domingo, 6 de janeiro de 2013

Capitulo 18



                                  Roxy’s Pov

Acordei ainda meio atordoada depois da noite de ontem, por incrível que pareça eu lembrava de cada detalhe, mesmo que eu tenha tomado alguns copinhos de tequila. Olhei o visor do celular, marcavam 10:00, tinha algumas ligações de Megan, mas eu nem me importei em ligar de volta. Olhei para o lado e Nathan dormia calmamente e quase babando no travesseiro, tive que rir daquela cena. Comecei a mexer em seus cabelos e dei-lhe um beijo na bochecha.

- Bom dia baby. – sussurrei.

- Bom...dia. - sussurrou com os olhos ainda fechados e com a voz rouca.

- Você é muito dorminhoco. – me levantei da cama.

- Repondo as energias dessa noite.

- Ta cheio das gracinhas né? – perguntei prendendo o cabelo em um coque e indo em direção ao banheiro.

- Pra você sempre.

- Tarado! – revirei os olhos, e joguei um pouco de água no meu rosto para poder acordar.

- Mas Roxy vem cá. - ele me chamou.

- O que foi baby? – sentei ao lado dele.

- Vem mais aqui. - ele me puxou e me abraçou.

- Não vive sem mim. – revirei os olhos.

- Me diz uma coisa...porque a Meg não perdoou o Max?

- Olha Nathan... – me ajeitei na cama. – a Megan nunca se apaixonou desse jeito, ela ama o Max com todas as forças, mas ao ver ele com a Mandy, o mundo dela parou sabe? Não é fácil ver o cara que você ama com outra. Ainda mais quando você não suporta essa outra.

- Mas se ela falasse isso pra ele, com certeza ele ia largar a Mandy por ela, porque ele a ama.

- Eu sei Nathan, mas... eu não posso tomar as decisões por ela, ela quer esquece-lo. Não que sofrer.

- Mas logo com o Iglesias?

- Ele gosta dela, e pode dar todo o carinho e apoio que ela precisa.

- Isso machuca o Max, você viu o jeito que ele ficou xingando ele.

- A culpa não é minha se ela quis desse jeito. – me levantei. – o Zach falou pra mim que queria me ver feliz mesmo que não fosse ao lado dele, e eu concordei e tivemos uma conversa normal, o Iglesias fez a mesma pergunta para Megan, se ela queria ser “livre” sabe o que ela respondeu? Eu não quero sofrer. O Max não percebe, mas ele causa isso a ela.

- Por mais que eu não queira admitir, mas a Megan esta sofrendo pelo Max de uma forma absurda.

- Não é atoa também o único amor dela, estava se agarrando a uma qualquer ontem. – voltei a me sentar e a mexer no cabelo do Nathan.

- Sorte a minha que larguei logo a sua prima.

- Espero que você não tenha nem chegado a encostar nela.

- Juro que só foi no dia do "Incidente" do beijo.

- Acho bom mesmo.

- Você sabe que eu te amo Roxy. - ele sorriu.

- Vou começar a te deixar mais sozinho.

- Nem pense nisso. – ele me puxou e selou nossas bocas em um beijo calmo. Me afastei aos poucos e me levantei, dei a mão pra ele, e logo vestiu uma camiseta e uma calça. Eu precisava de um café da manhã e dos grandes ainda, a fome me invadia completamente. Também depois da noite passada, quem não estaria?

                                    Iglesias Pov

Cheguei no hotel depois da reunião com a gravadora. Já estava tudo pronto pro inicio da turnê. Entrei no banho e relaxei por longos minutos, logo então saindo e pegando meu celular.

xx Posso ir ai? - E. Iglesias. xx  

Mandei a sms para Megan. Me vesti e vi a tela do meu celular se ascender.

xx estou esperando xx Meg

Sorri e logo estava no carro dirigindo em direção ao apartamento dela. Subi os andares e toquei a campainha.

- Oi! - ela abriu a porta e sorriu, puxando meu pescoço e nossos lábios se tocando.

- Hum! Hoje o seu humor esta melhor. - sorri

- Com toda certeza. Vem entra. - ela me puxou pela mão até o sofá, se sentando.

- Então o que vamos fazer hoje? – perguntei animado.

- Que tal ficarmos por aqui mesmo? Aproveitar que não tem ninguém em casa, ver um filme?

- Por mim tudo bem. – me ajeitei no sofá passando os braços ao redor dela, que logo encostu a cabeça em meu peitoral.

- Isso é estranho. - ela sorriu.

- O que?

- Antes eu te via como meu ídolo, agora olha aonde e o jeito que estamos.

- Quase namorando. – comecei a mexer em seus cabelos.

- É verdade.

- E então, que filme vamos ver? – mudei de assunto.

- Não sei, qual você prefere?

- Já que você precisa melhorar esse humor. – apertei as bochechas dela. – quero comédia.

- Ok! - ela se levantou e colocou qualquer filme de comédia que tinha ali, na verdade nem prestei atenção.

- Megan... – virei o rosto dela pra mim. – que tal deixarmos o filme pra depois?

- Mas você quer fazer o que? - ela me olhou confusa. Sorri malicioso e aproximei nossos rostos, selamos os nossos lábios e pedi passagem da língua que logo foi cedida, comecei a aprofundar o beijo e a puxar a sua cintura contra o meu corpo. Ela sentou no meu colo e nossos beijos começaram a ficar mais rápidos e mais ferozes.

Senti sua mão percorrer a barra da minha camisa e a levantar, ajudei a tirar e ela começou a deslizar a sua mão sobre meu peitoral. Suspirei ofegante e puxei seu rosto a beijando de novo. Deitei Megan no sofá e comecei a tirar a sua blusa vagarosamente, com nossos lábios ainda colados. De repente ela parou, ficou estática e me encarou.

- Desculpa, eu...eu não posso. - ela saiu debaixo de mim e se sentou no sofá.

- Tudo bem. - respirei e me ajeitei. Peguei minha camisa e a coloquei.

- Me desculpa Enrique é que só...

- Não se preocupe linda. - beijei a sua testa. - vamos assistir o filme. Ela voltou a encostar sua cabeça em meu ombro e comecei um carinho em seus cabelos. Eu sabia em quem ela pensava, e o porque dela ter parado, mas só vou me afastar dela quando ela pedir para eu ir embora.

                                      Max's Pov

Procurar as chaves no bolso do casaco quando se esta com as mãos ocupadas nunca é fácil. Ainda mais trazer lanche para Tom. Tinha ido no McDonald's comprar algo para comer, ou somente me distrair um pouco, já que a única coisa que ocupava a minha mente era Megan.  Abri a porta de entrada e vi Roxy abraçada a Nathan no sofá.

- E ai. - falei. Porque eles se acertaram e eu e Meg não podíamos nos acertar? Ah é , me esqueci de um simples detalhe: Enrique Iglesias.

- E ai cara. - Nathan se ajeitou no sofá e Roxy sorriu.

- Vão querer algo? Trouxe aqui algumas coisas. - mostrei a sacola.

- Eu quero. - Roxy se levantou e veio até mim pegar as sacolas.

- Er...Roxy posso conversar com você? - sussurrei enquanto ela estava perto para Nathan não ouvir, ele ia me chamar de Bicha.

- Claro Max. - ela sorriu e foi para a cozinha. Ia indo quando Siva apareceu.

- To levando o carro viu? Tom e Jay saíram. - ele falou e logo saiu pela porta correndo. Olhei para onde estava Nathan, que estava assistindo TV, e fui até a cozinha. Roxy estava sentada no banquinho do Balcão, comendo o hambúrguer.

- Roxy - a chamei.

- Fala Max.

- Você sabe de quem eu vou perguntar.

- O que quer da Megan?

- Uma explicação. Saber o porque ela esta com aquele...

- Olha, você vai ficar putasso comigo mas to nem ae... eu incentivei ela a ficar com ele por que ela tava sofrendo.

- Você fez isso porque? Não sabia que eu gostava dela Roxy?!

- Foi o seguinte eu combinei de ir ao parque com o Zach e nos reconciliamos, ai o Enrique cantou uma musica pra Megan e ela veio correndo até mim perguntando o que faria, nós estávamos com raiva, dor, tristeza sabe o que é isso? Você se sente péssima depois que vê o cara que ama agarrada a outra, não é nada fácil. Então ela precisava de alguém, alguém que ajudasse ela a seguir em frente.

- Você não devia ter feito isso. Eu admito que o que eu fiz foi uma burrada, mas agora, vai ser mais difícil dela voltar para mim, com aquele lá agarrado nela, você sabe o que é sofrer a distancia, e é isso que eu to passando Roxy, agora ela não quer nem  mais ver minha cara. - me sentei no banco ao lado dela.

- Não briga comigo Max, eu só não queria ver a minha amiga enfrentar tudo o que eu passei sozinha, sem ninguém para apoia-la, além do mais o Iglesias perguntou pra ela, se ela queria ficar sozinha eu digo ficar “livre”. Ela apenas respondeu que não queria mais sofrer. Max você a magoou muito.

- Eu sei, eu estou arrependido. Eu quero ela de volta Roxy. - a encarei.

- Eu sei Max, mas eu não posso virar pra ela e falar: “O Max esta arrependido volta pra ele”. As coisas não funcionam dessa maneira.

- Me ajuda, eu sei que nunca fui de pedir nada pra você, acho que a ninguém, mas já fiz de tudo pra aquela baixinha me perdoar, me ajuda.

- Megan vai me xingar de todos os nomes possíveis quando eu falar pra ela voltar com você.

- Roxy eu não sei mais o que fazer. - me levantei e fui até a geladeira. Falar com Roxy era a minha ultima opção e ela estava escorrendo das minhas mãos como água.

- Se você a ama, fala pra ela, não pra mim. O baby mesmo me ganhou quando falou que me amava com a maior sinceridade do mundo, eu não tive como duvidar disso.

- Mas eu já falei...hoje de manhã eu fui na casa de vocês, falei que a amava, mas ela...

- Olha Max, só palavras bonitas não adiantam em nada, você tem que provar que a ama.

- Como?

- MAX! Eu não posso pensar em tudo também, isso pode soar gay mas essas escolhas são feitas do coração, olha o Iglesias ele canta pra ela quando precisa demonstrar alguma coisa.

- Quer que eu cante pra ela? Eu canto o CD todo, mas eu quero aquela baixinha de volta.

- Max não vai adiantar cantar o CD todo pra ela, se não tiver emoção. O que eu to querendo te dizer é, surpreenda a Megan.

- Vou tentar do meu jeito. - sorri e fui até onde ela estava a abraçando. - er...obrigado.

- Não precisa ter medo de me abraçar só por que eu to com o Nathan ou por que as vezes pareço uma psicótica. – ela disse me puxando para um abraço direito.

- Se o Nathan ficar irritado eu dou um soco nele, agora você louca. - sorri e beijei sua testa.

- Haha idiota. – ela revirou os olhos.

- Besta. - me soltei dela e voltei ao meu banco.

                                      Megan’s Pov

Já ia dar 19:00 hrs. Estava largada na sala, assistindo um programa de humor e comendo sorvete. Juro que eu estava começando a ganhar alguns quilos só de comer besteira e nada dessa turnê começar, eu precisava voltar logo a ativa.

Comecei a gargalhar alto com aquele programa, sinceramente, agora sim eu estava parecendo uma típica obesa. Olhava para a porta a espera de Roxy e nada dela chegar,  as putas ligaram avisando que iam dormir em um hotel de Luxo no centro de Londres e só não mandei elas irem tomar nas partes baixas porque Enrique estava na hora. Pelo menos assim eu poderia contar a notícia a Roxy com mais calma.

- Boa noite Megan!! – ela sorriu.

- Boa noite Roxy, pensei que não voltava mais pra casa. - tirei a colher da boca.

- Desculpa mas, o Nathan estava impossível.

- Tirando a seca né? - comecei a gargalhar alto.

- Frases de Nathan Sykes ontem: “Senti a sua falta.” “Quer tirar o meu tesão acumulado” – ela me acompanhou nas risadas.

- Meu Deus o Nathan anda muito safado! Jura que ele falou isso?

- Diz ele que ficou muito tempo sem mim, Drama. Mas eu acho que ele anda passando muito tempo com o vagabundo do Max.

- Er...com o Max né... - sorri sem graça.

- É com o Max, mas e então... ficou mofando o dia inteiro?

- Não, Iglesias esteve aqui.

- Hum... e ai?

- Vou te contar uma novidade...Enrique me pediu em namoro.

- E você disse o que?

- Que sim! Isso não é demais? - sorri empolgada, mas ela ficou me encarando.

- Se você esta feliz assim, quem sou eu pra negar?! – ela sorriu fraco, alguma coisa estava errada.

- O que você tem? Não esta feliz?

- Estou apenas um pouco cansada, Nathan tem esse efeito. – ela deu de ombros. – vou tomar um banho, ok?

- Ok. - ela saiu logo para o quarto e eu voltei a assistir o seriado na TV.

Quando o seriado acabou, começou a chamada para um filme de suspense. Corri até a cozinha e coloquei uma pipoca no micro ondas e esperei até ela ficar pronta, mais uma comida para eu virar baleia e não passar mais na porta. Corri com o refrigerante e a bacia na mão e me joguei no sofá. Depois que o filme acabou (sem graça porque o galã morre no final) olhei para o relógio e já eram 23:00 hrs.

- Nossa. - sussurrei e me levantei do sofá me espreguiçando, quando alguém tocou a campainha. -quem será a essa hora? Bem as lombrigas. - cocei a cabeça e fui atender a porta.

- Precisamos resolver isso. – Max entrou no apartamento.

- Você acha que é quem pra vir essa hora no apartamento? Você fumou demais? - bati a porta com raiva.

- Eu sou Max George, o cara pelo qual você é apaixonada e o sentimento é reciproco, mas o cara andou fazendo burrada ultimamente e perdeu a única pessoa que realmente importava pra ele.

- Não me venha com isso Max, você esta é com sono, vá para casa.

- Eu não durmo cedo, e pra falar a verdade, dormir é o que eu menos tenho feito.

- Max por favor, pare de falar essas coisas...se você veio aqui falar algo igual fez ontem, pode ir embora.

- Não até a gente resolver o nosso problema.

-"Nosso" não. Eu já falei tudo o que tinha de dizer a você, e você também já se expressou.

- E você ainda não quer acreditar. Por que é tão difícil pra você? Nós podíamos estar felizes agora, que nem na época da praia, se lembra disso pelo menos? Foi depois daquilo que tudo começou a mudar.

- Pra você ver como as coisas mudam Max, um dia você estava comigo, no outro estava beijando outra. É Max, é difícil quando a pessoa sofre.

- Você fala como se não estivesse aos beijos com o Iglesias, eu também sofro Megan. Não é só você.

- Mas ele é meu Namorado! - falei mas me arrependi assim que vi o rosto de Max desmoronar.

- Eu não ouvi isso! – ele respirou fundo. – FALA PRA MIM QUE É MENTIRA MEGAN!

- Não Max, não é. - vi Roxy aparecer no pé da escada mas logo sumiu.

- Por que você fez isso Megan? Por que?

- Porque Max, eu não quero mais sofrer, e eu vi que com o Enrique as coisas estão sendo mais fáceis de encarar.

- Só se for pra você né?! Você não esta sofrendo sozinha nessa história.

- Max, você me magoou muito, você sabe que eu te amo, tanto que chega a doer, não era para eu nem estar falando isso, mas se eu voltar para você eu tenho medo de sofrer, você vai me magoar outra vez, e não vou ter mais o Enrique para me confortar, eu sei disso Max.

- Você sofrer mais ao lado dele. Você não percebe que você só finge quando esta com ele? Eu também te amo Megan mas, acho que você não da a mínima pra isso. Só tenho uma coisa pra te dizer... – ele se levantou do sofá. - eu nunca vou desistir de você. – ele abriu a porta e foi embora.

- Não perca seu tempo comigo Max. - sussurrei encarando a parede - ROXY!!! - gritei a ela.

- Que que foi? – ela veio meio sonolenta.

- Você tem alguma coisa a ver com ele ter vindo aqui? - a encarei. Meu sono já tinha ido a muito tempo.

- Max te deu maconha?

- Não Roxy, quero saber se você ta envolvida nisso?

- Por favor né Megan, posso ser louca mas nem tanto.

- Certeza? Nossa cara, ele...ele falou que não vai desistir de mim. - coloquei a mão no rosto.

- Você bem gostou que eu sei.

- Não Roxy! Eu não posso me iludir mais por ele...eu tenho o Enrique agora.

- Megan eu não queria te dizer isso mas... não acha que esta sendo egoísta?

- Eu egoísta? Ele me faz sofrer e eu estou sendo egoísta? Só estou tentando viver a minha vida.

- Eu falo pelo Enrique, imagina o quão difícil deve ser pra ele ver você triste, sofrendo por outro cara? Ele realmente gosta de você, e você não sente nada por ele. Você ama o Max e não tem como negar isso.

- Mas quer que eu faça o que? Se eu abandono o Enrique e volto pro Max, é capaz de eu sofrer, porque o Max pode me trair outra vez, e o Enrique me faz tão bem.

- Olha... eu quero que você tenha certeza do que esta fazendo, eu quero você feliz, e pra isso você ainda não precisa de um cara no seu pé. Você pode muito bem viver livre, pegar quantos gatinhos quiser sem se preocupar com relacionamentos. Talvez se você dar um tempo pra si mesma possa ser melhor.

- Eu só preciso tentar dormir... - me levantei do sofá. Caminhei até meu quarto e me joguei na cama. Tudo estava rodando na minha cabeça, misturando as coisas e me deixando confusa.

                                    Roxy’s Pov

Acordei com a merda do celular da Megan tocando, o que ele estava fazendo no meu quarto mesmo? A é na noite passada eu tinha ligado pro Max do celular dela já que o meu estava perdido pela casa.  Recusei a chamada e taquei o travesseiro na cabeça na intenção de dormir novamente, mas aquele negocinho não parava. 

Me levantei revoltada e o desliguei, fui até o banheiro lavei o rosto e depois desci até a cozinha na intenção de comer alguma coisa. Ouvi um barulho muito alto vindo da sala e corri até lá com medo de ser um ladrão. Mas por sorte me deparei com Nathan sorrindo descaradamente.

- E ai Linda.

- Nathan você ta ficando louco? Se minhas primas te pegam aqui estamos ferrados e bye bye.

- Relaxa já andei a casa toda e elas não estão aqui.

- Como eu não te vi? E como você entrou aqui?

- Eu sou um garoto muito, mais muito esperto. - ele se aproximou de mim, segurando em minha cintura.

- Você anda me assustando muito Nathan, isso não se faz.

- Você não gostaria de uma visita como a minha essa hora da manhã? - ele beijou meu pescoço.

- Você só me surpreende, isso não ta certo vou ficar mal acostumada. – passei as mãos ao redor da sua nuca.

- Pois fique, porque é isso que eu sempre vou fazer para você. - ele sorriu.

- Besta! – bati em seu peitoral.

- Linda. - roçou seus lábios no meu.

- Não vou te chamar de lindo, o seu ego é muito grande. – gargalhei.

- Nossa Roxy, merecia ao menos um "você é fofo". - ele fez uma voz estranha.

- Fofo soa muito gay e gordinho, me deixe pensar. – fiz cara de pensativa.

- Fale logo.

- Se ficar me apressando vai ficar sem elogio babaca. – revirei os olhos. – huum... eu amo o seu sorriso, ele é muito lindo. E você fica uma gracinha nervoso já disse isso?! – voltei a rir.

- Nervoso? Gracinha nervoso? - ele sorriu confuso.

- Nervoso, envergonhado... – roubei um selinho.

- Posso te dizer uma ideia que eu tive com os meninos antes de vir pra cá?

- Er... claro. – sorri fraco.

- Que tal uma viagem? Na verdade a ideia foi do Max.

- Pra onde?

- Ilha de Barbados, topa?

- Olha...se o cara que eu gosto for e me fizer companhia eu topo.

- Talvez, temos que perguntar a esse carinha ai.

- Também acho, ele não anda me dando muita certeza das coisas ultimamente.

- Se ele não for, eu soco a cara dele.

- Acho que não vai precisar, por que se ele não for fico sem olhar na cara dele por um bom tempo.

- Bom dia Roxy....o que o Nathan faz aqui a essa hora? - Megan apareceu descendo as escadas.

- Resolveu fazer uma surpresa. – sorri pra ele.

- Nossa que amor, graças a Deus ainda não tomei café pra não vomitar. - ela rolou os olhos e passou por nós.

- Fala Roxy o que eu acabei de te dizer. - Nathan pediu.

- O que foi? – ela nos olhou.

- Meg os meninos estão planejando uma viagem pra Ilha de Barbados ta afim?

- Não sei...será que é bom??

- Ah vamos Megan, aquele lugar é lindo.

- Posso levar o Iglesias? - ela nos perguntou receosa.

- Bem... ele é seu namorado não?! – Nathan falou. – então penso que sim.

- Sério?? Ai que bom, vou ligar pra ele. - ela subiu correndo as escadas.

- Só eu acho que isso não vai prestar? – perguntei.

- Por que Roxy?

- Nathan... o Max vai estar lá.

- Merda! Não tinha pensado nisso, e agora? Vai rolar briga.

- Bem agora a gente tem que torcer pra ele não poder ir. – sorri.

- Faça as suas macumbas. - ele começou a gargalhar.

- Ei você ta chamando a sua... qualquer coisa que eu seja, de macumbeira. – bati em seu ombro.

- Sei lá, mas tudo o que você fala acontece. -no mesmo instante vimos Megan descer a escada, meio séria.

- O que foi Megan? – perguntei indo até ela.

- O Enrique, não vai poder ir porque hoje mesmo ele ta indo pra L.A. Gravar o novo single antes da turnê. Foi de repente e ele já esta quase saindo.

- Ah não tem problema Meg, a gente te anima na viagem. – olhei para Nathan surpresa e ele estava contendo a risada.

- É Megan, confia na Roxy, ela nunca erra. - Nathan soltou um riso abafado.

- Idiota! – revirei os olhos. – vai ficar tudo bem Megan, vai ser legal a viagem, eu abandono o Nathan pra ficar contigo, tenho certeza que ele não vai se incomodar.

- Ta certo.eu...eu vou lá me despedir do Enrique. - ela pegou a chave do carro e saiu do apartamento.

- Acho bom você não falar nada Nathan! – me joguei no sofá.

- Falar o que? - ele se jogou ao meu lado.

- Ai tudo o que você fala acontece, fez sua macumba e deu certo... essas coisas.

- Então vou adivinhar mais uma...eu vou te beijar, você corresponde e vamos para o seu quarto. - ele sorriu travesso.

- Não vai ganhar isso tão fácil dessa vez.

- Vamos ver. - ele chegou perto e mordeu meu lábio inferior.

- Para com isso Nathan. – sussurrei.

- Você sabe que não é isso que eu quero. - ele deslizou a mão pela minhas costas e segurou a barra do meu short.

- Você não presta. – sorri mordendo o lábio inferior.

- É que eu só presto perto de você. - de repente ele me empurrou, me deitando no sofá e ficado por cima de mim.

- Meu Deus o que eu fiz com você Nathan, você anda pior que eu.

- Você me deixa louco. - ele quis beijar, mas começou a morder meus lábios.

- Odeio quando você consegue o que quer. – passei a mão por baixo de sua camisa e comecei a arranhar a sua barriga.

- Acertei. - ele sorriu e avançou em meus lábios.

- Não vou deixar você ganhar essa. – sorri e o empurrei.

- E se eu fizer isso? - ele começou a tirar a própria roupa.

- Oh God! – fechei os olhos.

- Pra que você ta fechando os olhos? Já percorreu meu corpo com as mãos. – abri os olhos e ele estava só de box preta.

- Não vou me entregar tão fácil. – comecei a rir.

- Então vou embora. - ele começou a recolher as roupas em cima do sofá.

- Então vai! – resmunguei e me levantei do sofá.

- Agora não vou mais. - ele me empurrou e me prensou na parede.

- Indeciso. – passei as mãos por sua nuca.

- Voltei... NATHAN PORQUE VOCE ESTA QUASE PELADO?? - Megan gritou.

- Se explique Nathan. – comecei a rir da cara dele.

- Eu...é...que...Ah Megan não faça pergunta difícil. - ele se confundiu.

- Ai ai... não precisa se explicar Nathan, ela já sabe o que ia acontecer. – sorri.

- Nossa, mas enfim, Enrique já viajou. - Megan falava virada de costas.

- Contou pra ele sobre a nossa viagem? – me separei de Nathan e fui jogando as roupas pra ele.

- Sim, ele disse que era uma pena ele não ir, mas era pra eu me divertir bastante e que...era para eu tomar cuidado.

- Você vai estar entre amigo... o único que você tem que tomar cuidado é o Tom, sabe como ele fica quando esta bêbado. – Nathan colocou a blusa e veio até nós.

- Eu sei lá, estou sentindo algo estranho. - ela nos fitou.

- Calma, o Max não vai fazer nada. – sorri fraco.

- Só de estar no mesmo local que ele...

- Megan você vai ter que se acostumar com a presença dele, afinal eu trabalho com eles e agora voltei com o Nathan.

- Mas necessariamente não preciso conviver com ele...tudo aquilo ainda dói muito.

- Olha Megan aquele lugar é enorme, você não vai ficar trombando com ele toda hora, a gente pode pegar alguns dias e fazer alguma coisa só nós duas como nos velhos tempos.

- Tudo bem, agora eu preciso subir. - ela abaixou a cabeça e foi para o seu quarto.

- Falei que ia dar merda. – me sentei novamente.

- Calma, logo ela esquece. - Nathan finalmente se fez presente.

- Nathan! – dei um tapa na minha testa. – nessa semana vai ser o aniversário da Megan.

- Sério? Cai bem na semana da viagem.

- A gente faz uma festa pra ela lá. – sorri animada.

- Se tiver bebida, talvez. - ele riu.

- Depois eu falo que você ta andando muito com o Max, e você não acredita.

- Você bem que gosta. - ele piscou e se sentou ao meu lado. Deitei em seu colo e ele começou a mexer no meu cabelo, ficamos assistindo um desenho qualquer que passava na televisão, enquanto fazíamos planos para a viagem.

                                    Siva's Pov

- Nunu senta aqui. - Puxei Nareesha que estava em pé e ela se sentou no sofá ao meu lado. Aqueles dias perto da minha garota estava sendo melhor, impossível. Agora teríamos mais uma viagem e nosso tempo juntos iriam ser mais aproveitados.

- Siva tenho que escolher os meus biquínis. - Nareesha me olhou.

- Calma amor, depois você escolhe com calma. Fica aqui mais um pouco. - puxei seu rosto e depositei um beijo leve em seus lábios, que estavam sorrindo.

- Tira o pé dai. - Jay passou na sala e bateu em meu pé em cima da mesinha, nos atrapalhado.

- Jay seu viado vá procurar algo pra fazer. - falei e joguei uma almofada nele.

- Jay você já ajeitou as suas coisas? - Nareesha perguntou.

-eu...

- Naree ele não ajeita, ele arremessa a roupa na mala. - Tom apareceu na sala comendo um sanduiche.

- Haha engraçado. - Jay fez careta e começou a mudar o canal da TV.

- Para com isso. - Max apareceu dando um tapa na cabeça de Jay.

- Não vão brigar agora, não é?

- Naree amor, sempre é assim. - falei e ela rolou os olhos.

- Cheguei!!!! - Nathan gritou assim que entrou na casa.

- O Gay da casa chegou. - Tom bateu palmas.

- Tão gay que tenho até uma “namorada”. – fez aspas com a mão.

- Nossa falou fodão, to cuspindo a cerveja. - Jay rolou os olhos.

- Idiotas!! – Nathan se jogou no sofá.

- Conta ai cara, falou com a Roxy? – perguntei.

- Elas toparam.

- Elas...? Quer dizer que a Megan vai? - Max entrou na conversa.

- Lógico que vai, já viu a Roxy sem a Megan? – Nathan riu.

- Não né, nem combina. - Tom fez careta.

- Mas enfim elas toparam e eu e a Roxy estávamos conversando sobre fazer o aniversário da Megan lá.

- Aniversário da Megan? - Nareesha perguntou me olhando.

- Eu não to sabendo de nada amor.

- A Roxy se lembrou hoje e me falou... então o que vocês acham de fazer uma festinha pra ela lá?

- Parado todo mundo! - Nareesha gritou e ficamos a olhando. - Tchau amor tenho que comprar o presente da Megan! - ela me deu um selinho e saiu correndo sumindo porta afora.

- Tchau Nareesha. - Jay falou depois de um minuto.

- Mas então, voltando ao assunto... - Tom se pronunciou.

- Aniversário da Megan lá, eu topo. – falei.

- Não sabia que era aniversario dela. - Max coçou a cabeça.

- Ninguém sabia. – Nathan pegou o celular.

- Ligar pra quem? - Jay perguntou.

- Conversar por sms com a minha garota da licença. – mostrou a língua. – enfim vocês já compraram as passagens?

- Temos que reservar! Porque não vamos logo amanhã? - Tom deu a ideia.

- Quantas passagens reservar? – perguntei.

- Reserva a do Iglesias também, já que a Megan não desgruda dele. - Max falou debochado.

- Ele não vai. – Nathan deu de ombros.

- Não??!??! - todos nos espantamos e ficamos encarando Nathan.

- Ele foi viajar hoje mesmo, tinha um compromisso sei lá.

- Beleza. - Max por um momento festejou e ficamos incrédulos, ele não tentaria roubar a Megan, não é?

- Max, não pense que...

- Siva, eu sei o que estou fazendo. - ele sorriu.

- Max pense bem no que você vai fazer. - Nathan alertou.

- Nossa eu não vou fazer nada de mal. - ele levantou as mãos.

- Max a gente te conhece. – Tom arqueou a sobrancelha.

- Sério, não acaba com a viagem. – pedi.

- Relaxa rapazes, eu não vou fazer nada...que não seja pra fazer. - ele sorriu e subiu as escadas.

- Ele vai tentar algo pra voltar com a Megan. – falei.

- Desde que não estrague a viagem, tenho planos. – falou Nathan.

- Qual podemos saber? - Tom se largou no sofá.

- Claro... – Nathan se levantou. – que não. – e foi em direção a cozinha.

- Idiota. - rolei os olhos e subi para o meu quarto. Nada melhor do que tomar um banho e mais tarde ir reservar as passagens de avião para amanhã.

                                     Megan's Pov

Confusão. Era isso que se resumia a minha mala, quer dizer, a minha e a de Roxy, porque nós duas corríamos pela casa, ajeitando as coisas. Em algumas horas os meninos estariam ali para nos pegar.

- ROXY CADÊ O MEU PROTETOR? - gritei pra ela do Banheiro.

- ACHO QUE TA NO SEU QUARTO NÃO?

- PERA AI. - corri até ele e o achei junto com meus cremes. - MERDA OS CREMES! - gritei e sai abraçado todos e jogando na mala. Terminei de pegar tudo o que eu precisava e tentei fechar. -MERDA! A MALA NÃO FECHA! - comecei a socar as roupas até ela fechar. Me olhei no espelho uma ultima vez (www.polyvore.com/megans_clothes_21/set?id=68214077), peguei meus fones e fui puxando a mala até o quarto da Roxy.

- Ta pronta? - bati na porta.

- Quase... – ela disse fechando a mala. – pronto.

- Vamos que Tom já avisou que esta lá embaixo. - ela saiu do quarto (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=68213214&.locale=pt-br).

- Ele deve estar surtando pela demora. – ela riu. Descemos a escada puxando as malas e assim que abrimos a porta, demos de cara com as duas vadias.

- Vão viajar? Sem nós? - Mandy perguntou olhando as malas.

- Eu vou trabalhar, tenho uma viajem por causa da Tour, dá licença? – pedi.

- E Roxy, porque você vai? - Bel a encarou.

- Pra não ter que olhar a tua cara. – Roxy saiu em direção ao elevador.

- Me espera Roxy. - Gritei e sai, deixando as duas lá plantadas na porta.

- E como ficamos? - ouvi elas gritarem.

- Se virem! - sorri e a porta do elevador fechou.

- Uma semana relaxando quer coisa melhor? – Roxy suspirou.

- Talvez pra você...o Enrique não vai. - falei seria já pensando não só nele, mas em Max.

- Esquece o Enrique e o Max, vamos pra nos divertir e relaxar.

- Certo! Vamos tirar férias. - comecei a sorrir.

- Isso mesmo, pelo menos assim esquecemos aquelas duas.

- Isso. - falei e caminhamos para fora do Elevador. Nathan e Tom estavam do lado de fora dos carros. Nathan deu um beijo caloroso em Roxy e Tom me abraçou.

- Prontas? - Jay deu a volta no carro e parou na nossa frente.

- Sim. – falei.

Eles colocaram nossas coisas no porta malas, e assim que entrei em um dos carros, vi Max no motorista. Ele ficou me encarando até Nathan bater em seu braço pra irmos logo. Confesso que um frio percorreu toda a minha espinha dorsal por causa daqueles olhos verdes. Não queria estar sentindo aquilo, não queria.

xx

Estávamos sentados naquelas cadeiras duras do aeroporto. Os meninos faziam brincadeiras mas nada fazia o tempo passar logo, até que ouvimos o voo ser chamado.

- Meninos é o Nosso voo. - Nareesha se levantou.

- Ilha de Barbados, ai vamos nós. - Tom parou na frente e falou.

- Porque você sempre fala uma frase parecida quando vamos viajar? - sorri batendo em sua cabeça e me encaminhando para o portão de embarque. Sentamos nas poltronas reservadas no avião.  Eu e Roxy, Nathan e Max, Jay e Tom, Siva e Nareesha. Assim que o avião decolou, coloquei meus fones e tentei dormir. Só tentei, porque Jay estava sentado atrás de nós começou a chutar a poltrona.

- Fica quieto Jay! – grunhi.

- Chata!! – Jay resmungou.

- Você! - mostrei a língua. Mas na hora que eu voltei a me deitar, a minha poltrona e a de Roxy começaram a serem chutadas. Que legal, agora era Jay e Tom.

- Parem os dois! - fiquei de Joelho na poltrona, sobre o olhar dos outros meninos.

- Vou te bater Thomas!! – Roxy disse brava.

- Você não teria coragem! – sorriu, ela começou a tentar acerta-lo mas, Tom ia se abaixando no banco fazendo com que ela não o alcançasse.

- Babaca! – Roxy grunhiu brava.

- Joga o seu suco nele. - dei a ideia.

- Não, é mancada. – ela riu e se ajeitou no banco novamente.

- Aff, pelo menos eles iam ter uma lição. - me ajeitei no banco. Depois de meia hora a sede foi mais forte e sai até uma comissária mais próxima.

- Por favor, pode me dar um copo de água?

- Claro, entre aqui. - fui até uma mini cozinha no avião e bebi. Quando voltei ao meu acento, já tinha uma pessoa lá.

- Nathan sai dai. - puxei o cabelo dele, que fingia dormir.

- Me deixa sentar com a Roxy. - ele pediu com o olhar penoso.

- Nathan volta pro teu lugar!! - bati o pé no chão.

- Por favor Megan...Megzinha - ai foi demais,"Megzinha" comecei a gargalhar.

- Ta ok Nathan, onde você estava senta... - me virei para olhar e ele estava ao lado do Max, que dormia. No mesmo instante paralisei e o fiquei olhando, seu rosto sereno e sua respiração cautelosa me lembrava dos dias que a gente... olhei para Jay e Tom que conversavam

- Jay você...pode sentar aqui? - falei baixo e com os olhos um pouco marejados. Eu não podia cair na tentação de abraçar Max. No mesmo instante os dois me olharam preocupados e Jay se levantou, vindo se sentar no antigo lugar de Nathan e eu me sentei no dele.

- Não precisa ter medo do Max. - Tom sussurrou rindo.

- Eu não estou com medo dele...é que ele ainda mexe comigo. - queria desabafar com alguém.

- Mas se você ainda gosta dele, por que não volta logo?

- Porque ele me magoou bastante, ele me fez sofrer e Tom...tem o Enrique.

- Da um pé na bunda dele e já era...to brincando. Bem Megan você sabe o que faz, mas se precisar de mim, to sempre aqui pra ajudar ta bom?

- Tudo bem. - sorri para ele.

- Agora deita ai e dorme, por que a viagem é longa.

- Você também cabeçudo. - bati em sua cabeça.

- Eii! – ele apertou meu nariz. Continuamos por várias horas ali, no avião. Jay se levantava várias vezes para ir ao banheiro, mas também não parava de beber. Me levantei na poltrona e vi Nathan e Roxy se beijando, segurei a cabeça dos dois e apertei.

- AAAAAAI MEGAN! - Nathan gritou assim que desgrudou de Roxy.

- Estraga prazeres. – Roxy resmungou.

- Só beijinhos. - comecei a gargalhar e Siva e Nareesha acompanharam. Olhei para o lado e vi Max me olhando de uma forma...carinhosa.

- Acho melhor eu me sentar. - voltei ao meu lugar e coloquei os fones de ouvido. Vamos esquecer o mundo um pouco.

                                      Nathan’s Pov

Assim que descemos do táxi, Megan e Roxy se entre olharam e depois começaram a andar lentamente até a recepção do hotel, eu e os meninos soltamos uma risada de leve e logo fomos atrás delas. Querendo ou não aquele lugar era realmente maravilhoso.

- Como vai ser a divisão dos quartos? – Nareesha perguntou.

- Não é cada um com o seu não? - Jay perguntou preguiçoso.

- Eu vou ficar com a minha namorada, e acho que o Nathan e a Roxy vão querer ficar juntos não? – Siva riu.

- Eu durmo sozinha mesmo. - Megan puxou sua mala para si.

- Tem certeza Megan? – Roxy perguntou.

- Tenho. - ela sorriu. - pode ir pegar o Nathan.

- Como se nossa relação fosse só pegação. – revirei os olhos. Fizemos o check-in e por sorte todos pegaram quartos no mesmo andar.

Peguei o cartão pra abrir o quarto e puxei a Roxy, nossas malas já haviam sido levadas para nossos respectivos quartos. Pegamos o elevador enquanto Jay e o Tom apostavam corrida pela escada até o décimo quarto andar. Assim que a porta do elevador abriu fui logo procurar o meu quarto, precisava de uma cama naquele momento. Abri a porta e as malas estavam no canto o lado da cama de casal, me joguei na mesma fazendo Roxy revirar os olhos.

- Como é boa essa Paz! - abri os braços na cama.

- Eu que o diga! – Roxy se sentou na cama mexendo a cabeça de um lado pro outro, levou a mão ao pescoço e massageou um pouco aquela região.

- Quer massagem?

- Seria ótimo. - me levantei e comecei uma massagem na sua nuca.

- Roxy, o que será que vai acontecer nessa viagem?

- Queria dizer que a Megan vai aguentar ficar perto do Max, mas eu estaria mentindo.

- Você acha que eles podem... - passava os dedos levemente pelo seu pescoço em círculos.

- Se o Max for persistente. – suspirou pesado.

- Acho que a Meg não vacila. - acariciei mais forte seu pescoço.

- Conheço a Megan, ela gosta que lutem por ela, e se ele fizer isso...

- O Enrique leva um belo par de chifres. - gargalhei alto.

- Talvez ela tente resistir por ele. Afinal são namorados.

- Quando o Max decide que quer algo, nada faz ele mudar. E como ele ama ela, acho que vai continuar lutando. - puxei seu rosto e beijei sua bochecha.

- Acho bom ele continuar mesmo, e não desistir tão cedo.

- É...e a festa, como você planejou? - me sentei na cama e a encarei.

- Não tenho nada em mente ainda, preciso de ajuda.

- Eu vou te ajudar. - dei um selinho nela.
 
Continuamos a conversar até que Roxy resolveu ajeitar algumas roupas no armário, e depois foi tomar um banho, eu continuei deitado na cama assistindo televisão e tomando a minha coca cola, se tudo ocorresse naquela semana como eu tinha planejado, nós voltaríamos para Londres como um casal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário