segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Capitulo 7



                                                         Max’s Pov

O Show estava bem animado, diferente do meu Humor. Cantávamos, e no final da primeira musica apresentamos Roxy ao publico que recebeu ela muito bem. Fazíamos várias brincadeiras no palco, mas não estava me sentindo a vontade de fazer muitas com Tom, até que ele veio e me abraçou, falando no meu ouvido.

- Não fica assim Max.  Ela está livre, isso só é diversão para nós dois, nada de mais. - e começou a cantar a sua parte da musica. Depois daquilo varias lembranças da briga passavam na minha cabeça, até que encostei um pouco na bateria sem querer.

- Max! É a sua vez! - Roxy falou me fazendo caminhar um pouco pra frente para não cair por cima dela.

Depois do Show, estávamos extremamente cansados. Fomos para a Van, Tom e Megan sentaram um ao lado do outro assim como Jay e Roxy, fazendo Nathan fechar a cara.

- Quantos presentes Tom! - Megan mexia nos ursos de pelúcia que Tom havia ganhado.

- Vou te dar um!

- Não. É seu, foram suas fãs que lhe deram. - ela falou séria.

- Pois vou te dar algo melhor ainda. - ele a agarrou e lhe deu um beijo. Fechei logo a cara, não consigo aguentar aquilo.

- Cansada Roxy? - Jay perguntou.

- Um pouco.

- Deita aqui. - ele bateu na perna e ela deitou a cabeça, enquanto Jay passava a mão pelos seus cabelos, fazendo Nathan se remexer ao meu lado e eu me virar para encara-lo.

- Que foi? - perguntou

- Nada...

Chegamos em casa, as meninas iam dormir lá hoje, porque estava muito tarde para elas voltarem para casa, elas já tinham trazido suas roupas de dormir, estava tudo programado.
                                      
                                            Nathan's Pov

As meninas se acomodaram no sofá junto com o Jay e o Tom, enquanto Siva foi tomar um banho, e eu e Max fomos para a cozinha.

- O que aconteceu entre Tomax?

- Acho que Tomax teve que dar uma pausa...

- O que Thomas fez dessa vez?

- Discutimos.

- Por...?

- Megan, ele ta fazendo mal a ela.

- Ele também ta com o lance de “amizade colorida”?

- É. Eu não consigo engolir essa historia.

- Eu também não cara.

- Eles estão enganando as meninas. Sabem que a mente feminina é fraca. 

- Elas não se tocam, podem até estar levando na brincadeira agora, mas depois alguém pode se apaixonar.

- Esse é o problema! Se Megan se apaixonar pelo Tom e ele não quiser ela...

- Ela vai sofrer.

- Muito.

- A Roxy também não percebe que pode sofrer.

- Elas estão se enganando com eles. E o pior que se vamos falar algo, elas ficam logo irritadas.

- É por isso que eu fico quieto.

- Mas você sabe que eu não consigo. Peguei ele e a Megan quase...no camarim hoje cara, falei tudo que estava entalado, mas ela veio brigar.

- Não adianta cara, elas querem estar com a razão. Depois de eu e a Roxy... bem ela disse que foi um erro algumas atitudes.

- Você e a Roxy o que?

- Transamos do banheiro do bar na sexta.

- O QUE CARA?

- É tão estranho assim?

- Sei lá, mas vocês parecem se odiar.

- Não sei mais de nada cara, eu a odeio, mas ela me fez deseja-la, sei lá. É uma coisa estranha.

- Isso é complicado de se entender.

- Partindo de mim e Roxy, é difícil. Mas Max por que você não tenta conversar com a Megan com o Tom longe?

- Conversar o que? Ela falou que a ultima pessoa que ela pediria ajuda seria para mim.

- Pede desculpas. Fala o que você sente.

- Nem eu mesmo sei o que eu sinto. - ele bebeu um pouco de água.

- Pior que eu! - comecei a rir. - mas tenta pedir desculpas, as vezes ela só falou aquilo por que estava perto do Tom.

- Talvez...

- NATHAN CORRE AQUI. - gritou Jay da sala.

- O que o bird quer agora? Melhor eu ir ver logo. - eu disse saindo da cozinha deixando Max sozinho. Quando cheguei na sala, me deparei com a cena de Tom e Megan abraçados, e Jay e Roxy jogando video game. Pela cara de aflição dele, estava perdendo.

- O que você quer? - perguntei meio impaciente.

- Faz a Roxy perder, não consigo ganhar dela nem a pau.

- Ninguém ganha de mim. Sou o vicio em pessoa. – comentou Roxy.

- Veremos então. - eu disse pegando o controle da mão de Jay e me sentando ao seu lado.

No começo estávamos competindo, mas depois o clima foi ficando menos tenso e começamos a nos divertir. De vez em quando ela me dava um empurrãozinho e me xingava e eu retribuía, logo em seguida começávamos a rir.

- Vai pra esse lado. - Jay se sentou ao lado de Roxy que riu. Porque ele tinha que acabar com a alegria?

- Toma essa Nathan. - ela comentou me empurrando no sofá. Eu a empurrei de volta, porém foi mais forte do que o esperado, o que fez com que ela caísse no colo do Jay que começou a rir da situação.

- Calma Roxy, agora não!

- Mais tarde né Jay! – ela brincou.

- Por favor se concentrem. - pedi sério.

- Você deveria achar bom que to tirando a atenção dela, assim você ganha.

- Foda-se. - me levantei e fui para o meu quarto.
          
                                    Megan’s Pov

Enquanto via os meninos jogando, sai dos braços de Tom e me levantei do sofá.

- Vai aonde? - Tom perguntou olhando a TV.

- Vou dormir.

- Ok baby! - ele me puxou e me abraçou. Bati na cabeça de Roxy que pausou o Jogo, fazendo Jay resmungar.

- To indo Roxy.

- Ta, daqui a pouco eu vou. - ela falou voltando ao jogo.

Caminhei em direção a escada quando olhei para a cozinha e vi Max, sentado na mesa tomando algo e me encarando. Sustentei o seu olhar e sai, subindo a escada. Entrei no quarto de hospedes, fui em direção ao banheiro e tomei um demorado banho. Vesti minha roupa de dormir (http://www.polyvore.com/megans_clothes/set?id=65515196) e me exercitei um pouco, dando alguns passos de ballet antes de deitar. Me sentei na cama  de costas para a porta para passar o creme de pele, quando alguém bateu na porta.

- Entra Roxy! – falei. Ouvi a porta sendo fechada e alguém sentar na ponta do outro lado da cama.

- Porque você não vai... - me virei e vi Max me encarando.

- Precisamos conversar.

- Não tenho nada para conversar com você. - eu disse me levantando para guardar meu creme.

- Me escuta, é importante.

- Max, eu já falei. O que você tinha para falar comigo, você já disse naquela hora no camarim.

- Não vim pra falar daquilo. - ele disse chegando mais perto de mim.

- Então veio falar que estou sendo vadia ficando com o Tom porque ele só ta me usando?

- Não, para de tirar conclusões e deixa eu falar.

- Você vai falar merda mesmo.

- Não vou.

- ha é?  Então vou te dar essa chance de falar, anda diz!

- Eu vim te pedir desculpas pelo jeito que eu te tratei hoje, não foi certo.

- Você o que...? - confesso que fiquei espantada com aquilo.

- Me perdoa Meg? - ele perguntou pegando em minha mão. Comecei a tremer com o seu toque, seus olhos estavam de um verde intenso, dando para ver mesmo com a pouca luz do abajur.

- Eu...eu... - não conseguia responder, estava surpresa.

- Meg... você me perdoa ou não? - ele perguntou já perdendo as esperanças.

- Eu vou perdoar você Max. - sorri para ele.

- Prometo não fazer mais isso. - ele disse colocando uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha.

- Posso confiar? - perguntei, tímida.

- Esta duvidando de mim? – ele perguntou rindo.

- Talvez...nunca sei o que você pode fazer.

- Posso fazer isso. – nesse instante, Max segurou meu rosto e selou nossos lábios, me espantei com o choque de nossas bocas. Aos poucos fui cedendo e dei passagem para aprofundar o beijo, segurei em seus braços fortes enquanto ele me puxava pela cintura até a cama. Ele separou o beijo e se sentou nela, me puxando para o seu colo e me beijando outra vez

- Max...e o Tom? - perguntei entre seus lábios.

- Ele disse que você é livre, que estão apenas se divertindo. Eu quero algo a mais que isso - falou, o que me fez encara-lo.

Logo ele me puxou outra vez para um beijo, agora com mais intensidade. Sentia necessidade de tê-lo, era uma atração muito grande que eu tinha por Max. Ele percorria as minhas costas com suas mãos enquanto eu arranhava os seus braços, Max em um movimento preciso, tirou a sua camisa, mostrando o seu peitoral musculoso. Me jogou na cama e ficou de joelhos, por cima de mim, arrastei minhas unhas pelo seu abdômen, fazendo ele gemer um pouco. Distribuiu longos beijos e mordidas por todo o meu pescoço, descendo até a parte da frente da minha blusa, que logo foi tirada pelas mãos dele. Como já ia dormir, não vesti sutiã, o que facilitou para ele, que brincava com meus seios, me fazendo soltar suspiros pesados.

- Max...- o chamei e vi seus olhos brilharem por causa disso. Ele retirou meu shorts, o ajudando a passar pelas pernas. Depois ele estava só de Box, de joelhos na cama e trilhando beijos por todo o corpo.

Ele retirou minha peça intima calmamente e logo me invadiu, fazendo eu arfar a cada movimento dele, o suor já estava visível em nossos corpos e a cada movimento de Max dentro de mim me  fazia gemer mais, até que cheguei no meu ponto máximo e deixei meu corpo relaxar, segundo depois ele se entregar.

Ajeitou a sua Cueca e deitou ao lado da cama. Me puxou para perto dele e beijou meus lábios, depois nos cobrindo com o lençol.

- Eu te falei que podia confiar em mim. - ele sorriu.

- Eu acredito. - sorri e logo meus olhos estavam pesados de sono, sendo ajudada a dormir pelo carinho que Max fazia em meus cabelos.
                                          Roxy’s Pov

Eu me troquei (http://www.polyvore.com/roxys_clothes/set?id=65514834) e fui dormir no quarto do Max, já que ele e a Megan estavam muito ocupados no nosso quarto. Eu não vi nada além dele sentado com ela no colo.  Ajeitei a cama já preparada para dormir quando alguém abre a porta desesperado.

- Max, eu não sei mais o que fazer em relação a Roxy. - Nathan disse se sentando na cama, e logo que me viu ficou paralisado. - O...o que você ta fazendo aqui?

- Vou dormir aqui, Meg e Max estão muito ocupados no momento.

- Sessão de Sexytime?

- Talvez... - Nathan deu um risinho irônico - o que foi? – perguntei.

- É que eu mandei ele só ir conversar com ela, não transar.

- Hmm, e porque você entrou dizendo que não sabe mais o que fazer comigo? Não te fiz nada.

- É...é que...

- Desembucha Sykes.

- Deixa quieto. - ele respondeu quase saindo do quarto.

- Não agora você vai falar. - eu disse puxando ele, ficando apenas a alguns centímetros de distância.

- E se eu não quiser falar? - ele me olhou de cima abaixo, depois parando em seus braços onde eu ainda o agarrava.

- Vai falar por bem ou por mal, me deixou curiosa. – falei.

- Não vou falar! - o empurrei até a parede e o segurei pelos braços. - Sabe muito bem que se eu quiser posso sair daqui facilmente né?! - ele riu.

- Tenta! - o incentivei. Logo ele me empurrou e ficou do mesmo jeito que eu estava antes, só que agora ele me prendendo na parede.

- Me Larga Nathan!

- Não. - ele sorriu.

- Seu idiota me larga.

- Talvez. - ele chegou com seu rosto perto do meu e roçou seu nariz no meu queixo.

- Sykes, não faça isso...- falei sufocante.

- Me obrigue...- começou a mordiscar o meu pescoço e logo me beijou. Tentei sair dali batendo nele, mas ele me segurava com força, até que fui cedendo e o beijando. Segurei em seu pescoço e ele me levantou, fazendo eu passar as pernas em sua cintura.

Me segurou e me carregou até a cama, me colocou devagar em cima dela e o fitei, ele estava ofegante já e aposto que meu estado era o mesmo. Assim que ele tirou a camisa, o derrubei na cama, fazendo ele se espantar com minha atitude. Subi em cima dele que me fitava ansioso, comecei a rebolar e ele soltava suspiros e gemidos fracos, deitei um pouco pelo seu tronco e sai mordendo a extensão do seu abdômen inteiro, voltando logo a beija-lo. Quem estava no comando era eu dessa vez.

- Roxy, não me provoque. - sua voz saiu rouca e um pouco arrastada.

- Vou fazer o que eu quiser. - sorri maliciosa. Não nego, eu tinha uma atração muito forte por aquele garoto.

Retirei a minha blusa ainda sentada em cima dele e ele encheu os olhos de luxuria, enquanto voltei a morder e beijar a sua boca, suas mãos brincavam com meus seios. Abri o botão da sua calça e ele me ajudou a retira-la, mostrando a sua cueca Box e seu membro já excitado, ele me puxou e fiquei por baixo dele, que logo retirou meu shorts e minha calcinha, a jogando em algum lugar do quarto.
Segundos depois Nathan já estava dentro de mim, nós dois arfando descompassados a cada movimento, depois de minutos assim, me entreguei sendo acompanhado por ele. Nos deitamos na cama e nos encaramos. Como tivemos coragem de fazer aquilo novamente?
            
                                       Max's Pov

Acordei com dormência no braço, olhei e vi Megan dormindo tranquila em cima do meu tronco. Sorri e beijei a sua cabeça, mas precisava sair dali antes que os meninos acordassem. Vesti minha calça e a camisa e sai fechando a porta devagar. Fiquei me perguntando onde a Roxy devia ter dormido. Talvez na sala quando vi que a porta estava fechada, estava indo para meu quarto quando vejo Siva vindo no corredor rindo

- Qual a piada Seev? - falei de bom humor.

- Ta de bom Humor né? Mas logo isso vai acabar. - falou rindo mais ainda, chegando a colocar a mão na barriga.

- Porque?

- Vai no seu quarto. - ele falou. Caminhei desconfiado até ele, sentindo Siva me acompanhando. Abri a porta do quarto e dei de cara com Roxy e Nathan praticamente nus em cima da minha cama.

- O QUE É ISSO? - gritei espantado. Nathan levantou a cabeça, com sono ainda e quando me viu arregalou os olhos

- Max?

- CARALHO NATHAN QUE PORRA! VOCÊ FEZ SEXO NA MINHA CAMA! E COM A ROXY? PORRA MERDA AGORA VOU TER QUE QUEIMAR OS LENÇOIS! – gritei.

- IHHH Batizou! - Siva riu alto.

- MERDA NATHAN!MERDA!

- Calma Max! - ele se levantou correndo e rindo enquanto eu corria atrás dele pela casa. Hoje ele ia levar uma surra.

Um comentário: