sábado, 5 de janeiro de 2013

Capitulo 17



Continuação do Megan's Pov

Dei a Partida e acelerei pelas ruas já um pouco desertas de Londres. Com a raiva que eu estava, era capaz de não conseguir enxergar a estrada, mas estava conseguindo.

- Eu não acredito que eles fizeram isso. - Roxy se lastimava no banco do passageiro.

- Estamos chegando e logo vamos saber. - falei seria e logo pisei no freio, parando bruscamente em frente a casa deles. Batemos as portas do carro e enquanto caminhávamos até a varanda, vimos a porta se abrir.

- Meninas! Vocês aqui a essa hora? - Tom sorriu.

- Sem tempo agora Tom. - falei passando por ele que me olhou curioso.

- ONDE ESTÁ MAX E NATHAN? - Roxy gritou assim que chegamos na sala.

- O que tem nós? - os dois que estavam no sofá ao lado de Siva e Jay se levantaram.

- Me fala se é verdade que vocês beijaram Mandy e Bel? - perguntei os encarando.

- Nós...é...que. - eles se atrapalharam.

- O QUE? - Tom me olhou e olhou para eles.

- Fala Nathan! - Jay se levantou o olhando.

- FALEM A VERDADE! - Roxy de repente gritou, como se estivéssemos a quilômetros dela.

- Vocês disseram para fingirmos, estávamos fingindo. - Max falou.

- É, fomos nos despedir mas elas nos puxaram. - Nathan se defendeu.

- Não sabiam se afastar? - olhei para Max desapontada. Roxy já andava de um lado para outro.

- Se nos afastássemos, elas saberiam que tinha algo errado. - Max falou e Nathan concordou.

- Me poupem de seus argumentos. - Roxy falou.

- Roxy, acredite em mim! - Nathan pediu. Continuei encarando Max com desgosto, como ele pode?

- Megan, por favor, foi só um beijo de nada. - ele chegou perto, pegando minha mão.

- Me larga! - a puxei rapidamente. - vamos Roxy, não temos mais nada aqui.

- Espera... - ela falou enquanto eu me virava. A olhei e ela caminhou até onde estava Nathan, lhe dando um forte tapa no rosto. - Idiota. Já não bastava o Zach ter ficado com ela, agora você... - sua voz falhou.

- Vem Roxy - a chamei e olhei uma ultima vez para Max, que estava me encarando com a boca aberta.

- Meninas... - Jay e Tom chamaram mas sacudi a cabeça em negação e saímos porta afora.

                                      Roxy’s Pov

Durante a volta pra casa nenhuma palavra foi pronunciada, eu estava dividida pela raiva e pela tristeza. Chegamos em casa minutos depois, larguei minhas coisas na sala e fui direto para a cozinha enquanto a Megan subia as escadas, provavelmente indo para o seu quarto. Comecei a pensar em algumas coisas enquanto procurava uma garrafa de cerveja na geladeira.

Nathan fez que nem Zach, na verdade pior, ele estava sóbrio, sem álcool algum percorrendo o seu corpo. Enquanto o Zach pegou minha prima enquanto estava bêbado. Eu já havia dado uma segunda chance pro Nathan, então por que não dar uma também ao Zach? Ele merecia isso não? Era justo ele não tivera chances de mudar ou se explicar.

- Ro...Roxy aconteceu alguma coisa? – sim eu havia ligado para o Zach.

- Eu quero conversar com você. – engoli em seco.

- Pode ser amanhã no parque as onze horas? O Iglesias ta pedindo pra você levar a Megan.

- Esta bem... – suspirei pesado. – então até amanhã, boa noite.

Não esperei ele responder e logo desliguei, peguei a garrafa de cerveja e me joguei no sofá. Liguei a televisão e estava passando um desenho animado. Nada melhor do que isso para um coraçãozinho partido não? Não, tava faltando o sorvete. Voltei até a cozinha e peguei o pote no freezer, peguei uma colher e me joguei no sofá novamente, dessa vez tudo estava ali, tudo o que eu precisava para melhorar.

Xx

Acordei com o barulho do meu celular tocando, peguei o mesmo e sem olhar o visor eu atendi.

- Roxy me ouve por favor. – Nathan já suplicava.

- Não temos nada pra conversar. – desliguei na cara dele e me levantei, tinha dormido no sofá com um monte de coisa ao meu redor. Nem me preocupei em limpar, olhei no relógio dez e meia, ainda tinha que me arrumar e encontrar o Zach, sem contar que eu teria que acordar a Megan. Subi as escadas correndo e abri a porta de seu quarto com força.

- MEGAN ACORDA. – gritei balançando-a na cama.

- MAS QUE PORRA ROXY, O QUE VOCÊ QUER? – ela levantou coçando os olhos.

- Temos que estar no parque daqui meia hora, o Iglesias quer conversar com você, não me pergunte o que é porque não sei.

- Affe! Mais essa pra minha cabeça agora... as putas tão ai?

- Sei lá, nem me dei ao trabalho de olhar. – dei de ombros e fui em direção ao meu quarto. Peguei uma toalha e fui tomar um banho quente para tirar o estresse, demorei mais do que esperado já que minha cabeça não parava um segundo. Sai correndo do banheiro, abri meu armário, peguei a minha roupa e me troquei (http://www.polyvore.com/roxys_clothes_19/set?id=68043097).

Desci as escadas correndo e Meg (http://www.polyvore.com/megans_clothes_19/set?id=68074838) estava sentada no sofá com uma carinha meio triste, fui até a cozinha e peguei uma garrafa de cerveja pra ela.

- Pra que isso? – ela me olhou assustada.

- Bebe logo, antes que eu enfie na sua goela abaixo. – ela revirou os olhos e pegou a garrafa da minha mão, peguei a chave do carro e saímos em direção ao parque, eu estava um pouco ansiosa por aquilo, depois de tanto tempo me reconciliar com o Zach assim de uma hora para outra, ele com certeza perguntaria o por que, mas eu não lhe diria a verdade, não por enquanto.

Assim que chegamos me deparei com a cena de Zach e Iglesias, sentados em um banco. Zach balançava os pés enquanto Iglesias mexia as mãos, claros sinais de nervosismo. Assim que nos viram abriram um largo sorriso, e devo dizer que aquele sorriso era simplesmente lindo, querendo ou não ele era um cara bonito e além do mais educado e carinhoso.

- Finalmente você chegou eu já estava ficando desesperado e...

- Calma Zach! – o interrompi. – Megan você pode deixar nós dois a sós? – ela me olhou meio receosa e eu apenas assenti. Nos sentamos no banco em que eles estavam antes de chegarmos. Megan foi dar uma volta com o Iglesias.

- Então o que você queria conversar? – ele perguntou meio nervoso.

- É o seguinte Zach. – respirei fundo. – eu andei pensando sobre esses dias, e sobre tudo o que você me falou... e eu resolvi te dar um segunda chance.

- Se você estiver fazendo isso só pra enganar a sua prima Roxy, eu não quero além do mais...

- Não Zach não é, eu não te dei uma segunda chance, eu fui injusta não te dei uma chance de explicação, talvez possa dar certo dessa vez. – sorri fraco, talvez o sorriso mais falso que eu já tenha dado na minha vida, o que eu tava fazendo? Tentando ser feliz, seguir em frente com a vida, esquecer o passado ou apenas fugir dele, já que o mesmo tinha nome, endereço e um lindo par de olhos verdes.

- Já que é assim então... – ele entrelaçou os dedos no meu cabelo e me puxou para um beijo, eu não hesitei, apenas acompanhei o seu ritmo calmo. O que eu senti com aquilo? Nada, absolutamente nada, meu coração não era dele, era de outro. Mas o que fazer quando ele te magoa, e te faz sentir um lixo, um nada? Paramos assim que ouvimos uma musica soando um pouco perto, nos levantamos e ele me guiou até lá. Iglesias estava cantando uma musica para Megan.

I try to tell you how I feel
Tento te contar como me sinto
I try to tell you but I'm me
Tento contá-lo, mas
Words don't come easily
As palavras não vêm facilmente
When you get close I share them
Quando você está perto eu os compartilho

Ela estava paralisada apenas analisando o maravilhoso Enrinque Iglesias, o seu cantor favorito, o cara com o quão ela sempre sonhou, cantar para ela.

I watch you when you smile
Te observo quando sorri
I watch you when you cry
Te observo quando chora
And I still don't understand
E eu ainda não entendo
I can't find the way to tell you
Não consigo achar o modo de te contar

Definitivamente se eu fosse ela eu estaria chorando, para outras coisas eu sou forte o suficiente, mas quando se trata de sentimentos eu não consigo controla-los sempre demonstro em excesso e faço cagada.

I wish I was your lover
I wish that you were mine
Baby I got this feeling
That I just can't hide…

Minutos depois ele já tinha acabado de cantar e todos que antes estavam em volta foram saindo aos poucos. Enrique olhava para Megan esperando alguma reação dela, mas tudo o que ela fez foi correr até mim e me abraçar.

- O que eu faço? – ela sussurrou.

- Você deveria tentar dar uma chance pra ele, Iglesias parece ser um cara sensato, carinhoso, romântico e que faria de tudo para ter você ao lado dele. – sussurrei de volta. – além do mais... ele é um gostoso.

Megan apenas riu e partiu o abraço, caminhou de volta até o Enrique e começou a conversar com ele, pelo sorriso que foi aparecendo em seu rosto aos poucos, suponho que Megan tivesse seguido o meu conselho, logo ele a puxou para perto e selaram os lábios. Por que não ser feliz com outro alguém? Ela precisava passar por novas experiências e esquecer as antigas...

                                 Nathan’s Pov

Estávamos todos sentados no sofá esperando a chegada da Roxy para que o ensaio começasse, o clima era tenso, ninguém tinha coragem de falar alguma, eu e Max apenas mantínhamos a cabeça abaixada enquanto o olhar de Tom e Jay pesava sobre nós.

- Vamos logo com isso. – a voz da Roxy ecoou pela sala, e assim que levantei a cabeça a encontrei já sentada pronta para tocar. 

Todos tomara os seus postos e começamos a ensaiar, Max errava, eu errava, começávamos de novo...e assim foi indo até as três horas, horário em que geralmente encerrávamos o ensaio e íamos tomar algum café ou uma cerveja.

- Bem eu vou indo... – Roxy já estava com a bolsa sobre o ombro, pronta pra ir embora, olhei para os meninos e eles entenderam rapidamente, entraram em outra sala deixando apenas nós dois sozinhos.

- Precisamos conversar. – caminhei até ela.

- Já falei que não temos nada para conversar Sykes. – ela revirou os olhos já levando a mão em direção a maçaneta da porta, puxei-a rapidamente empurrando-a pra longe da saída.

- Você sabe que o que eu fiz foi pra continuar com essa mentira toda, para te ajudar a se livrar daquelas idiotas das suas primas.

- Nathan por favor... me poupe de tudo isso. – ela suspirou fundo. – não precisa mentir, é só falar peguei a sua prima e nem pensei em você. Simples, rápido e direto. Odeio enrolações.

- É tão difícil pra você acreditar em mim?

- Sim!! – ela assentiu tão convicta que eu até me afastei um pouco com medo de sua próxima atitude. – você quebrou sua promessa pela segunda vez Sykes. E o pior fez tudo o que o Zach fez e ainda sóbrio, sem ingerir um pingo de álcool. Você no fim acabou sendo pior do que ele, e minhas conclusões sobre você sempre estiveram certas, você é mimado, convencido um completo babaca.

- Eu não quebrei a minha promessa. – grunhi. – você esta colocando coisa aonde não tem, falando coisas que não tem nada haver com a realidade, esta distorcendo tudo. Eu nunca quis e nunca vou querer ficar com a sua prima Roxy, eu gosto de você e você gosta de mim, somos maduros o suficiente para enxergar isso.

- Sim Nathan, eu gosto de você. – uma esperança surgiu dentro de mim e logo desapareceu assim que ela começou a falar novamente. – e é por isso que eu vou me afastar de você, eu não quero sofrer desse jeito, não de novo. Você agora pode ficar com quem você quiser e pegar quem você quiser, sem que eu te atrapalhe. Eu vou te esquecer Nathan e dessa vez não vou voltar atrás na minha decisão. – a voz dela era baixa e fraca, o som quase não saia. Eu sabia que ela não queria aquilo e muito menos eu, mas por que tanta mentira? Pra que tanta frescura? Se era só nós sentarmos e nos resolvermos.

- Roxy para de agira como criança, você não pode fazer isso. Você vai se magoar ainda mais caso se afaste e você sabe disso, então por que não poupamos essa briga e apenas nos resolvemos. – meu tom de voz se elevou um pouco e ela logo retomou aquela pose decidida dela.

- NÃO É TÃO SIMPLES SYKES! – ela gritou. – as coisas não são fáceis como você pensa, que se resolvem em um passo de mágica, você não pode quebrar o coração de alguém assim e depois pensar que pode conserta-lo apenas com algumas palavras estupidas, cresça Nathan, as coisas não vem na sua mão quando você quer. Você tem que correr atrás, lutar pelo o que você quer e não ficar esperando que tudo se resolva. – ela se direcionou para a porta novamente.  – agora eu vou embora por que alguém esta me esperando.

- Quem Roxy? Quem? – eu perguntei já suspeitando da resposta.

- O Zach, nós estamos juntos. – aquelas palavras vieram como uma faca no meu peito. Como ela podia fazer isso? Me largar assim e já correr para os braços de outro? Ela não o amava, se quer gostava dele ou pensava em ter um relacionamento duradouro com ele, então por que voltar assim? Talvez para me fazer ciúmes, ou talvez para finalmente tentar me esquecer, me joguei no sofá e fiquei encarando o nada mergulhado em pensamentos.

                                      Megan's Pov

Aquela tarde estava sendo altamente entediante. Roxy tinha ido para o Ensaio e logo iria sair com Zach, enquanto eu ficava mofando naquele apartamento. A minha sorte que as duas barangas passavam o dia fora de casa, visitando Londres ou dando uma de vadias por ai.

- Que merda! - me movia de um sofá para outro. Tentava achar algo que ocupasse minha mente, mas nada me fazia esquecer Max...nada. Nada iria me fazer esquecer aquilo, ou ele, mas se eu tentasse... disquei o numero já conhecido e após dois toques, a chamada foi atendida.

- Oi Meg. - Enrique passara a chamar meu apelido.

- Oi Enrique que tal sairmos? Aqui ta um tedio. – falei.

- Já estou indo para ai. - deu para ouvir sua voz alterada de feliz e desliguei.

Em minutos a campainha soou. Abri e vi ele parado sorrindo, selei nossos lábios, tentando encontrar o que eu queria, o que eu necessitava, mas não era aqueles lábios que me oferecia aquilo. Não eram os lábios de Max.

- Vamos? - ele pegou em minha mão e fechei a porta do Apartamento. Entramos no carro e rodamos as ruas de Londres, bem movimentadas aquela tarde.

- Sorvete? - Iglesias perguntou.

- Sorvete. - assenti sorrindo.

Entramos na sorveteria e logo peguei uma tigela enorme. Os sabores que eu achava mais atraente eu colocava enquanto Iglesias escolhia detalhadamente, nos sentamos a mesa e começamos a tomar nosso sorvete.

- Esta melhor? - ele perguntou me olhando.

- Sim. - sorri fraco, escondendo tudo que eu estava sentindo ainda. Mas aquilo com certeza estava me distraindo, ele olhou seu sorvete e  entortou a boca, o que fez eu rir simultaneamente.

- O que foi? - perguntou curioso.

- Você entortou a boca de um jeito tão engraçado. - coloquei uma colher na boca.

- Você ta rindo de mim? - ele quis rir mas se conteve.

- Talvez...

- Ah é, então toma! - ele melou o dedo no seu sorvete e sujou a minha bochecha, fazendo ele soltar altas gargalhadas.

- Hey! Isso não vale! - coloquei sorvete na ponta da colher e prendi o cabo entre os dentes, arremessando e o sujando na camisa.

- Megan! - ele riu.

- Você começou! - voltei a comer e ele ficou quieto tomando o sorvete dele. Quando saímos da sorveteria, paparazzis que andavam rondando ali nos viu e vieram correndo. Enquanto eu andava segurando a mão do Iglesias que me puxava até o carro, os paparazzis nos bombardeavam com flashes. Entramos no carro e Enrique acelerou com ele, saindo em disparada pela rua.

- Amanhã isso vai estar nas revistas. - ele falou preocupado olhando a estrada.

- Eu não me importo. - falei, fazendo ele me olhar rapidamente.

- Porque?

- Não me importo mais com nada. - falei. Minha vida já estava uma merda mesmo, nessa confusão sair em umas fotos de revista não causaria em nada, apenas algumas fotos com meu...meu...ficante?!?

Encarei a avenida na nossa frente pois estava cansada demais para raciocinar. Meus pensamentos se desviaram a Max e como ele gostava de sair assim, irmos para um Bar beber. As lembranças da viagem a praia e tudo, parei de pensar assim que percebi que começara a suspirar alto e meu rosto ter a expressão triste. Não queria parecer triste, não na frente do Iglesias.

xxxxx

Acordei sentindo uma leve pressão no braço, abri os olhos e vi Roxy vestida para sair (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=68059755&.locale=pt-br).

- Que horas são? – perguntei.

- 12:00 hrs - ela falou sorrindo.

- Nossa, dormi demais. - me sentei na cama coçando os olhos.

- Mas também, ontem chegou do passeio com Iglesias, só fez subir, banhar e dormir. - ela se sentou na cama ao meu lado.

- Vai sair?

- Zach e eu vamos dar uma volta.

- Tudo bem. - assenti e quando ia me levantar da cama, Roxy segurou meu braço.

- Olha. - ela jogou a revista com a foto de capa.

ENRIQUE IGLESIAS ESTA TENDO CASO COM UMA DE SUAS BAILARINAS

Folheei lentamente a revista, já esperava por aquilo, parei onde mostrava a matéria.

Parece que Enrique Iglesias assumiu definitivamente que esta tendo um caso com Megan  Stark. ontem o casal foi flagrado em uma sorveteria, digamos íntimos, onde eles sorriam e se divertiam se lambuzando com sorvete. Na hora da saída, eles não fizeram questão de esconder e sairam de mãos dadas do estabelecimento até o carro. Será que isso é namoro ou só mais um caso do Príncipe do Pop Latino? Parece que Max George do The Wanted perdeu essa de vez.

Fechei a revista e joguei em cima do criado mudo. Olhei para Roxy que me encarava atenta.

- Deixa isso para lá. - falei indo para o Banheiro.

- Estou saindo ok? - ouvi ela falando.

- Tchau, juízo. - falei e ouvi seus risos. Vesti uma roupa comum (http://www.polyvore.com/megans_clothes_20/set?id=68076292) enquanto estava me ajeitando, ouvi a campainha tocar.

- Atendam a porta! – gritei, mas não se ouviu nada a não ser a campainha. - MANDY,BEL, ATENDAM ESSA DROGA SUAS PREGUIÇOSAS! - gritei no corredor mas nem sinal. Ótimo, tinham saído para bater o ponto de vadias outra vez. Caminhei até a porta onde a pessoa parecia estar muito apressada, poderia ser Roxy.

- Leva a chave... - abri a porta e dei de Cara com Max.

- É só a gente ter uma briguinha sem importância que você já começa a sair com outro?

- O que você esta fazendo aqui? - o olhei seria.

- O que você acha que eu vim fazer aqui Megan? - ele jogou a revista no sofá.

- Max, se veio falar mais besteiras, por favor já pode sair.

- Você sabe muito bem o por que de eu estar aqui, não se faça de boba.

- Eu me fazendo de boba? Agora não posso mais cuidar da minha vida, é isso Max?

- E desde quando, se encontrar com esse carinha faz parte da sua vida?

- Desde o dia que você me traiu.

- Eu não te trai, mas que caralho.

- Não, então beijar a prima da Roxy é o que? Ah é, nós não tínhamos nada mesmo. - falei com raiva, mas aquilo doeu muito em mim.

- Foi pra te ajudar que eu beijei aquela idiota, pensei que ia entender.

- Me ajudar? Fez foi piorar a situação, você não pensou nisso? Não pensou em mim?

- Eu só faço pensar em você Megan, e você nem se quer liga.

- Por favor Max, não me venha falar disso...eu penso em você sim, mas já foi demais para mim.

- Já foi demais? Entendi agora...você queria apenas diversão sem se importa com o que os outros sentem.

- Max por favor não coloque palavras na minha boca, eu já sofri e sofro ainda com isso, mas se for para continuar sofrendo sempre que você cometer uma burrada, eu prefiro me afastar de você e procurar carinho em outro. Coisa que você fez questão de não ter por mim.

- Não tive carinho por você? Me poupe de suas mentiras Megan. Você sabe que ele nunca vai te dar carinho suficiente igual eu fiz, e que você nunca vai gostar dele assim como gosta de mim. Eu te amo Megan mas você é cega demais pra ver isso.

- Ainda me chama de mentirosa. Que legal, você me trai e ainda quer ter razão, se você me amasse não teria feito aquilo, ter beijado a Mandy! Sabia que já tinha tido uma confusão entre nós duas por causa de você, ela disse que você ia ficar com ela, e isso aconteceu. Max, eu confiava em você!

- Quer saber Megan?! Eu que não confio mais em você, quem me garante que quando estávamos juntos você não saia as escondidas com o Iglesias? Mandy não é nada comparada a você.

- Se você não confiava em mim antes, agora que não vai confiar. Max, eu nunca fui o melhor para você. - senti uma lagrima escorrer do meu rosto enquanto eu olhava as unhas.

- Por que você se rebaixa tanto Megan? Por que não aceita que é melhor que qualquer uma? E você sabe que sempre confiei em você o problema é que agora as circunstâncias são outras.

- Não são Max, nunca foram. Você nunca confiou em mim.

- Quer saber? Essa não é a Megan que eu conheci, você não parece a mesma...- ele se levantou. – eu vou embora antes que tenha que ouvir mais desaforos.

- Pode ir, mas saiba Max que o que você fez foi cruel, eu via a Roxy sofrer e não sabia que era essa dor horrível, agora eu sei, graças a você, graças a pessoa que eu amo. - olhei dentro de seus olhos.

- Eu te amo Megan. - ele disse por fim.

Assim que ele saiu pela porta, desabei a chorar. Não sabia se aquilo era certo, mas eu só queria por para fora toda a minha tristeza. Meu celular começou a vibrar, mas a única coisa que eu fiz foi joga-lo na parede.  Queria ficar sozinha.

                                      Max’s Pov

Caminhava rápido pela calçada, já avistando a entrada da nossa casa. A raiva e a tristeza estava tomando conta de mim e eu não sabia mais o que pensar após aquelas palavras de Megan. Como ela pode estar com aquele cara? Tudo que ela dissera estava gritando e ecoando dentro da minha mente, entrei na casa e bati a porta com força demais, assustando Tom que estava quase cochilando no sofá.

- Porra Max!! Quer me matar de susto?

- Quem sabe matar alguém agora não seria má ideia. - me joguei no sofá, e fechei os olhos, pensativo.

- O que aconteceu dessa vez?

- Não lê as revistas? - Falei irritado, coitado estava descontando a raiva nele.

- Não gosto de fofocas, você sabe disso.

- É? Mas dessa você vai gostar, e não é fofoca. Megan está de caso com Enrique Iglesias.

- COMO? Não acho que a Megan faria isso. Olhei para a mesinha de centro e vi um exemplar da revista, peguei e joguei nele.

- Tire suas próprias conclusões. – falei. Ele olhou a página da revista que tinha as fotos e me encarou.

- Não pode ser, a Megan tem merda na cabeça só pode.

- Merda, loucura, ataque, não sei o que ela tem, mas logo com ele cara?

- Você conversou com ela?

- Tivemos uma discussão por causa disso, ela me falou coisas que...eu sou um idiota. - falei suspirando.

- Idiota é pouco pra você Max, entregou ela fácil para o Iglesias.

- Cara mas eu estava tentando ajudar...beijar a Prima da Roxy foi horrível, mas foi pra ajudar elas.

- Acho que não ajudou muito.

- Eu sei Tom, eu sei...agora ela deve ta lá, agarrada a ele. - soquei o sofá.

- Não adianta socar o sofá ele não tem culpa.

- Tom, pare de ser idiota. Cadê o Nathan esta no quarto? - me levantei.

- Ta sim, não vai sair de lá tão cedo.

- Vou lá saber o porque. - caminhei até a escada e subi ao segundo andar, parei na porta do quarto dele e bati.

- Nathan?

- Infelizmente

- Cara posso entrar?

- Entra ae. - abri a porta do quarto e ele estava jogado na cama, só de bermuda, encarando o Teto. Puxei a cadeira e me sentei de modo contrario nela.

- Fala ai. - puxei assunto.

- A Roxy voltou com o Zach.

- Só notícia boa hoje eim.

- O que aconteceu?

- Megan e Iglesias juntos.

- Mas que porra ta acontecendo? Elas resolveram fazer merda assim do nada?

- Deve ser alguma loucura delas, é só o que eu consigo pensar.

- Vamos entrar nessa loucura então.

- Como assim cara?

- Assim Max, elas não estão com eles? Então por que não fingimos estar pegando as primas delas mesmo, ou qualquer outra sei lá. Vamos causar ciúmes.

- Você não acha que elas vão ficar mais putas com a gente? - falei duvidoso.

- Talvez, mas você quer ver mesmo elas com aqueles caras?

- Não...

- Então cara, a gente não precisa ficar com as primas delas, mas qualquer outra mulher que seja bonita o suficiente.

- Vamos ficar com as primas delas, porque elas ja tem uma certa raiva por elas, o que deixa mais excitante-sorri

- Pega o celular do Tom e manda uma mensagem pras meninas encontrarem eles no pub, enquanto isso eu chamo a prima delas. Provavelmente elas vão levar os...

- Ta pera. - sai do quarto e desci a escada correndo. Não encontrava Tom na sala, mas vi Jay indo a cozinha.

- Jay, Jay! JAY!

- Oque foi Max? não sou surdo

- Me empresta teu Celular?

- Perdi. - ele falou tranquilamente com cara de tédio e voltou a cozinha olhei e vi Tom dormindo no sofá. Corri até lá e comecei  a mexer em seus bolsos.

- Hmm para! - ele começou a sorrir e se mexer. Ouvi os risinhos de Jay e rolei os olhos.

- Ta aqui. - puxei o Celular e voltei ao quarto do Baby Nath. Entreguei pra ele e começou a escrever a sms.

- Pronto! – Nathan sorriu vitorioso.

- Lê o que você escreveu. – pedi.

- "Pub daqui a pouco, se arrumem. xx Thomas"

- Será que elas vão?

- A Roxy não recusa uma bebida. – O celular de Tom na mesma hora vibrou. Uma resposta.

 - Lê cara. – apontei pro celular.

- "Pode deixar xx Roxy"

- Esta tudo feito. – falei e vi Siva aparecer na porta.

- Meninos, vocês vão querer sair comigo e com a Nareesha? - ele perguntou.

- Não Siva, já temos compromisso. – falei.

- Ok. - ele pôs o telefone no ouvido. - Amor, menos duas bundas no carro, agora falta Jay e Tom. - e saiu.

- Menino safado.

                                    Zach’s Pov

Eu não conseguia conter a felicidade depois de tudo o que estava acontecendo (ta isso foi meio gay). Eu passei a manhã com a Roxy e agora ela tinha me chamado para ir no pub com ela, provavelmente a Megan e o Iglesias também iam, então ficaríamos entre casais.

Quando deu oito horas eu já estava parado em frente ao carro esperando a Roxy descer, eu estava conversando com o Enrique quando avistei as duas vindo. Megan deu um beijo tímido no Iglesias enquanto eu e a Roxy apenas demos um selinho, abri a porta do carro pra ela e depois fui para o meu lugar. Liguei o carro e logo estávamos em direção ao pub, eu fazia algumas perguntas para Roxy e ela só dava respostas como “uhum”, “pode ser”. Fiquei meio preocupado com aquilo ela não estava feliz, e muito menos alegre, o que só me incomodava.

- Aconteceu alguma coisa? – perguntei meio receoso.

- Não! – ela falou com a voz fraca. Resolvi deixar de lado, eu sabia que ela não queria conversar agora, e também não ia invadir o seu espaço. Minutos depois já estávamos em frente ao pub, dei a chave ao manobrista e entramos. Megan e Enrique estavam sentando em uma mesa de frente para o bar, puxei Roxy e nos sentamos com eles.

- E ai, a gente pode sentar com vocês? - perguntei

- Claro! – Megan sorriu.

- Então sobre o que conversavam? – dessa vez Roxy perguntou.

- Como estávamos horríveis naquelas fotos da revista. - os dois começaram a gargalhar.

- Paparazzis sempre pegam os piores ângulos. – revirei os olhos.

- Ainda mais quando se está suja de sorvete. - Megan bebeu sua Vodca.

- Eles procuram os piores momentos, é sempre assim. – sorri.

- E você Roxy? Vai querer algo? - Enrique a chamou.

- Eu quero tequila. – ela sorriu fraco.

- Boa garota. – Megan bateu em sua mão.

- Preciso me animar de algum jeito, não?

- Me digam o porque das duas estarem assim? Tão tristes? - Iglesias tirou as palavras da minha boca.

- Er...ah não é nada demais, problemas pessoais. - Roxy deu de ombros.

- Podemos saber ou melhor não? - perguntei amigável.

- Acho melhor não. - Megan sorriu de lado.

- Cadê o Tom? – Roxy levantou a cabeça procurando alguém.

- Tom?? - eu e Iglesias ficamos confusos. Eles vinham?

- Ele que chamou.

- Hm. – fiquei quieto. Iglesias puxou outro assunto e todos voltamos a conversar, Roxy do nada parou e ficou analisando a entrada, segui o seu olhar e lá estava Nathan acompanhado da Bel, Megan fez o mesmo e ficou pasma. Max estava acompanhado de Mandy.

- Me...Megan va..vamos comigo...no banheiro? – Roxy gaguejava.

- Vamos. – Megan sussurrou. Elas se levantaram e aos poucos sumiram entra a multidão de pessoas.

- O que aconteceu? – Iglesias perguntou.

- Max e Nathan estão ai. – dei de ombros.

- E dai? – ele deu de ombros.

- Com as primas delas.

- Hm. - ele fechou a cara. – Megan ainda gosta de Max.

- Eu sei, Roxy também sente o mesmo pelo Nathan. - suspirei pesado.

- Mas o que importa que elas estão com nós dois.

- Talvez... - bebi um pouco da tequila da Roxy.

- Como assim talvez?

- Não gosto de vê-la triste desse jeito.

- Mas o que podemos fazer?

- Já ouviu aquela expressão "quem ama, liberta"?

- Você ta pensando em deixar a Roxy?

- O que vai adiantar eu ficar com ela se ela vai estar triste a todo momento?

- Mas o problema é se elas querem largar a gente. - ele falou já triste entendendo o real motivo - olha pra eles, agora estão com outras e não estão nem ai pra elas.

- Eu conheço esse jogo, eu mesmo já utilizei... eles querem causar ciúmes.

- Voltamos. - Roxy sentou.

- Eh, voltamos. - Megan suspirou.

- Roxy... - falei meio hesitante. - quero te fazer uma pergunta, mas você terá que ser sincera.

- Er... claro.

- Você gosta do Nathan, não gosta?

- Não... – ela abaixou a cabeça.

- Roxy, a verdade.

- Eu gosto mas...

- Mas nada, eu não quero que você fiquei perambulando por ai triste, eu quero você feliz, mesmo que não seja ao meu lado.

- Desculpe por isso Zach mas é que, o que a gente teve agora ficou pra trás e... – ela suspirou.

- Quer um conselho de amigo? Não se afaste dele, você vai sofrer muito mais. – ela sorriu, dessa vez o sorriso foi bem maior do que os de antes, ela me abraçou e eu passei a mão em seus cabelos de leve, olhei para o bar e vi Nathan me encarando com puro ódio em seu olhar.

- Megan, você quer ficar Livre também? - Enrique a encarou.

- Eu não quero mais sofrer. - ela olhou para Roxy.

- Então... - Iglesias incentivou.

- Por favor, chega desse assunto. - ela sorriu fraco.

- Vamos dançar então? – sugeri.

- Vamos. - Megan se levantou e Iglesias também, já um pouco mais feliz.

                                      Megan'sPov

Fomos para o centro do Bar e me aproximei de Enrique, ele colou nossos corpos e dançamos ao ritmo da musica lenta. Eu não queria acabar com ele, porque tinha medo de voltar para Max e ele me fazer sofrer, se ele ao menos soubesse que levando aquela garota tinha me feito sofrer tanto, eu pediria para nunca eu ter me apaixonado por ele. Iglesias estava sendo o meu porto seguro, e se eu acabasse com tudo, ficaria sozinha, sem ter forças para aguentar aquela cena toda de Max e Mandy juntos.

Olhei por cima do ombro de Enrique e vi Max nos encarando. Aquele par de olhos verdes que eu tanto sentia falta e que tanto me fazia sofrer, desviei o olhar para não sentir a dor de antes, mas o ato dele puxar Mandy e selarem os lábios em um beijo quente, me fez parar.

- O que foi? - Iglesias me olhou.

- Preciso de bebida, dança com a Roxy. - puxei ela que estava encostada conversando com Zach.

No momento eu estava sendo bem atriz. Porque Max só me fazia sofrer? A cada ato dele ela uma ameaça de dor, eu tinha que esquece-lo, tinha que me afastar, fui até o bar e me sentei em um dos banquinhos.

- Moço, me dê uma Tequila urgente. - pedi com a mão tremendo já. Não queria voltar e olhar aquela cena.

- Ta tudo bem Megan? - ouvi uma voz bem conhecida soar ao meu lado.

- Nathan... - o olhei e ele estava sentado também em um dos banquinhos, com um copo de cerveja na mão.

- Pensou que fosse quem? – ele sorriu.

- Ninguém... - sorri para ele. - o que faz aqui sozinho?

- Estou vigiando um certo alguém.

- Posso saber quem é? – sorri.

- A Bel que não é, pode ter certeza disso.

- Roxy?

- Você ainda tem duvidas?

- Não, mas ficar aqui enchendo a cara não vai adiantar nada. O que você fez foi errado, mas ela gosta de você, então...

- Eu sei disso, mas agora ela esta com o Zach.

- Quem te disse? As coisas mudam Nathan, a vida muda, e quando você encontra a pessoa certa, é porque tem que ser ela. Pena que eu não tenho essa sorte. - bebi meu ultimo gole e logo o barman encheu outra vez o copo.

- O que você quer dizer com isso Megan? É só você olhar pra ela e ver o quão feliz ela esta, eu não sou o cara certo.

- Nathan para de ser burro pelo menos uma vez na vida e olha, ela não esta mais beijando o Zach nem nada. Ele deixou ela, ou ela deixou ele tanto faz, o que importa que ela percebeu que não dava mais para ficar com ele.

- Jura? – um sorriso largo estampou o seu rosto.

- Juro Nathan, agora... - tirei o copo de cerveja da sua mão - vai lá perto e chama ela, ela ta dançando com o Iglesias.

- Já te falei que você é demais? – ele se levantou.- Ah obrigado. – deu um beijo em minha bochecha e saiu em direção a Roxy.

- Pelo menos ajudei. - olhei para o lado de Max que agora conversava com Mandy. Aquilo sim me fazia sofrer. Como fazer para tirar Max da minha cabeça...do meu coração?

- Oi. - Iglesias me abraçou por trás e o olhei com um sorriso lindo.

- Oi! - sorri e selei nossos lábios. Tentaria esquecer Max, tentaria não mais sofrer por quem não me quer.

                                   Nathan’s Pov

Assim que eu sai de perto da Megan eu não consegui conter o sorriso, afinal a garota que eu gostava não estava mais “namorando” ou “ficando” ou qualquer outra coisa que fosse, o importante é que agora ela voltaria pra mim. Roxy estava dançando, olhei em volta e nenhum sinal do Zach. Abracei-a por trás e percebi que ela se arrepiou com o toque.

- Na...Nathan? – ela perguntou sem se virar para me olhar.

- Preciso conversar com você. - sussurrei em seu ouvindo.

- O que você quer?

- Por favor, me ouve. Vamos para um local menos barulhento.

- Esta bem. – ela bufou e eu a puxei para a varanda do pub que era um pouco mais tranquila.

- Roxy...Megan me falou que você não esta mais com o Zach.

- Por que ela tem que abrir aquela merda de boca?! – resmungou.

- Não a culpe, ela falou porque quer o seu bem...eu também. - me aproximei dela.

- Não seja hipócrita.

- Por favor Roxy, me desculpa, o que eu e Max fizemos foi um puta erro, mas elas estavam dando em cima de nós e duvidaram que estávamos com vocês, então a única alternativa foi beijar ela, já que ela estava quase em cima de mim, mas eu juro que eu não queria fazer isso se não fosse por você, para manter você aqui, perto.

- Eu posso ter uma prima bem atirada Nathan, mas ela sabe que se quando o cara não cede, não vale a pena continuar tentando. Tudo aconteceu por que você deixou.

- Mas eu já te expliquei, eu deixei por que eu queria você aqui, comigo! Se elas falassem para os pais da Megan, você iria embora, iria ficar longe de mim, iria me deixar, eu ia sofrer, eu ia...- passei a mão nervosamente pelo cabelo, enquanto as palavras saiam da minha boca como um jato.

- Eu ia... – ela incentivou.

- Eu ia morrer. - soltei um peso das minhas costas. - eu ia enlouquecer só de ver partir, eu te amo Roxy!

- Ama? – ela sorriu fraco.

- Amo, eu sei que isso soa meio babaca, mas amo.

- Você é um babaca. – ela revirou os olhos.

- Por favor Roxy...

- Mas é um babaca, que eu também amo. – ela se aproximou.

- V-você vai me perdoar?

- Não falei nada quanto a isso. – ela deu mais um passo em minha direção.

- Mas... - a encarei confuso.

- Você não aprende não é Nathan.

- Roxy...

- Depois eu falo que você é babaca e você não acredita... vou ter que ser direta mesmo?

- Pra ser mais exata, sim. – sorri.

- Ta bom... – ela suspirou pesado. – eu te perdoo, quem não perdoaria depois de uma declaração dessas? Só uma completa idiota.

- Então me da um beijo e faz a nossa felicidade. - falei malicioso.

- Eu não tomo a atitude meu amor. – ela já estava perto o suficiente sussurrando em meu ouvido.

- Já que me deu permissão. - a segurei pela cintura e selei nossos lábios de uma forma feroz, entrelacei meus dedos em seus cabelos e puxei-a mais para mim, ela colocou a mão sobre o meu peitoral e me afastou suavemente.

- Aqui não é lugar pra isso. – ela riu.

- A toda hora, em todo lugar, lembra? – sorri.

- Você é um tarado Sykes, não consegue nem ter um momento romântico sem pensar em sexo. – ela revirou os olhos.

- Só estou com saudades.

- Você ta é com tesão acumulado, isso sim.

- Quer tirar? – sorri.

- Não sei se você ainda tem aquela força toda de antes. - ela deu de ombros.

- Você quer ver se ainda eu tenho? - levantei uma sobrancelha em sugestão.

- Você ta andando muito com o Max, Nath.

- Por que?

- Você ta muito safado ultimamente.

- Você me deixou assim, louco, queria o que? Necessito de você. - mordi o lábio.

- Não é pra tanto também, foram uns dois dias Nathan.

- Mas só esse tempo me deixou louco.

- Você é muito dramático.

- Você é má. – cheguei perto dela outra vez.

- Eu sei disso Baby. – ela sorriu maliciosa, antes que eu pudesse sequer beija-la, Roxy me puxou para dentro do pub novamente. Fomos até a pista de dança e uma musica um pouco agitada estava tocando, coloquei minhas mãos em sua cintura e a puxei mais pra perto. Selei nossas bocas com um beijo mais calmo e tranquilo.

- Senti sua falta. – encostei nossas testas mantendo a troca de olhares.

- Eu também senti a sua. – ela roubou um selinho.

- Er...desculpa interromper, mas já vamos embora. – Megan falou.

- Já? – Roxy perguntou fazendo biquinho.

- Já, eu e o Enrique estamos cansados.

- E o Zach?

- Foi embora, e não se preocupe. Ele tava bem.

- Nathan eu já vou indo. - Max esbarrou em Meg e logo que percebeu quem estava ao lado dela, soltou um olhar cheio de ódio.

- Tchau Roxy e Nathan. - Megan sorriu para nós.

- Tchau. - Iglesias assentiu.

Não demorou muito pro Max começar a resmungar e a xingar de todos os nomes possíveis o Iglesias, eu e a Roxy apenas ríamos da situação. Resolvemos ir para casa também, afinal já estava tarde, Mandy e Bel ficaram no pub se agarrando cm outros carinhas. Convenci a Roxy de dormir lá em casa já que tínhamos nos reconciliado.

Um comentário: