NATHAN! - ele me puxava pelo braço enquanto minha mão coçava para dar mais uns tapas na cara da cretina.

- Se controla Meg, assim sua mãe vai te levar de volta.

- Só o que eu quero é matar aquela vadia! - ele e Roxy estavam me levando pro quarto. No meio do caminho puxei meu braço e caminhei sozinha até ele, abri a porta com raiva e corri para a cama, socando os travesseiros.

- Meg obrigada por bater nela. – Roxy riu.

- Eu queria espancar ela, esganar! Vocês ouviram o que ela falou? Cínica.

- Megan, não liga pra ela. Você sabe que era mentira. – Nathan se agachou na minha frente.

- Não adianta...minha vontade é de ir lá e socar a cara dela. - bati nos travesseiros.

- Mesmo eu querendo que você faça isso... não esta certo. – Roxy suspirou.

- Só tem um jeito...eu vou fugir daqui, fugir dessa idiota e da minha mãe.

- Ta louca? Megan como? Você não pode fazer isso, além do mais precisa de um plano. Precisa dar tudo certo, não é fácil fazer essas coisas. – Roxy desesperou.

- Eu não sei, eu quero sumir daqui, pro Brasil eu não volto.

- Bem posso te ajudar, afinal já fiz isso várias vezes.

- Como assim Roxy? – Nathan perguntou.

- Eu fugia pra encontrar os meus namorados, mas isso não vem ao caso agora.

- Então não vamos conversar isso aqui, elas podem ouvir. - olhei pra porta.

- Mas seguinte, só nós três podemos saber disso, mais ninguém, nem o Max. – Roxy sussurrou.

- Ele não pode? – perguntei.

- Quanto menos pessoas souberem, melhor.

- Ouviu Nathan? Calado. – falei.

- Ei não vou falar nada, relaxa. – ele retrucou.

- Hum, vou confiar. - sorri apertando seu nariz.

- Será que tem sorvete em casa? – perguntou Roxy.

- Acho que sim.

- Eba! – Roxy gritou e saiu correndo do quarto.

- Criança. – revirei os olhos.

                                     Roxy’s Pov

Desci as escadas correndo e fui até a cozinha, me deparei com a Bell que estava tentando preparar alguma coisa para comer. Dei de ombros, e abri o freezer, tinha um sorvete de flocos ali dentro então eu tive uma ideia. Peguei o leite na geladeira e o Ovomaltine, coloquei tudo no liquidificador e esperei uns quinze minutos, coloquei o milk-shake em um copo e peguei um canudinho. Abri o armário e peguei um pacote de cookies, caminhei até a mesa e me sentei de frente para a minha prima.

Não falávamos nada, apenas umas encaradas de vez em quando, mas nenhuma fazia menção de falar alguma coisa. Ouvi um barulho na porta da cozinha e me virei rapidamente, Nathan caminhou até mim e me deu um selinho, se sentou do meu lado e me abraçou de lado. Bell saiu da cozinha a passos largos e eu comecei a rir baixinho.

- Nós ainda vamos no café? – Nathan perguntou.

- Claro!! – falei animada. – ainda temos que resolver algumas coisas com a Megan.

- Certo! – depositou um beijo na minha cabeça e ficamos na cozinha conversando sobre coisas completamente sem sentido.

Xx

O relógio já marcava 17:00, estava em frente ao espelho dando uma ultima checada na minha roupa, peguei a minha bolsa e desci as escadas correndo para encontrar Megan e Nathan prontos para sairmos.

- Cheguei! – falei ofegante.

- Até que enfim. – Megan riu e caminhou até a porta, Nathan pegou na minha mão e fomos assim até chegarmos no carro, ele pegou as chaves da mão da Meg e se sentou no banco do motorista, me sentei ao seu lado enquanto ela foi bufando até o banco de trás.

Fomos em completo silêncio até o café, ninguém tinha coragem de falar nada, eu estava mergulhada em pensamentos assim como a Megan. Tinhas que planejar um jeito dela fugir que fosse seguro e bem bolado, por que se não tudo seria em vão. Nathan estacionou o carro e descemos, eu fui na frente e pedi para que eles fossem sentando que eu faria os pedidos.

Minutos depois estávamos sentados na parte externa do café, estava uma tarde um pouco fria mas reconfortante, apertei mais o meu casaco e senti Nathan passar o braço ao redor do meu ombro me apertando mais contra ele, sorri e ele retribuiu o gesto. Olhei para Megan que não parava de encarar a fumacinha que saia de seu café extremamente quente.

- Então... – falei quebrando o silencio. – temos que pensar em algum plano.

- Eu só penso em sair, me esconder em algum canto para minha mãe não me achar. - Megan não parava de encarar seu café.

- A gente pode fazer igual quando eu fugi com o Zach.

- Não me recordo.

- Porra Megan! Foi o melhor escape que eu dei. – comecei a rir e logo eu estava explicando para ela e para o Nathan o que faríamos para que tudo desse certo. Nathan não gostou muito dos detalhes de como o Zach me levou pra longe da minha casa, mas logo se tranquilizou, Megan não parava de fazer perguntas e isso estava me deixando levemente irritada. Depois de tudo explicado, pagamos a conta e fomos embora pra casa.

                                  Jay's Pov

Estávamos limpando a cozinha. Sim, a cozinha. Depois que Tom e Siva começaram a brigar por causa de um pacote de biscoito, eu e Max resolvemos entrar na brincadeira e começamos a nos atirar os doces que tinham no armário.  Era uma forma de comer e sentir dor com as pancadas das balas açucaradas no corpo.

- Sai dai Tom. - Max estava apanhando os restos de comida que estavam no chão enquanto o Tom reclamava dizendo que ainda dava pra comer.

- ÊÊÊÊÊÊÊ! - Tom brincava de escorregar no chão encerado, deslizando com as meias, até que ele bateu a cabeça no armário da cozinha, fazendo todos rirem. Estávamos na limpeza quando meu celular vibra (recém comprado já que perdi o outro em barbados).

- Sms do Baby Nath, e é pra geral. - falei e todos vieram olhar.

- Lê alto. - Siva pediu e o olhei, menino curioso.

- “Jay, a Mãe da Megan ta convidando vocês para um jantar aqui. Ela diz que quer conhecer os meus amigos por causa das meninas...e venham decentes por favor xx Nathan.”  – falei.

- Vamos comprovar a teoria do Max. – Tom levantou os braços.

- Quero ver se ela é mesmo gostosona. - falei rindo.

- Se comportem meninos. - Siva falou.

- É não quero perder a Megan por causa de vocês, e tenho certeza que o Nathan não vai ficar feliz se perder a Roxy. – Max comentou.

- Não se preocupa Max. - toquei seu ombro sorrindo.

Subimos a escada e cada um foi para o seu quarto tomar banho para tirar todo o açúcar. Me arrumei calmamente, escolhendo a roupa certa, não podia parecer um mendigo como eu sempre ando, então isso levou alguns minutos. Desci e todos já estavam prontos, Nathan finalmente apareceu para trocar de roupa e já estava na sala nos esperando. Fomos no carro de Max e depois de meia hora, já estávamos em frente ao apart das meninas.

- Toca a campainha. - falei e Nathan apertou.

- Meninos. - Megan abriu a porta, nos abraçando e sorrindo, ela parou em Max e deu um abraço mais demorado e caloroso.

- Chegou os maloqueiros. – Roxy riu e abraçou cada um de nós, quando chegou em Nathan deu apenas um selinho nele pegou em sua mão.

- Olá meninos. - uma mulher bastante sensual apareceu atrás das meninas, não evitei de olhá-la de cima abaixo. Realmente ela era bastante gata, fiquei a encarando e Max empurrou meu braço.

- Meninos essa é minha mãe. - Megan falou debochada.

- Prazer. - falamos juntos para aquela mulher.

- Podem me chamar de Rosalie, ou Rose. - ela sorriu, tinha os traços de Megan.

- Então, vamos comer? – Roxy perguntou já caminhando em direção a cozinha. Todos entraram e eu fui o ultimo.

- Er...com licença. - falei para Rose, ia chamar ela assim.

- Pois não, fique a vontade. - ela sorriu e fechou a porta atrás de mim, caminhei até a cozinha e  me sentei a mesa junto com os meninos.

- Então, novidades? - Megan perguntou. - e não se preocupem porque as bruxas saíram para jantar fora.

- Meg, o que é isso? - Rose a repreendeu. Estávamos conversando alegremente quando o Jantar foi servido. Não deixei de reparar nenhum segundo as curvas da mãe de Megan, meu Deus, o que estava acontecendo comigo? Siva era o que mais conversava com Rose, sem nenhuma timidez

- Então Rosalie, veio para cá pra Londres visitar? - Siva fez a pergunta e todos ficaram calados atentos para ouvir.

- Vim ver como estão as meninas. Elas andam metidas em muitas coisas, principalmente a Megan. - ela a encarou.

- E seu marido...onde está? - a pergunta saltou da minha boca sem querer.

- Mamãe e papai são separados desde os meus 19, quando fui morar em Manchester. - Megan sorriu.

- Somos bons amigos, mas sou sozinha desde então Jay. - ela falou. Bebi um pouco do vinho que estava em meu copo. – estão gostando do jantar?

- Está uma delicia. - Max falou.

- É uma ótima cozinheira. - Tom respondeu.

- Ah mas não fui eu quem preparei tudo isso. - ela riu.

- Não? E quem foi? – Siva perguntou.

- A Roxy e a Megan.

- Sério? - Max se pronunciou.

- Eu vi elas fazendo. - Nathan sorriu.

- Já podem casar. – Rose comentou fazendo Roxy e Megan engasgarem com o vinho.

- Acho que elas tem a quem puxar. - porra mais uma que saltou da minha boca.

- Então meninos, falem pra tia Rose sobre vocês. – Roxy mudou de assunto rapidamente.

- Max me fale sobre você, o que gosta de fazer? – Rose perguntou.

- Eu nada demais, gosto de jogar futebol, tocar baixo, cantar. – ele finalizou com um risinho.

- Tem alguém de especial na sua vida? - ela arqueou uma sobrancelha, todos olharam Meg rapidamente.

- Na verdade, tem sim... - Megan o olhou, sacudindo a cabeça levemente em negação.

- Poderia saber quem é? - Rose é muito curiosa...gostei disso.

- Sem querer ser mal educado, mas no tempo certo você vai saber.

- Tudo bem, são as suas escolhas. – ela riu. – er... Nathan? Me conte um pouco sobre você.

- Bom, canto desde pequeno e entrei pra Boyband com os meninos...acho que é isso.

- Huum e você toca alguma coisa?

- Piano. – ele falou orgulho.

- É realmente muito bonito. – ela sorriu. – E você Thomas?

- Eu toco guitarra, violão. - ele falou sem parar de comer.

- Mais algum de vocês toca guitarra?

- Eu toco violão. – Siva falou.

- E bateria? Jura que não tem nenhum de vocês que acompanha a Roxy? – Rose riu.

- Eu tento tocar. – falei a olhando.

- Jura? É um dos instrumentos que eu mais gosto, sempre incentivei a Roxy.

- Nossa, você tem um bom gosto. – sorri pra ela.

- Eu sempre tive esse bom gosto. – ela piscou pra mim.

- Er... que tal sobremesa? – Roxy perguntou meio sem graça. – vão todos pra sala, que eu vou fazer milk-shake. Nos levantamos da mesa e andamos até a sala, era sério isso que a Rose piscou pra mim? Não sei, mas algo me fez a olhá-la constantemente.

- Tom você esta calado. – Max comentou.

- Acho que comi demais. – ele se jogou no chão com uma expressão de dor.

- Bem feito, parece que a comida toda ia acabar. - o chutei de leve.

- Cadê a Claire aqui, pra me ajudar? – Tom resmungou.

- Ta em Barbados ô babaca. - Siva sorriu. Me joguei no sofá e Roxy apareceu com a sobremesa.

- Opa!! - Tom se levantou e foi o primeiro a pegar.

- E ainda tava reclamando de estomago cheio. - Nathan sacudiu a cabeça.

Terminei a sobremesa e me levantei em direção a cozinha, já que ninguém ia naquela direção agora. Coloquei meu copo em cima da pia e ouvi saltos de alguém entrando na cozinha, me virei rapidamente e bati de frente com Rose.

- Rose...Rosalie, me desculpe. - passei a mão nervoso no cabelo.

- Ah que isso Jay, acontece. – ela sorriu.

- Muito obrigado por nos chamar para o Jantar. - sorri para ela, ainda mantendo a nossa mínima distância.

- Não foi nada, você deveria agradecer as garotas que prepararam tudo.

- Er...verdade. – sorri.

- Quantos anos você tem Jay?

- 22 anos, por que? – cocei os cabelos.

- Não, por nada. – ela sorriu.

- Hm, vai ficar muito tempo aqui em Londres? - me encostei na pia.

- Não, eu tenho que levar a Megan embora ainda.

- Não acha melhor levar um tempo antes de resolver essa história? - a colher que estava na pia caiu no chão e a apanhei, ela pegou em minha mão para retira-la e senti seu toque.

- Er... desculpe. – ela corou.

- Agora estamos quites. – pisquei.

- Você é sempre engraçadinho assim?

- Só as vezes... – sorri.

- Huum bom saber.

- Gosta de pessoas engraçadas?

- Quem não gosta? – ela falou de um modo divertido e levou as mãos na cintura.

- Bom saber, assim posso ser engraçadinho sempre. - fiz a minha melhor cara.

- Assim espero. – ela piscou novamente.

- Vejo que você é muito legal.

- Faço o possível.

- Pois parece tão natural. - ela ficou vermelha.

- Só parece.

- Tenho certeza que não. - respirei profundamente dando para sentir seu perfume.

- Tem certeza que tem 22 anos? – ela riu.

- Sim. – sorri. - desculpa a indelicadeza, mas você teve a Megan com que idade?

- Eu tinha 18 anos quando tive a Megan. – ela suspirou.

- Nossa. Quando eu cheguei pensei que fosse a irmã dela

- É, nós realmente somos muito parecidas.

- Você é jovem e bonita. – sorri.

- Bonita eu posso até ser, mas jovem nem tanto.

- Você esta a altura de alguém assim... como eu.

- Obrigada. – ela sorriu e corou novamente.

- De nada. – sorri.

- Mãe, posso... - Megan apareceu na porta e nos fitou, caminhei ao redor da mesa e Rose foi a pia.

- Posso o que filha?

- Nada, esquece...vem Jay, os meninos vão jogar. - ela me chamou e saiu.

- Vou indo ali. - falei perto do ombro de Rose.

- A vontade. – ela sorriu.

Sai da cozinha e fui me sentar no sofá outra vez. Não sei o que estava acontecendo comigo e se isso era certo.

                                       Roxy’s Pov

Estávamos todos na sala vendo o Tom e o Siva jogarem “Timeshift”. Eu estava sentada no chão com o Nathan me abraçando por trás, Megan estava jogada na poltrona, enquanto o Max estava sentado também no chão perto da Megan, o resto estavam tudo no sofá.  Desde que o Jay e a Megan voltaram da cozinha eles ficavam trocando olhares suspeitos, provavelmente eu era a única que estava reparando naquilo já que todos prestavam atenção no jogo.

- Boa noite pessoal. – Bell abriu a porta, assim que ouvi a voz dela revirei os olhos.

- Boa noite. – os meninos responderam.

- Pensei que iam dormir fora. - Megan falou.

- Não, resolvemos ficar aqui em casa já que os meninos iam ficar aqui. – Bell comentou e olhou pra Nathan.

- Mas ninguém te chamou.

- Nós estamos morando aqui temporariamente, então não precisamos de convite. – Mandy retrucou.

- Ah te fode. – comentei brava.

- Roxy olha como você trata as suas primas. – tia Rose saiu da cozinha.

- Quem manda elas serem chatas?! - Megan retrucou.

- Não entendo por que vocês não conseguem ser amigas. – Rose revirou os olhos. – também não quero explicações.

- Não ia lhe dar mesmo, está na cara que elas são chatas.

- CHEGA MEGAN!! – Rose gritou. – já arrumou as suas coisas?

- Que coisas? – ela olhou debochada.

- Sua mala, a gente volta amanhã mesmo pro Brasil, você querendo ou não. Então sobe e vai arrumar tudo.

- EU NÃO VOU PRO BRASI!

- Você vai, e amanhã mesmo. Não sei como você ficou tão mimada desse jeito, mas isso vai mudar. Sobe agora pro seu quarto. – olhei para Megan e pisquei pra ela, hora de por o plano em ação. – AGORA MEGAN!

- Você acaba com meus sonhos sempre. - ela falou e subiu correndo a escada.

- Bem... eu vou no mercadinho comprar cerveja. – apertei a mão de Nathan que estava entrelaçada na minha e me levantei.

Peguei minha carteira e sai do apartamento, cheguei em frente ao elevador e comecei a apertar desesperadamente o botão. Demorou uns cinco minutos e ele apareceu no meu andar, entrei e apertei o botão do térreo, comecei a andar de um lado pro outro dentro do elevador. Sai do mesmo, e caminhei até onde ficava o registro de luz da cada apartamento. Ta não foi fácil passar despercebida por todas as pessoas que passavam ali naquele momento, mas eu consegui.

Comecei a analisar cada armário que tinha ali e achei o do nosso apartamento, peguei um extintor de incêndio que tinha ali perto e bati contra o cadeado. Assim que o mesmo quebrou comecei a abaixar todos os interruptores que tinha ali. Fechei novamente o armário e sai, andei calmamente até o portão e caminhei até o mercadinho, comprei um engradado de cerveja, e voltei. Quando entrei no elevador o desespero já estava me invadindo, assim que chegou no meu andar, parei em frente a porta e respirei fundo, torcendo pra que o Nathan já tivesse levado todos para a cozinha.

Abri a porta e a luz do corredor iluminou um pouco a sala, a única pessoa que se encontrava no sofá era Megan, ela estava com a mochila nas costas e assim que me viu, correu até mim. Desci novamente, mas dessa vez com a Megan. Assim que o portão foi aberto dei um abraço forte nela e expliquei mais uma vez o caminho que ela deveria fazer para chegar até a casa da mãe do Nath. Ela sorriu e me abraçou novamente e me agradeceu, o seu carro já estava lá fora então ela logo entrou e acenou para mim.

Corri até o porteiro e paguei para que ele ficasse de boca fechada caso a mãe da Megan viesse a perguntar. Conversei com o sindico, falando sobre o apartamento estar sem luz e ele apenas falou que iria ver qual era o problema. Subi o mais rápido possível até o meu apartamento e assim que entrei, as luzes ainda não tinham voltado, caminhei até a cozinha e abri a porta, e a conversa cessou. Apertei o interruptor que tinha ao lado da porta e logo a luz voltou ao cômodo. Olhei em volta e me deparei com Bell agarrada ao pescoço do Nathan.

- MAS QUE PORRA É ESSA? – gritei chamando a atenção de todos.

 - FOI ELA! ELA SE AGARROU EM MIM. - Nathan apontou pro rosto de Bell e empurrou os braços dela do seu pescoço.

- E vocês estão assim desde a hora que essa merda de energia caiu? Interessante. – bati a porta da cozinha e caminhei até a sala, acendi a luz e me joguei no sofá.

- Não Roxy, parece que ela faz sentir quando você esta chegando. - Nathan veio atrás.

- EU? - ela gritou.

- Você mesmo sua biscate de quinta. – gritei de volta e cruzei os braços.

- Calma Roxy. – Natha pediu.

- Como você me pede calma Nathan? Como? – suspirei pesado.

- VOCÊS VIRAM A MEGAN? - tia Rose desceu as escadas correndo.

- Roxy, ela que se enganchou no meu pescoço feito uma cobra! - Nathan falou.

- O QUE? - Bell reclamou.

- CALADOS OS TRÊS! ONDE ESTA A MEGAN? - tia Rose gritou.

- Perai tia estamos em uma discussão. – ignorei os gritos dela. – você se afasta do meu namorado Bell se não ta ferrada, e você Nathan... – o encarei séria e não falei nada.

- Sério Gente, onde está a Meg? - Jay apareceu nos olhando nervoso.

- Vai pra puta que pariu todo mundo, eu não sei onde esta a Megan, to com raiva da outra que ta dando em cima do meu namorada e nervosa por ele não ter feito nada. – enterrei a cara na almofada.

- Gente por favor, a Megan não está no quarto nem em lugar nenhum! - Tia Rose começou a se desesperar.

- CADÊ A MEGAN? – Max falou ofegante. – Alguém sabe onde ela ta? Se souber fala agora.

- Eu não sei. - Nathan o encarou.

- Gente eu vi uma luz na hora do apagão. – Siva falou.

- Que luz Seev? – Jay perguntou.

- Veio da sala... acho que alguém tinha aberto a porta.

- Será que foi a Megan? – perguntei tirando a almofada do rosto.

- E-ela foi para onde? - tia Rose me olhou. - você tem algo a ver com isso Roxy?

- Ei! Eu sei que tenho fama de fujona, mas não sei onde ta a Megan.

- Pra onde essa menina pode ter ido? Mas por que ela fez isso cara? – Max passava a mão na cabeça desesperado.

Fechei os olhos e respirei fundo, não podia dar na cara que eu tinha ajudado na fuga da minha amiga por que se não eu que teria que voltar ao Brasil. Olhei para todos na sala apenas desviando a minha atenção do Nathan e das minhas primas, eu estava nervosa com tudo. Todos estavam com olhares desesperados e não paravam de falar e olhar para seus celulares.

                                  Megan's Pov

Dirigia pela estrada em alta velocidade, sabia que eles não iam me alcançar, mas queria chegar logo em Gloucester.

- Continuem. - falei olhando o celular vibrando no banco ao lado. Eu não ia voltar para o Brasil e se eu ficasse alguns dias longe da minha mãe, talvez ela entenderia que meu lugar é ali, seguia pela estrada escura, iluminada apenas com os faróis do carro. A Mãe do Nathan foi muito gentil ao deixar eu ficar lá esses dias, ela concordou rapidamente.

Horas depois já estava entrando na cidade. Parei o carro em frente da casa da mãe dele e logo ela saiu, me reconhecendo, levei apenas a minha mochila para dentro da casa, onde a irmã do Nathan, Jess, estava sentada no sofá, ela sorriu pra mim e acenei. A mãe dele me mostrou o quarto de hospedes e como estava muito cansada, resolvi dormir um pouco, mas antes ia ligar pra Roxy. O telefone deu dois toques e ela logo atendeu

- Roxy? – perguntei.

- Cala a boca Nathan... – ouvi ela falar revoltada. – Oi Megan! Como você esta?

- Bem e cansada. Já cheguei aqui e diz pro Nathan que a mãe e a irmãzinha dele são um amor. – sorri.

- Ah que bom amiga. Eu não to conversando com o Nathan.

- Já estão brigando outra vez? - sacudi a cabeça, aqueles dois viviam brigando, mas se amam mais que tudo.

- Estamos, ele tava agarrado com a Bell. – ela resmungou e logo ouvi uma gritaria no telefone.

- Megan põe na cabeça dessa garota que a prima dela que me agarrou. – Nathan falou. – mas enfim... chegou bem?

- Cheguei sim, Nathan, adorei a casa, a sua família, tudo. - falei rindo da briga que estava ao telefone.

- Eu já conversei com a Jess e ela vai te ajudar no que precisar ta bom? Não precisa se preocupar.

- Ok Nathan...e onde está Max? - fiquei vermelha, acho que nunca perguntei dele ao Nathan.

- Estão todos na sala, eu puxei a Roxy até o quarto dela pra gente tentar conversar. – ele bufou.

- Ah. – falei quase em um sussurro.

- Megan manda um beijo pra minha família ok? - Nathan perguntou. - e fala que qualquer dia eu apareço lá com a Roxy.

- Não! Vocês não vem amanhã? - falei confusa.

- A Roxy não me avisou nada.

- Eu não tava conversando com você. – ouvi ela responder.

- E agora esta? – tenho certeza que nessa hora ela revirou os olhos. – amanhã então eu fujo com a Roxy até ai.

- Ta bem, eu vou estar esperando. – falei. - agora tenho que dormir.

- Boa noite Megan!

- Tchau! - encerrei a ligação e desliguei o celular definitivamente para ninguém ficar me atormentando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário