terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Capitulo 20



                                                   Jay’s Pov


Senti o calor bater em meu corpo, abri os olhos e vi o sol entrando pela janela do quarto e focalizado em mim. Me levantei, espreguiçando os braços e resolvi tomar um banho, enquanto saia do chuveiro, minha barriga roncava insistentemente.


- Calma ai bebê. - falei e comecei a rir. Vesti uma roupa de dia quente, olhei o sol e já estava bem alto pra ser 8:00 hrs da manhã. Procurei meu Celular pelo quarto para ver a hora e nada de achar ele


- Droga onde eu joguei ele. - derrubei os lençóis da cama e nada, procurei na roupa jogada no guarda roupa e nada. Parei e fiquei pensando, acho que deveria estar com algum dos meninos, sai do quarto e peguei o cartão, guardando no bolso para não perde-lo.

caminhei pelo imenso corredor, até parar na primeira porta que seria a de Tom


- Tom você esta... - abri a porta e não tinha ninguém ali, a não ser a bagunça e sua calma que não foi desfeita, mas pra quem não conhece o Tom, parece que ele tinha passado a noite pulando ali. Fechei a porta e a segunda no corredor era o de Megan, poderia estar com ela, não é mesmo?


- Megan... - bati na porta e ninguém falou nada. Empurrei um pouco e ela estava aberta, quando entrei no quarto, vi Tom e ela dormindo abraçados. Megan com a cabeça no peitoral de Tom dormindo silenciosamente e ele roncando baixo.


- Eu não acredito! - soltei incrédulo. Será que... fechei a porta e sai, tentando ir de uma vez comer algo, porque depois daquela cena, até o celular eu não procurava mais.


- O que foi Jay? - Max apareceu na porta de seu quarto, saindo para o mesmo local que eu ia. Droga de azar.


- Eu?...nada. – falei.


- Você esta estranho.


- Eu não estou estranho, é que...


No mesmo instante, ouvimos a porta de algum quarto bater atrás de nós. Olhamos e vimos Tom saindo do quarto de Megan e se arrastando para o dele só de calção.


- Thomas Anthony Parker!! – Max chamou-o bravo.


- Eu...? - ele se virou coçando os olhos.


- O que você estava fazendo no quarto da Megan? E ainda por cima só de bermuda.


- Eu estava dormindo lá, não é óbvio? - ele zombou e segurei o riso.


- Antes disso, ontem a noite? Por que não dormiu no seu quarto?


- Porque ela me pediu pra eu ficar com ela, Megan ta se sentindo muito solitária. - Tom falou e percebeu minha presença ali, que fez um gesto com a mão de positivo.


- É né, o precioso dela não veio. – Max revirou os olhos.


- E você fica falando e fazendo besteiras, a colocando mais para baixo ainda.


- O que eu fiz agora?


- Estava falando com aquela garota lá na recepção. Eu sei que ela ta com o Enrique e tal, mas Max, o amor dela é você.


- Eu não acredito nisso. – Max começou a rir. – a garota era uma fã, ela me pediu um autografo e algumas fotos.


- Não foi isso que pareceu. - falei fazendo Max me olhar por um segundo.


- Fala sério, eu não trocaria a Megan por nada.


- Porque não fala isso pra ela Max? Não demonstra? - Tom perguntou.


- Você acha que eu fiz o que ontem o dia inteiro Tom? Ela foge.


- Ela foge com medo que você possa trair ela novamente Max...porque você não, sei lá, se declara pra ela, fala tudo que você tem guardado? - dessa vez eu me pronunciei.


- Então ta bom, hoje a noite na festa dela. Vou precisar de ajuda.


- Como assim Max? - Tom preguntou um pouco espantado.


- Eu tenho um plano. – Ele sorriu.


Ficamos ouvindo o plano do Max até que ouvimos alguém abrindo uma porta e saímos correndo do corredor, nos escondendo na pequena entrada do elevador. Era Nathan, ele olhava de um lado para outro e logo a porta foi fechada, começamos a rir e Tom deu o seu sorriso escandaloso.


- Afinal, vocês viram meu celular? – perguntei.


- Perdeu de novo Jay? - Tom falou indo para o seu quarto.


- Acho que sim. - cocei a cabeça e Max desceu comigo para o café da manhã.


                                     Roxy’s Pov


Eu estava largada na cama assistindo desenho animado, um dos meus favoritos pra falar a verdade: Pernalonga e Patolino, clássico. Fiquei esperando o Nathan sair do banho pra que eu pudesse ir conversar com a Megan, mas aquela criança demorava anos.


- Vai Nathan sai do banheiro. – comecei a bater na porta.


- Calma ai.


- Vai Nathan!! – comecei a bater a testa na porta.


- Espera Roxy! To saindo já!


- Você consegue ser pior que eu e a Megan.


- Ta ai, já sai. - ele abriu a porta.


- Até que enfim. – corri e me joguei na cama.


- Pra que estava me gritando mesmo? - ele começou a se enxugar.


- Eu acho que vou lá no quarto da Megan. – falei olhando o teto.


- Fazer o que? - Nathan ficou só de Box enquanto enxugava o cabelo.


- Ah, ontem ela saiu correndo quando viu o Max, e faz tempo que eu não converso com ela.


- Então acho melhor você ir lá, deve ser falta do namoradinho perfeitinho dela. - ele fez cara de gozação. Definitivamente nenhum dos meninos gostavam do Iglesias.


- Não precisa meter o pau nele também, ele é muito legal. – falei baixinho.


- Ta defendendo ele Roxy? - Nathan me encarou.


- Na-não é que...


- Não precisa explicar, eu entendo. - ele riu.


- Ah lindinho você, eu já estava ficando nervosa.


- Não precisa meu amor. – ele veio até a cama e se curvou sobre mim, me beijando.


- Meu amor... – comecei a rir.


- Minha gata.


- Nathan aplicaram uma dose de fofura em você hoje ou o que?


- Acho que isso veio com algo. - ele mostrou o anel em seu dedo.


- AAAA que esse menino não existe. – apertei as bochechas dele e depois o beijei.


- Sou fofo. - ele se gabou.


- Só que não Nath, só que não.


- Pensei que ia no quarto da Megan, ou desistiu? - ele sorriu sapeca.


- Culpa sua, idiota. – bati no peitoral dele e me levantei.


- Daqui a pouco vou na sala de jogos com Siva e Jay ok?


- Não ta ok não. – cruzei os braços segurando o riso.


- O que foi?


- Quero meu beijo antes. – comecei a rir da cara de confuso dele.


- Você pede demais. - ele veio até mim e selou nossos lábios.


- Só o necessário meu amor. – pisquei e sai do quarto, comecei a caminhar até o quarto da Megan e encontrei o Tom no caminho, ele resolveu me acompanhar por que também precisava conversar com ela. Batemos na porta e esperamos um tempo.


- Quem é? – Meg perguntou.


- Tom e Roxy. – Tom respondeu.


- Ah...podem entrar.


- E ai Meg. – entrei e me sentei na cama.


- E ai. - ela sorriu meio triste.


- Que tal nos contar o que aconteceu ontem? – Tom perguntou se sentando ao meu lado.


- Você dormiu aqui. - ela fugiu do assunto.


- VOCÊ O QUE? – gritei.


- Isso não vem ao caso Megan, a gente não quer você triste desse jeito. – Tom respondeu.


- Primeiro Roxy, ele só dormiu e nada mais, ele me fez companhia, e segundo Tom, eu não estou triste. - ela sorriu amarelo.


- Qual é Megan, te conheço desde bebê e sei que você esta triste. – revirei os olhos.


- É só que....ah sei lá eu estou assim emotiva.


- Max! – Tom em olhou e eu apenas assenti.


- Não, ele não tem nada a ver com isso. - ela suspirou.


- Acertamos o ponto fraco Roxy. – ele bateu na minha mão.


- Ta o que aconteceu? – perguntei.


- Eu já falei, não é nada a ver com ele, ele não se importa mais comigo, ele pega qualquer uma, ele...não é com ele. - ela se abraçou a um travesseiro.


- É por causa da garota de ontem. – Tom riu e balançou a cabeça negativamente.


- Opa! Que garota?


- Uma que ele tava agarrado nela...mas isso não importa, já falei. - Megan rolou os olhos.


- Eu poderia te torturar mas, como sou seu amigo, vou falar. – Tom riu. – era uma fã com ele ontem.


- ERA UMA O QUE? - ela ficou chocada. - nem me importo.


- Uma fã, cabeção. – eu comecei a rir.


- Não importa... eu acho que...


- Megan você sabe que se importa, para de fingir. – insisti.


- Eu não me importo! Hoje eu estava conversando com o Enrique e... estou decidindo ainda de abandonar esses dias e voltar pra Londres.


- Você ta ficando louca? Megan não faz isso, você não pode deixar ele te abalar desse jeito, nem pensar que você vai embora. Se você for eu vou junto e pronto. – falei decidida.


- Calma! O Enrique disse que era pra eu ficar aqui, que ele ficaria menos preocupado se eu estivesse aqui do que lá sozinha, então eu resolvi ficar por aqui mesmo, é o jeito.


- De qualquer jeito Megan, não quero você com essas ideias, você tem eu e a Roxy pra que? Nós somos seus amigos Meg, pode contar com a gente quando precisar, não precisa ficar fugindo do Max. Se você quer esquece-lo tem que enfrentar querendo ou não. – Tom falou e eu o olhei surpresa.


- Nossa Tom, por essa acho que eu não esperava. - ela riu.


- Ei eu tenho os meus momentos ta bom. – ele falou e eu cai na cama de tanto gargalhar.


- Mas enfim, vocês se lembram que data é hoje? - ela perguntou.


- Não me lembro de nada importante. – Tom respondeu.


- Eu sei que hoje faz um dia que eu e o Nathan estamos namorando. – sorri nervosa.


- Ah, tudo bem. - ela baixou a cabeça.



 - Bem... eu vou indo nessa tenho que ajeitar algumas coisas ainda, e Tom os meninos estão te esperando na sala de jogos. – me levantei.


- E eu vou ficar só? - ela se levantou.


- Se quiser me ajudar a colocar as cuecas do Nathan na gaveta. – sugeri e Tom começou a rir.


- Não obrigado, vou assistir TV e talvez Skype com Enrique.


- Então vou indo nessa, beijos. – sai do quarto e fiquei esperando o Tom sair encostada do lado da porta. Assim que ele apareceu o puxei e fomos até o elevador. Quando chegamos no saguão do hotel, todos já estavam reunidos conversando e planejando como seria o aniversário.


- Naree tem como você distrair a Megan por favor? – implorei.


- Vou leva-la ao spa. – saiu saltitante.


- Então pessoal, cada um com suas atividades. Vem Siva. – o puxei e pegamos um táxi em direção ao centro para comprar algumas coisas.


                                   Megan's Pov

 
- Como esta por ai? - Enrique sorria.


- Esta bem. - falei timidamente. Passar a tarde no Skype comigo era a função de Iglesias no momento. Ele estava sem camisa, deixando a mostra seu corpo definido e mexia no celular constantemente por causa do trabalho excessivo. - como esta indo o novo Single?


- Esta tudo correndo super bem, daqui a pouco vou gravar mais uma parte do Clipe e... - ele parou de falar quando a porta foi aberta.


- Megan você... - olhei e vi Nareesha na porta, que sorria com vergonha. - desculpa ter incomodado.


- Não, fique aqui, o que foi? – perguntei.


- Eu ia te chamar para ir ao spa, mas se tiver ocupada não precisa. - ela olhou por cima do meu ombro.


- Pode ir Meg, eu vou indo já. - Enrique piscou e acenei para ele, que logo desligou.


- Pronto, agora sou toda sua. - falei e ela riu.


Caminhamos até o Spa, será que ninguém tinha se lembrado que data era aquela? Nem Roxy? Logo ela que é a minha melhor amiga não lembrar. Isso é triste. Fomos a sala da limpeza de pele e ficamos só de Biquínis fazendo o tratamento, depois fomos a sauna e a massagem. Nada como relaxar naquele dia que era para ser o seu dia, porque é seu aniversário.


- Nareesha? - perguntei enquanto estávamos na hidromassagem.


- Hum? - ela respondeu de olhos fechados.


- Sabe que dia é hoje?


- Quinta feira, 27.


- Não, mas assim... se tem algo pra hoje? - ela abriu os olhos e me encarou.


- Não que eu saiba. - voltou a fechar e a relaxar na banheira.


Nem ela não se lembrava, também não ia contar, só pra eu ter um motivo no outro dia de ficar com raiva deles. Fiquei relaxando e viajando em pensamentos quando eles pararam em uma única pessoa: Max. Não queria ter chorado na frente de Tom, e nem tinha motivo, porque eu estou com Iglesias e Max pode ficar com quem quisesse, mesmo que fosse apenas uma fã. Isso ainda são só vestígios que eu ainda não o esqueci...assim espero.


Tiramos a tarde de folga, eu e Nareesha estávamos passeando por todos os lugares de compras em Barbados, ela estava me fazendo uma maravilhosa companhia e naquela tarde ainda não tinha visto nenhum dos meninos.


- Vamos aqui. - Nareesha me puxou e entramos no Shopping de Barbados, onde existiam várias lojas lindas. Naree era muito impulsiva e saiu comprando várias roupas.


- Vamos entrar nessa loja. - entramos em uma loja de grife e começamos a olhar os vestidos.


- Nossa que lindos. – falei.


- Você vai comprar um!


- Eu? Pra que? – sorri.


- Vamos a uma festa hoje a noite, você precisa se animar, e eu não aceito um não como resposta. -ela sorriu e eu pensei um pouco, até concordar. Pagamos o vestido e fomos lanchar perto da praia, depois que o sol já estava se pondo, voltamos ao hotel.


- Hoje foi muito bom, obrigada por me distrair. - falei abrindo a porta do meu quarto.


- Distrair...? Er quem falou em distração? - ela começou a sorrir nervosa.


- Calma, eu falei que adorei o passeio, que eu não fiquei triste, mas pra que esse nervosismo? - ela respirou aliviada.


- Nada, tenho que ir, se arrume pra festa que vamos as 20:00 hrs. - ela saiu andando apressada até seu quarto e de Siva.


- Ok! - gritei e entrei no quarto.


xx


Já eram 20:00 hrs e ainda estava terminando de me vestir quando alguém bateu na porta.


- Quem é?


- Sou eu Nareesha.


- Entra. - gritei e ela abriu a porta, já visivelmente bem arrumada. Coloquei o salto e parei de frente do espelho.


- Ta legal?


- Ta linda! Perfeita. - Nareesha sorriu.


- Onde está a Roxy? Ela ainda não veio me atormentar.


- Ah, ela já foi com o Nathan pra festa, ela e os meninos. Só ficamos nós.


- Como eles são legais, não esperaram a gente. - rolei os olhos e saímos do quarto. Caminhamos até o elevador e esperamos ele chegar.


- Onde é essa festa? – perguntei.


- Você vai ver, vai ser ótimo. - ela falou e eu assenti, entrando no elevador. Assim que saímos do hotel, Nareesha chamou um táxi e entramos nele. Enquanto íamos pelo caminho, ela ia mexendo no celular.


- Pra que isso?


- Nada. - ela logo guardou o celular na bolsa e continuamos até avistarmos a orla da praia, onde tinha uma tenda enorme fechada, apenas com a luminosidade saindo pela porta de entrada.


- Nossa deve ta demais. - falei, mas Nareesha estava mais 
interessada no celular. O táxi parou e descemos no calçadão. Entramos pelo pequeno corredor que seguia da entrada da tenda até o local da festa, tinha um piso de madeira no chão para que não pisássemos na areia, várias pessoas alegres e dançantes, um bar onde o barman fazia malabarismo com a bebida e um jogo de Luz de varias cores. Olhei mais ao Longe e vi Siva ao lado do DJ.


- Porque o Siva ta ali? - perguntei me virando para Nareesha, mas ela já não estava ali. De repente a musica parou.


- Boa noite pessoal!! – Tom apareceu gritando no palco. – Finalmente o motivo de toda essa festa chegou não? – ele sorriu na minha direção e eu ainda estava sem entender nada. – SURPRESA MEGAAAAAN!


- Mas o que...? - todos me olharam e começaram a sorrir para mim, batendo palmas. Fiquei encarando aquelas pessoas ainda espantada quando vi Roxy aparecer.


- PARABÉNS MEGAN! – ela gritou e me abraçou forte.


- Mas o que esta acontecendo? Como? Porque? An? - a encarei.


- Você acha mesmo que eu ia esquecer o seu aniversário? Nunca. – ela riu alto.


- Mas você, ela...o que? Isso ta incrível! - sorri abertamente e vi os meninos chegarem.


- Digamos que eu tive uma pequena ajuda. – ela sorriu para os meninos.


- Parabéns Megan!! – Jay me abraçou me tirando do chão.


- Você ajudou nisso né, seu Bird! - baguncei os cachinhos dele.


- Sai da Jay. – Siva o empurrou e me abraçou forte. – parabéns pequena!


- Meu grandalhão, você deixou a sua Nunu me aguentando o dia todo, obrigado. - o abracei forte.


- Na verdade ela até gostou de passar o dia com você. – ele riu.


- Parabéns Megzinha. – Nathan me abraçou rindo.


- Obrigado seu chato, odiei esse apelido. - bati em sua cabeça.


- Desculpe, não pude evitar.


- MEGAAAAAAN! – Tom correu até mim e me levantou do chão e começou a me girar. – parabéns!


- Obrigado Tom, você como sempre hiperativo. - sorri pra ele. - mas...obrigado por ter me aguentado chorando ontem.


- Ah que isso Megan, to aqui pra isso. – ele sorriu e me colocou no chão.


- Megan! Parabéns. – Nareesha me abraçou.


- Obrigado minha parceira de compras. – sorri. - me enganou direitinho.


- Sou boa nisso. – ela jogou o cabelo rindo.


- E ai o que fazer primeiro? Bebida? Dançar? – Roxy disparou a falar.


- Roxy, Roxy calma. - segurei suas mãos agitadas. - me responde uma coisa...onde esta Max? É só curiosidade.


- Ele ta perdido por ai, sumiu desde a hora que a gente chegou.


- Ah ta. - falei tentando não fazer aquilo, mas meus olhos insistiam em procurá-lo. Para que? Para sofrer mais ainda, pois ele deve esta agarrada a outra pessoa, e esta no total direito. - vamos beber?


- Pensei que não fosse perguntar. – ela riu e me arrastou até o bar.


- Com licença, posso roubar ela um pouco da aniversariante? - Nathan abraçou Roxy.


- Pode ir. - sorri e eles saíram.  De repente me vi sozinha, sem ninguém ali que eu conhecia. Pedi uma bebida e logo ela veio. Vodca pra começar.


- O que é isso? - olhei um papel colado embaixo do copo.


“Para começar a sua noite de aniversário mais especial que já teve.”


Olhei ao Barman que sacudiu a cabeça como se não soubesse. Bebi um pouco da vodca, um pouco receosa, e ela tinha uma pitada de energético de morango, que  me lembrava alguém. Fui a pista de Dança, onde Tom dançava engraçado.


- Que foi Meg? - ele me olhou.


- Nada...


- Parece confusa.


- Só um pouco. Continue dançando. - falei e sai. Me sentei em um dos sofás, e logo um garçom com alguns petiscos passou na  minha frente me oferecendo, peguei um, mas esse também veio acompanhado de um papel.


“Está curiosa não é? eu estou observando. Vá ao meio da pista e fique lá me procurando, talvez eu esteja lá.”


- Que se foda. - amassei o papel e joguei na planta ao lado, eu não ia cair em um joguinho de um sem noção que fica papeando por papel, talvez fosse até um psicopata. depois de alguns minutos, a curiosidade foi maior e eu fui até o meio da pista. Fiquei lá, fingindo dançar, mas estava apenas procurando essa pessoa. Me irritei e me virei, dei de cara com um garoto segurando um papel.


- Mandaram te entregar. - ele me deu o papel e na hora que ia perguntar de quem era ele sumiu na multidão.


Vá para frente do palco, onde esta o DJ, e preste atenção porque essa noite, ela é especialmente sua.”


Caminhei apressadamente até a frente do palco, cheguei lá e esperei. Nada aconteceu.


- Me fez de idiota, legal. - sorri irônica e quando ia me virar para sair dali, a musica parou.


- Boa noite pessoal! – Max apareceu falando ao microfone e logo um coro de boa noite soou. – hoje alguém em especial esta fazendo aniversário, então por isso resolvi fazer mais uma surpresa para essa garota incrível, aqui vai uma musica em homenagem a ela...


Fiquei pasma, não sabia qual expressão eu continha no rosto, o que ele achava que estava fazendo? Olhei para o lado e vi Roxy e os meninos rindo. Voltei a minha atenção a Max que começou a cantar.


Loving You is elementary

Easier than 1, 2, 3

Well, I passed school so consequently

It's coming so naturally



A is for all that You've done for me

Being with You is only place I wanna be

Seeing You is the only thing I wanna see

'Cause loving You is easy



Ele me olhava no fundo dos olhos, não conseguia me mover, fiquei parada o encarando cantar para mim, ele sorria perfeitamente enquanto eu tentava manter as forças nas pernas.


One 'cause You're the only one for me

Two is You and I and I hope You agree

Three is for the words that You're makin' me speak

I love You, it so easy



It's easy, it's easy

It's easy, oh, loving You is easy

It's easy, yeah



Ele parecia transmitir através daquela musica uma mensagem para mim. Fiquei atenta a cada movimento dele, o que fez um tímido sorriso surgir de meus lábios.


Let's not make this complicated

I never made the honor roll

'Cause over thinking is over rated

And there's something that You should know

Let me count the reasons why



A is for all that You've done for me

Being with You is only place I wanna be

Seeing You is the only thing I wanna see

'Cause loving You is easy...



Tudo que eu sentia por Max estava ali, naquele momento com aquelas palavras dele para mim. Eu estava tremendo, quase chorando, mas sorrindo para ele, eu queria bater nele, mas ao mesmo tempo abraça-lo, senti-lo perto de mim outra vez. A musica acabou e ele agradeceu, piscou para mim e saiu. Fiquei olhando ele caminhando de costas até a voz de Jay chamar a minha atenção.


- Então queremos que Megan agora suba aqui, porque ta na hora dos parabéns. - ele sorriu e Roxy me empurrou até o Bolo enorme Branco com uma Bailarina no meio e uma vela com o número 22. Como os meninos sempre tem as piadinhas, Tom afundou a Bailarina no bolo pra ela ficar baixinha igual a mim.

Começaram a famosa musiquinha de Parabéns e um barulho de palmas sincronizadas. Nunca fui boa em aniversários e com todos me encarando era péssimo. Max estava lá, ao lado de Roxy e Nathan, sorri timidamente para ele que batia palmas.


- Parabéns Megan, que você tenha muitos anos de felicidades. - Jay terminou no microfone e todos aplaudiram.


Fotos e mais fotos com todos ali presentes e é claro, com os meninos também, só que essa saiu meio zoada porque Roxy saiu bagunçando os cabelos de Nathan, Siva fazia careta com Nareesha, Tom fazia cara de Velho ,Max segurava a orelha de Tom, Jay colocava a língua pra fora enquanto tampava meu rosto com a mão.


- Essa vai para um porta retrato! - sorri mostrando a todos a foto. Me virei e vi Max caminhando em minha direção, esperei ele parar e falar algo, mas seus braços me envolveram, me pegando de surpresa em um abraço apertado.


- Megan Parabéns!! – ele me abraçou e aproximou a boca do meu ouvido. – podemos conversar?


- C-claro, porque não?! – gaguejei. Ele saiu caminhando, e eu fui atrás dele, porque eu estava fazendo aquilo? Porque simplesmente eu não tinha comando no meu próprio corpo quando o assunto se tratava de Max George.


Sai da tenda armada ali na praia e o procurei, tirei o salto e caminhei pela areia até encontra-lo sentado nos rochedos onde as ondas batiam e fazia um barulho que ecoava por ali. Subi na pedra e me sentei ao seu lado.


                                     Max’s Pov


Ali era o local perfeito. Iria tentar de tudo pra tentar reconquistar Megan, estava sentado na pedra, olhando para o nar que estava escuro, apenas refletindo a luz da Lua. Ela chegou e se sentou ao meu lado, a olhei e sorri.


- Queria conversar Max? - ela falou calmamente.


- Queria não, quero. – continuei olhando para o mar. – a gente precisa resolver isso de uma vez por todas.


- Pode falar, estou ouvindo. – a ouvi suspirar.


- Ta bom... eu sei que repetir aquele discurso todo não vai adiantar nada... eu só queria te falar que eu sei que eu errei, eu fiquei com a prima da Roxy para te causar ciúmes e isso só piorou a nossa situação. Eu confesso que eu tenho algumas crises de ciúmes quando o Iglesias ta por perto mas, é inevitável. Eu te amo Megan, eu sei que você não acredita nisso, mas eu te amo demais pra deixar você escapar assim tão fácil. Só que eu também não aguento mais levar patada todo dia, ver você com outro toda hora. Então eu cheguei em uma conclusão, ou a gente se resolve de vez ou um tenta esquecer o outro. - ela ficou olhando o mar enquanto despejava as palavras. Continuei a encarando, até que ela fez menção em falar


- Max, você sabe que eu tentei te esquecer, até assumir algo com outra pessoa eu tentei, mas hoje, quando você estava cantando, eu percebi, que eu não consigo enganar nem a mim mesma, eu ainda te amo Max, acho que eu não vou conseguir amar outra pessoa assim, talvez quem sabe, mas por enquanto, meu coração só pertence a você. Eu tentei com todas as minhas forças ficar longe de você, mas a quem eu quero enganar? Eu te amo Max! - ela sorriu enquanto uma lágrima rolou pela sua bochecha.


- Então você me perdoa? – perguntei me virando pra ela.


- Sim Max. – ela riu. Sorri abertamente para ela e me aproximei, passei a mão em seu rosto e quando ia beija-la ela colocou a mão em meu peito.


- Max...o Enrique... - ela falou se lembrando de algo.


- Tinha me esquecido dele. – sorri fraco. – vou esperar você terminar com ele então.


- Mas ele disse que eu estava livre se eu quisesse. - ela sorriu timidamente.


- Não sei por que vou falar isso mas...eu prefiro que você termine o relacionamento com ele primeiro, não quero fazer papel de amante. – gargalhei alto.


- Nossa Max, essa foi tão engraçada. - ela rolou os olhos. - só estou com saudades de você.


- E você acha que eu não estou com saudades?


- Não parece.


- Megan eu só não quero que o cara fique com fama de corno. Poxa é mancada.


- É...eu adoro o Enrique. - ela sorriu lembrando dele, o que me deu uma pontada de ciúmes, mas não demonstrei. - então...e agora?


- Termina com ele. – sugeri.


- Max...as coisas não são assim. Ele tem sentimentos.


- Eu sei Megan é só conversar com ele, por que eu não vou voltar a ficar com você enquanto estiver namorando.


- Eu sei, isso seria mancada...eu vou conversar com ele.


- Acho bom mesmo.


- Nossa Max vai mandar agora? - ela falou rindo para mim.


- Só se você deixar. – mordi o lábio inferior.


- Não provoca se você não quer que eu encoste. - ela apontou o dedo pra mim.


- Não custa nada te deixar com vontade.


- Ah vai ser assim? Então ok. - ela levantou um pouco o vestido deixando as pernas de fora, o que fez eu me excitar um pouco. - agora sofre ai.


- Então ta bom. – puxei ela pra mais perto e dei uma mordida em seu pescoço.


- Ai tem contato agora? Ok. - ela passou a mão pela minha barriga. 

- você que pediu. - ela me olhou nos olhos.


- Agora tem. – subi os beijos até o lóbulo da orelha dela e mordisquei.


- Você antes estava cheio de moral e ética e agora cadê? Eu sei que você não resiste a mim. - ela arranhou minhas costas.


- Eu não to beijando sua boca e não estamos transando então... – voltei ao pescoço dela e depositei beijos leves ali apertando a sua cintura levemente.


- Sabe o que você é? Safado, isso sim. - ela se encolheu ao meu toque e ri por causa disso, logo senti ela mordiscar minha orelha.


- Chega!! – me afastei dela. – a gente não pode continuar com isso.


- Mas você que começou! - ela ficou com raiva.


- Eu sei, mas se eu não parar agora...


- O que?


- Nós estaríamos em um quarto de hotel, quase sem roupa.


- É, acho melhor pararmos aqui antes que possamos cometer isso. - ela se afastou um pouco. -então...


- Vamos voltar para a festa.


- É o melhor que fazemos. - ela falou e me levantei, ajudei ela a se levantar e fomos caminhando de volta para a festa, sem nos tocar nem nada, era o melhor para termos o auto controle.


                                  Nareesha’s Pov


Eu e a Roxy já estávamos dançando a um bom tempo enquanto os meninos estavam sentando em uma das mesas improvisadas bebendo.


- Naree eu vou pegar um copo de vodca, você não quer? – Roxy perguntou.


- Ah eu quero, preciso tomar alguma coisa. – sorri.


- Ta bom eu já venho.


Roxy se distanciou e eu continuei dançando, começou a tocar Glad You Came e eu não pude conter a felicidade, comecei a pular e a dançar no ritmo da musica, já estava completamente louca, fora de mim. Senti uma respiração pesada um pouco mais próxima de mim, e logo me abraçaram pela cintura, me virei e arregalei os olhos ao não me deparar com o meu namorado. Era um cara alto, com os cabelos dourados e os olhos castanhos claros, corpo definido, um rapaz bonito, mas não despertou meu interesse.


- Oi gatinha, que tal dançarmos junto?


- Er... não vai dar. – sorri fraco e tentei me soltar dele.


- Porque princesa, é só uma dança...ou talvez queira sair pra pegar um ar? - ele apertou minha cintura e aquilo me incomodou.


- Não quero nada com você, eu tenho um namorado pra isso. – revirei os olhos.


- E porque ele te deixa solta na pista desse jeito?


- Por que ele ta sentado bem ali com os amigos dele. – apontei para onde Siva estava.


- Ele é um babaca de deixar você, linda desse jeito aqui. - ele segurou forte em meu braço.


- Acho melhor você me soltar. – falei ríspida.


- Porque princesa? - ele se aproximou.


- Por que eu não quero nada com você seu idiota.


- Ah, não dá uma de difícil. - ele agarrou minha cintura.


- É sério, por favor me solta.


- Não gatinha, vamos dar uma volta.


- O que esta acontecendo aqui? - Siva se aproximou.


- Amor me tira daqui, esse cara não quer me largar. – pedi.


- Porque você ta mexendo com ela? - Siva se colocou na minha frente.


- Não pode deixar gatinhas assim sozinha na pista. - o homem o encarou.


- Não fala assim dela cara. - Siva ficou de frente pra ele, enquanto o puxava para não brigar.


- Seev não vale a pena discutir com esse cara, vamos sair daqui. - continuei o puxando.


- Vai sair seu trouxa? - o cara ficava enfurecendo Siva.


- Eu não vou brigar com gente idiota e estúpida, que não sabe honrar o que tem entre as pernas. -Siva despejou no homem.


- Você parece uma bichinha que fica fugindo pra defender a namoradinha.


- Olha aqui seu... - Siva derrubou o copo no chão e ia partir para cima do Homem, mas Tom apareceu e puxou seu ombro.


- Que merda ta acontecendo aqui? – Tom gritou.


- Olha! Um frangote apareceu pra defender o outro e a namoradinha indefesa. - o homem começou a rir, enquanto eu abraçava Siva pra conte-lo, as pessoas a nossa volta já olhavam.


- Ah cala a boca seu bosta quem você pensa que é pra falar desse jeito? Se toca cara. – Tom revirou os olhos.


- E o frangote ficou com raiva? - ele começou a rir.


- Puta que pariu fica quieto seu retardado, não ta vendo que ninguém quer você aqui, vaza.


- Quem é você pra me mandar ir embora? Eu vou quando eu quiser. - todos os meninos estavam ali observando a cena.


- Quem eu sou? – Tom riu baixinho. – Eu sou Thomas Parker, o cara que organizou essa festa aqui, então você pode muito bem ir embora na hora que eu quiser, vê se se enxerga cara você não ta com nada.


- Tom que porra você ta fazendo? – Roxy falou ao seu lado.


- Tom deixa esse cara. – Megan puxou o seu braço.


- Olha, mais gatinhas pra festa, e elas são bem gostosinhas. - o cara falou em relação a Megan e Roxy, fazendo os meninos grunhirem.


- Vê se aprende a respeitar uma mulher cara. – Tom deu um soco na cara dele que na mesma hora caiu no chão, com certeza não estava esperando por aquilo.


- Seu viado! - o homem xingava no chão com a mão no queixo. A musica parou e todos olharam a cena.


- Não tem um xingamento melhor não seu trouxa? Espero que assim você tenha aprendido, imbecil. – Tom saiu de perto do cara e foi em direção ao bar, todos seguimos ele enquanto a musica voltava a tocar e o clima ia ficando mais tranquilo aos poucos. Me sentei com o Siva em uma dar mesas perto de onde todos estavam, pedimos nossas cervejas e começamos a conversar ignorando completamente o que havia ocorrido anteriormente.


- E ai casal! – Roxy se sentou ao meu lado e logo o resto do pessoal ocupou a mesa.


- Ta tudo bem agora? – Jay chegou.


- Sem mais confusões por favor. - Megan bebeu seu drink.


- Ainda bem que ele não chegou a te agarrar Naree. – Max riu.


- É verdade, se não ele seria um homem morto. - Siva falou e a única coisa que eu fiz foi abraça-lo por ser tão lindo.


- Aquele cara bem mereceu o soco, onde já se viu ficar chamando a gente de gostosinha. – Roxy revirou os olhos. – a gente é sexy meu bem, até demais. – todos começaram a rir.


- Ai para porque temos corpo violão, não é a toa que o homem pirou em nós três. - Meg descontraiu e eu ri.


- Sendo assim ou não o cara não tem direito de falar isso pra vocês. – Jay comentou.


- Por isso que levou um soco no nariz. - Tom deu seu sorriso psicopata e bebeu sua cerveja.


- Nathan por que você ta calado? – perguntei.


- Não é nada Nareesha. - ele fez menção em virar seu copo, mas viu que estava seco e o colocou na mesa com certa força.


- O que aconteceu Nath? – Roxy se virou para ele.


- O que aconteceu? Aquele cara te chama de gostosa...que porra é essa agora? - ele encarou Roxy e ficamos em silencio, ele estava dando uma crise.


- Não acredito que você ta bravo por causa disso. – ela balançou a cabeça negativamente e começou a rir.


- Você queria o que? O cara chega, te chama de gostosa e eu fico com cara de abestado, deveria ter metido uns chutes nele.


- Olha aqui. – ela colocou as mãos sobre os ombros dele. – eu fiquei com o cara? Eu to com ele agora?


- Não, mas é que...


- Então pronto Nathan, eu to com você, só com você. E não com qualquer babaca.


- Ihhh é melhor ficar calado Nathan. - Siva sorriu.


- Shiuuu Siva! A seção romance entre Nathan e Roxy ta interessante, melhor que filme. – comentei fazendo todos rirem.


- Agora, mais cerveja que a minha acabou, não perco a próxima cena por nada. - Meg riu.


- Pede pra mim também Meg. – Max riu e todos encaramos ele.


- Calma ai, vodca ou cerveja? - ela riu pra ele, assobiando logo em seguida pro garçom.


- Pode ser cerveja mesmo. – ele piscou pra ela.


- O que é isso Siva? - cochichei pro meu moreno, sem entender nada.


- Acho que os dois estão se entendendo. – sussurrou.


- Será? Esta estranho isso dai, e o Enrique como fica?


- Eu acho que ele fica com dor de cabeça.


- Ai Siva ta chamando o menino de corno? - de repente falei alto demais, fazendo todos me olharem.


- Quem é corno? – Nathan já se apressou em perguntar.


- Ninguém Nathan, esquece o que eu falei. - sorri nervosa.


- Relaxa Nathan a Roxy não esta te traindo. – Jay deu um tapa nas costas dele.


- Não tem nada ver isso, é que... - tampei a boca de Siva com a mão antes que ele falasse algo e Meg me matasse.


- Estávamos falando sobre o meu primo. – sorri nervosa.


- Meus pêsames a ele ser um corno. - Max sorriu.


- Mas enfim, é meu aniversário e quero me divertir!!!! - Megan levantou a cerveja rindo abertamente. provavelmente bêbada.


- Já sabe né? – Tom começou a falar. – se algum cara mexer com você, é só gritar.


- Gritar assim? “TOOOOOOM ME SOCORRE SUPER MAN” - ela gritou e caiu na gargalhada, me fazendo rir.


- Não deixem ela beber mais, por favor. – Roxy comentou.


- Ah Roxy, vai bebe ai, tenho certeza que o Nathan vai agradecer. - ela mandou beijo pra ele.


- Ah vai dar pro Max. - todos começaram a rir. De repente Megan ficou calada, e Max a encarou.


- Acho melhor pedir outra cerveja pra mim. - Jay pediu.


- Bêbado. – Nathan revirou os olhos.


- Bebê. – ele mostrou a língua.


- Meu bebê. – Roxy abraçou Nathan de lado.


- Nossa toma um drink aqui. - Megan jogou o copo pra eles. - cadê o Som agitado? Não é todo dia que eu faço 22 anos!


- Megan, eu vou te tacar dentro do carro se você não parar de beber. – Roxy se levantou.


- Ah Roxy, me deixa vai. - ela já falava arrastado. - Tô feliz, pode ser?


- E então vamos dançar, assim você para de falar merda. Vem você também Naree. – Roxy puxou o braço da Megan e logo em seguida o meu arrastando nós duas até a pista de dança.


- Vamos virar gatas na pista hoje. - Megan jogava o cabelo ao som da musica.


- Roxy faz ela parar! - eu ria a lado de Roxy.


- Vixe ninguém para essa louca quando ela bebe muito. – Roxy respondeu.


- Só o Max né, mas deixa quieto. – sorri.


Continuamos dançando até umas quatro horas da manhã, eu já estava cansada e com os olhos pesando, então resolvi voltar para o hotel com o Siva, assim que entrei no quarto, coloquei o meu pijama e me joguei na cama, ajeitei meu travesseiro e me cobri. Depois de alguns minutos senti a cama afundar um pouco, Siva me envolveu com os seus braços e colou nossos corpos, me aconcheguei ali e finalmente adormeci.

Nenhum comentário:

Postar um comentário